10 ervas para ter o cabelo bonito

Os cabelos são estruturas que respondem a qualidade da saúde do fígado.

Não por acaso, a maioria das ervas medicinais de uso interno que são boas para a saúde capilar, também tem ação positiva sobre este órgão.

Relacionei abaixo para você dez ervas medicinais, algumas para uso interno e outras para uso externo, que podem te ajudar a ter cabelos mais saudáveis e bonitos.

Clique no nome das ervas se quiser saber mais sobre cada uma delas.

ALCAÇUZ – esta é uma erva medicinal de uso interno que deve ser utilizada sempre em associação com outras ervas e na metade da dose de uma erva comum. A infusão desta erva melhora o organismo como um todo e dá força aos cabelos.

BARDANA e ALECRIM – estas duas ervas devem ser utilizadas externamente. Lave os cabelos normalmente e, feito isso, lavar novamente apenas com a infusão das ervas. Massagear profundamente os cabelos com o chá por vários minutos. Fazer sempre que lavar os cabelos.

CAPIM-LIMÃO – esta erva é utilizada para limpar profundamente os fios. Lave os cabelos normalmente e, em seguida, lave novamente com a infusão de capim-limão. Muito bom para pessoas que fazem uso frequente de cera, gel ou outros produtos químicos que aderem aos fios.

CAMOMILA – muita gente já conhece os efeitos capilares desta erva e a utlizam para clarear os cabelos. O que nem todo mundo sabe é que esta é a melhor erva capilar para fortalecer os fios de quem tem cabelos claros. Para tanto, lavar com a infusão levemente morna, logo após a limpeza normal dos fios. Também pode ser utilizada depois do chá de capim-limão, se você tiver cabelos claros (ou se quiser clareá-los).

LIMÃO – não vá passar limão nos cabelos!!! O uso do suco da fruta deve ser interno. Serve para purificar o fígado e, por consequência fortalecer o sangue e, por conseguinte, fortalecer os cabelos. É para quem esta com queda de cabelo por conta da má qualidade do sangue.

BABOSA – a aloe vera (babosa) já é famosa como planta medicinal amiga dos cabelos. Mas seu uso deve ser apenas externo. Para tanto, colher uma de suas hastes suculentas, cortar ao meio e passar a secreção direto na raiz dos cabelos. Fazer isso na hora do banho. Deixar alguns minutos e lavar o excesso. Você pode não acreditar no que vou dizer, mas se antes de você colher uma das hastes você tiver a disposição de pedir licença a planta e explicar por que precisa de sua ajuda, o tratamento funcionará melhor, pois você poderá ter a ajuda voluntária do vegetal. Na dúvida, recomendo que peça licença!

GERGELIM – esta erva é de uso culinário e tem a função de escurecer os cabelos. Se você está ficando grisalho precocemente e não está gostando nada da ideía, poderá começar a ingerir uma colher de sopa de gergelim preto em jejum, todos os dias. Tem que mastigar bem as semestes para tr o efeito (não triture no liquidificador). O efeito é certo, mas tem que ter paciência. Leva 6 meses para começar a nascer cabelos na cor natural novamente. Outra coisa: Cuidado onde você vai comprar seu gergelim preto, pois muitas vezes este pode estar “fungado”. Nesse caso, não consuma. Ah! Lembre que só vale o gergelim preto.

HIBISCO – se o que você precisa é de crescimento mais rápido, esta é a erva para você. Para tanto, tomar uma xícara de chá, 3x ao dia. Mas atenção, este chá também emagrece e se isso for um problema pra você escolha outra opção. A ação do hibisco é de acelerar o metabolismo e, assim queima gorduras e faz crescer cabelo.

MANJERONA – outra erva que fortalece os fios e ajuda a escurecer é a manjerona. Para tanto, utilize a infusão da erva para lavar os cabelos, preferencialmente, após a limpeza normal.

Seja qual for a sua necessidade, existe uma erva medicinal disponível para lhe ajudar.

RODRIGO SILVEIRA – herborista e criador do ERVANARIUM

12 Ervas para a saúde de sua boca

A Estomatologia é a área da Odontologia que cuida das patologias que acometem a cavidade oral e região peri labial.

O estomatologista realiza diagnóstico, cirurgias, biópsias e tratamentos medicamentosos e a Fitoterapia tem um amplo campo de ação nessa área.

As ervas utilizadas nessa área são aquelas com poder antibiótico, antimicrobiano, anti inflamatório, analgésico e cicatrizante.

Dentre muitas, podemos destacar:

ALHO – Poderoso antibiótico natural, combate diversas infecções e reforça o sistema imunológico.

EQUINÁCEA – antibiótica, antimicrobiana e antiviral pois estimula a produção do interferon, um antiviral celular natural.

GENGIBRE – Atua como um desinfetante do organismo e poderoso anti-séptico.

Própolis – Antibiótico natural e antifúngico potente.

ORÉGANO – Antifúngico potente. Seu chá pode ser usado como bochecho em diversas afecções orais.

