5 Ervas Medicinais para Usar com Cuidado

As ervas medicinais, de maneira geral, são divididas em 4 grupos:

Ervas seguras, ervas levemente tóxicas, ervas tóxicas e ervas mortalmente tóxicas.

Acredito que, por desconhecimento, algumas pessoas ainda utilizam ervas que, apesar de já estarem em uso há muito tempo, não deveriam mais serem utilizadas “in natura”, para consumo interno.

Esse tipo de plantas faz parte da categoria de ervas tóxicas que, com poucas doses pode causar danos que nem sempre serão percebidos no curto prazo, mas que podem comprometer sua saúde no futuro.

Ervas tóxicas não devem ser usadas internamente, mesmo que a vovó já as use a vida toda, pois algumas pessoas têm uma resistência maior a toxinas do que outros indivíduos.

Assim, não é porque alguém está utilizando uma erva perigosa sem que ainda tenha manifestado seus efeitos adversos, que você tenha que arriscar também.
Existem diversas ervas tóxicas em uso, ainda nos dias de hoje, por isso é importante se informar.

Algumas destas ervas tem valor medicinal para uso externo ou mesmo, se forem adequadamente manipuladas e seus princípios ativos tóxicos forem isolados e extraídos.

Mas o risco está em fazer o uso interno sem manipulação competente.

Agora que você já está atento a essas informações, vamos relacionar 5 ervas medicinais, muito conhecidas e populares que devem ser usadas com cuidado.

LOSNA

Esta erva é muito popular e amplamente utilizada ainda nos dias de hoje.
Mas a Losna pode causar sérios danos ao Fígado em razão de seus alcaloides tóxicos.
Algumas pessoas, todos os anos, defendem nas redes sociais que a Losna, em uso interno, pode curar o câncer.
Recomendamos que você não entre nessa, pois a erva sem manipulação só vai agravar a condição. Losna é boa para plantar no jardim porque afasta insetos. E é só isso.

BABOSA

Esta planta, além de ser muito bonita, é um maravilhoso cicatrizante e anti-inflamatório natural para uso externo.

Mas apesar do que muitos apregoam, seu uso interno está longe de ser um consenso, principalmente se a planta for utilizada de forma natural.

Para uso interno é possível utilizar supositórios, feitos em farmácias de manipulação, para agir como laxante ou mesmo na forma de homeopatia. Mas qualquer outro uso interno da babosa é desaconselhado, pois causa lesões no fígado.

EUCALIPTO

Esta grande árvore produz folhas com alto poder expectorante e antisséptico. Mas seu óleo essencial é muito perigoso e apenas uma gota, em alguns casos, pode ser fatal.

Dessa forma, o uso interno da tintura caseira ou do chá de eucalipto pode ser perigoso.

Ainda que se precise uma grande quantidade de folhas para se extrair uma gota de óleo essencial, não convém acumular toxinas no já exigido fígado e no sangue.

O eucalipto é ótimo no uso externo, em pomadas e unguentos par aliviar congestão e liberar a respiração. Mas evite o uso interno.

CONHEÇA TAMBÉM

Palavras-chave das Ervas Medicinais

AVELOZ

Muito tem se falado em pesquisas desta planta para tratamento de câncer e isso é verdade. Mas até o momento, ainda não foi possível isolar seus princípios ativos para produzir algum tipo de medicamento que possa ser utilizado.

Não obstante, algumas pessoas tomam a iniciativa de fazer uso da planta por conta própria, na busca por uma cura desta difícil doença. Mas esta atitude pode agravar seriamente o problema.

A parte usada da planta é o seu látex, que é incrivelmente corrosivo. Se este for utilizado internamente, poderá causar serias lesões internas.

Se for utilizado externamente, sobre tumores, pode causar uma grave irritação e prejudicar ainda mais a pessoa que já se encontra em uma situação delicada.

Evite uso interno e externo do aveloz, sem a devida manipulação ou enquanto ainda não se conseguiu criar algum tipo de fito-medicamento seguro.

CONFREI

Esta é uma erva de uso muito antigo que tem sim suas propriedades medicinais válidas. Porém o uso seguro desta planta deve ser feito apenas externamente.