MANJERICÃO – Suas propriedades anti infamatórias são reconhecidas desde os tempos passados.

ERVA BALEEIRA – Considerada o anti inflamatório natural do Brasil. Seu chá para bochechos é excelente, assim como pomada para herpes labial.

MALVA – Excelente para enxaguatório bucal, com propriedades de destruir bactérias causadoras de doenças gengivais.

CALÊNDULA – A grande cicatrizadora. Pode ser feito o chá e bochechar ou em forma de pomada orabase.

CAMOMILA – Também cicatrizadora e anti inflamatória, excelente para doenças bucais em crianças.

SÁLVIA – Antiséptica bucal excelente. Pode ser usada em conjunto com a calêndula e o própolis, formando um trio antibactericida.

Barbatimão – É conhecido como um potente cicatrizador e também anti inflamatório.

Clique nos nomes da ervas para saber mais!

A Fitoterapia na Periodontia

A Periodontia é a área da Odontologia responsável pelo tratamento dos tecidos de suporte dos dentes, gengiva, ligamento periodontal e osso.

A falta de escovação ou de técnicas corretas, aliadas à falta do uso de fio dental e hábitos errados na alimentação, produz um meio bucal adequado para a proliferação de bactérias nocivas.

Ocorre o sangramento durante a escovação e dores.

O organismo para se defender dessas bactérias, acaba por destruir os tecidos de suporte dos dentes, atingindo até mesmo o osso, o que ocasiona a mobilidade e perda dos dentes, halitose e infecções.

Além das terapias de raspagem e profilaxia realizadas pelo cirurgião-dentista, a Fitoterapia pode ajudar como auxiliar no tratamento da doença periodontal.

Ervas com poder antiinflamatório, antibiótico, analgésico e anti-bactericida são utilizadas na forma de chá para bochecho ou misturadas em orabase.

HORTELÃ – Ajuda a combater a halitose, é antiinflamatória e analgésica.

Romã – conhecida pelo seu potencial anti bactericida e antiinflamatória, o bochecho com o chá um pouco aquecido auxilia bastante.

TANSAGEM – Potente antibiótico natural.

Aroeira – Antiinflamatória e cicatrizante.

CALÊNDULA – Antiinflamatória e cicatrizante.

Amora – O bochecho com o suco dos frutos maduros tem potencial antiinflamatório.

CRAVO DA ÍNDIA – Antiinflamatório, anti bactericida potente e analgésico.

EUCALIPTO – Combate halitose e é antiinflamatório.

Óleo de coco – Analgésico, pode se usar para massagear a gengiva ou bochechar.

HAMAMÉLIS – Adstringente, auxilia a diminuir o sangramento e é cicatrizante.

Para saber mais sobre estas ervas, clique no nome de cada uma.

Fitoterapia na Odontologia

A maior parte dos medicamentos atuais são derivados de plantas.

E a quantidade de pessoas buscando tratamentos fitoterápicos, principalmente pela decepção com a medicina convencional, aumenta cada dia.

Na Odontologia, o campo de pesquisa sobre fitoterápicos ainda é escasso.

Pouco material tem sido publicado ao longo dos anos, sendo mais do conhecimento popular, do que propriamente das pesquisas científicas publicadas.

Porém, isso não invalida o valor das práticas naturais na Odontologia, pois o conhecimento popular é válido e é a base que mantém viva a Fitoterapia.

Todas as áreas da Odontologia podem se beneficiar das ervas medicinais.

Por exemplo, a Endodontia, com substâncias para desinfetar os canais radiculares à base de plantas antissépticas e anti-inflamatórias, a Prótese Dentária com ervas, para desinflamar as mucosas traumatizadas pelos trabalhos protéticos, a cirurgia com ervas analgésicas e antibióticas para o pré e pós-operatório, a Estomatologia e a Periodontia, com uma infinidade de ervas que tratam várias patologias.

As formas de utilização são várias, desde tintura mãe diluída em água para bochechar, cremes, pomadas orabase, gel, etc.

Atualmente existem cremes dentais à base de plantas medicinais que são excelentes, como aloe vera (babosa), guaçatonga, aroeira, juá, etc.

Todas as áreas da saúde só têm a se beneficiar quando realizam o casamento dos conhecimentos tradicionais com as práticas atuais.

O dentista que atua com Fitoterapia, Homeopatia, Florais, etc, não deixará de usar seu arsenal de tratamentos tradicionais, como motor e brocas, anestésicos, resinas e produtos químicos, porém pode dar aos seus pacientes um tratamento diferenciado, mais suave e eficaz.

A atuação aliada com o saber tradicional torna o profissional mais humano, mais integrado à Natureza, fonte de cura e conhecimentos, e também mais certo de estar proporcionando uma verdadeira cura.

Nos próximos textos vou trazer algumas ervas que auxiliam a Odontologia em várias áreas e espero poder contribuir para o interesse dos profissionais e dos pacientes em buscar tratamentos naturais.

Até lá!

Antonio Garcia é cirurgião dentista especialista em estomatologia e prótese dentária. Pós graduado em Homeopatia pelo Instituto Hahnemanianno do Brasil (IHB). Terapeuta holístico homeopata pela Associação Brasileira dos Terapeutas Holísticos (ABRATH).

Qual é a melhor erva para gripe?

Para indicar ervas medicinais é muito importante saber fazer as perguntas certas.

São elas que irão fazer você reunir as informações necessárias para fazer uma indicação adequada.

No caso das gripes, algumas perguntas iniciais já vão lhe ajudar a determinar o melhor caminho a seguir na escolha das ervas mais adequadas.

1ª pergunta:

Você tem secreção?

2ª pergunta:

Se tem secreção, qual é a cor dos fluidos? Transparente, branco, amarelado, amarronzado, com sangue?

3ª pergunta:

Você tem tosse? Se tem, ela é seca ou com catarro? Se tem catarro, você já está expectorando ou ainda não?

4ª pergunta:

Você tem febre ou calafrios? Tem dores no corpo ou náusea?

Essas 4 perguntas (e seus desdobramentos) são o ponto de partida para você aprender a indicar ervas medicinais para gripes, pois existe uma infinidade de opções disponíveis e cada uma delas pode ser indicada em um estágio da doença, mas não necessariamente em todos estágios.

Evite aquelas indicações do tipo:

“- Eu tomei e foi bom para mim.”

Isso nem sempre funciona porque as gripes podem ter diversas origens e podem passar rapidamente de um estágio para o outro, mudando totalmente a abordagem do problema.

E pior, as vezes, nem sempre estamos lidando com uma gripe, como no caso da dengue, só pra citar um exemplo.

Em casos assim, pode ser ainda pior indicar ervas de forma equivocada.

Comece exercitando seu questionário. Em breve mais informações.

Chás, tinturas, pós e extratos secos

A forma de administração de um fitoterápico interfere, com certeza, na resposta ao tratamento.

Chás, tinturas, pós ou extratos secos tem tempo de resposta diferentes entre si, mas também tem absorção distinta no organismo.

Os chás são o tipo de tratamento mais natural e que é melhor absorvido.

Porém, de todas as opções apresentadas, é o que leva mais tempo para dar resultados perenes.

O lado bom é que pode ser administrado por períodos maiores, mas é mais lento em dar a resposta ao tratamento.

Também é o tratamento de menor custo financeiro, mas nem sempre é possível ter certeza da procedência do que se está ingerindo.

A tintura é um pouco mais rápida do que o chá porque o álcool é muito bom para extrair e concentrar, os princípios ativos de uma erva.

Dessa forma, a dose da tintura é mais potente que a de chá e, por isso, os resultados podem ser mais rápidos.

A tintura também se assemelha ao chá no sentido em que é uma forma de administração bem aceita pelo organismo. No entanto, é necessário diluir a tintura em água morna antes de ingerir e deixar uns dois minutos em espera, para que o álcool da fórmula possa volatizar.

Se tomar a tintura com álcool, seus efeitos positivos ficam prejudicados, ainda mais em tratamentos para o fígado e o pâncreas.

Também é recomendável adquirir sua tintura em uma farmácia de manipulação de sua confiança, para ter certeza da procedência e garantia de preparo adequado.

O pó nada mais é do que a erva triturada e pulverizada.

Em geral, é acondicionada em cápsulas para facilitar a ingestão, mas algumas lojas vendem o pó em pequenos potes para ser ingerido de outras formas.

A forma mais segura de ingestão é em capsulas e, de preferência, manipuladas em uma farmácia de sua confiança, pois é muito comum que alguns produtos em pó estejam adulterados ou sejam produzidos sem condições adequadas.

O extrato seco é uma substância produzida a partir de uma erva medicinal, na qual são isolados seus principios ativos em um extrato.

Em geral, é administrado em cápsula e deve ser, preferencialmente, manipulado por uma farmácia de confiança, pelas mesmas razões apresentadas ao falarmos dos pós.

Qual é a diferença entre uma erva manipulada em pó ou em extrato seco?

A erva em pó conta com seus elementos medicinais, mas também outras partes em sua composição.

Os fitoterapeutas orientais são especialmente entusiastas sobre seu uso por que entendem que além dos principios medicinais, neste formato, a erva preserva seus princípios energéticos.

Outra questão importante é que em pó, por não ser padronizada, tem menos chances do organismo adquirir resistência ao seu uso, pois cada lote de erva mantém as informações químicas do solo, da estação e outros fatores, fazendo com que a erva nunca seja reconhecida exatamente da mesma forma pelo organismo.

Já os defensores do extrato seco alegam justamente que o pó não é padronizado e, por isso, não é possível adequar a resposta a um tratamento. Preferem o extrato seco por sua regularidade química.

Quando se trata do uso de cápsulas é importante também saber que seu uso regular, cobra um preço de seu baço.

Na verdade, cada caso deve ser analizado de forma individual e por um terapeuta em fitoterapia qualificado.

Se você deseja saber como adquirir ervas medicinais em pó, extrato seco ou em tintura, de forma confiável, escreva para nós.

[email protected]