Seu uso interno é extremamente desaconselhado ainda que se saiba de pessoas que a utilizam para tratamento de asma juvenil.

De fato, este tratamento pode até dar resultado a curto prazo, mas a pessoa tratada tem uma grande probabilidade de desenvolver cirrose medicamentosa na idade adulta.

Um problema bem mais sério do que a asma (que tem outros meios de tratamento) e que pode custar a vida da pessoa.

Dessa forma, esta planta, a exemplo da maioria das ervas citadas neste artigo, deve ser restrita para o uso externo, onde ela tem muito a contribuir para sua saúde.

É importante que nós usemos a riqueza das ervas medicinais com atenção, buscando informação e respeitando os limites que o mundo natural nos impõe.

Quando houver dúvida, busque mais informações e sempre procure consultar um fitoterapeuta qualificado para escolher as melhores ervas para seu tratamento ou da pessoa que você deseja ajudar.

Somente assim poderemos recuperar a saúde e realmente ajudar outras pessoas.

Tenha sempre cuidado com o que você lê, vê ou ouve, quando se trata da sua saúde.

Para saber usar ervas medicinais com segurança conheça a formação em fitoterapia – Método 40-20, do Ervanarium

Curso de Fitoterapia – Método 40 -20

As 4 Grandes Ervas Medicinais para tratar a Diabete

A diabete é uma doença que assola um grande número de pessoas, no Brasil e no mundo.

Mas nem todo mundo sabe que existem mais de um tipo de diabete.

Alguns tipos podem surgir apenas a partir de um determinado momento ou pode ser um problema que acompanha a pessoa desde cedo, pela vida toda.

Os tipos mais comuns de diabete são:

Diabete tipo 1, onde o pâncreas não consegue mais dar conta de produzir insulina suficiente para as necessidades do corpo por conta de um desequilíbrio do sistema imunológico que passa atacar as células produtoras. Este tipo tende a aparecer mais durante a infância e adolescência.

Diabete tipo 2, onde a pessoa sofre a ação de duas causas: a diminuição da produção da insulina e a redução de seu efeito no organismo. Este é o tipo mais comum de diabete e costuma aparecer na idade adulta, em geral, a partir dos 40 anos. Mas também existem pessoas jovens que desenvolvem esta doença.

Existe ainda um passo anterior a instalação da doença, chamado de Pré-Diabete, onde a pessoa demonstra pré-disposição para desenvolver a condição em algum momento da vida. É uma tendência que pode, ou não, se manifestar e todo cuidado é pouco neste caso.

Para evitar que isso aconteça, é necessário evitar levar uma vida muito sedentária e ter atenção com o tipo de alimentação e ingestão de bebidas. Também existem estudos que relacionam o acúmulo de gorduras, principalmente do tipo visceral, como um dos fatores que podem ajudar a desencadear a Diabete.

Também pode se manifestar um tipo chamado de Diabete Gestacional que, como o nome já diz, surge durante o processo da gravidez, onde acontece um aumento da resistência da insulina no organismo. Sua causa exata ainda é desconhecida, mas sua existência é bem real.

Mas como saber se você já está apresentando sinais de diabete?

Alguns dos sintomas mais comuns são:

  • Aumento da sede
  • Aumento da frequência urinária
  • Aumento do volume da urina (principalmente se a urina for clara como água).

Estes três sintomas, somados, devem representar um sinal de que é necessário buscar ajuda profissional e avaliar se você já necessita de cuidados especiais para tratamento. Não são determinantes, mas são sinais que devem ser levados em conta.

Alguns outros sintomas que também podem estar associados a possibilidade de manifestar Diabetes são:

  • Emagrecimento sem causa aparente
  • Aumento do apetite
  • Fraqueza
  • Cansaço
  • Sonolência
  • Desânimo
  • Tontura

No entanto, pessoas que manifestam Diabete do tipo 2, podem passar muitos anos sem apresentar qualquer sintoma, mas a doença pode já estar entrando em seus estágios iniciais.

Bem, para quaisquer um dos casos acima, é importante saber que a diabete é uma doença que ainda não tem cura, mas tem tratamento, e algumas pessoas preferem contar com alguns recursos naturais para ajudar a lidar com esta condição.

Algumas das melhores ervas medicinais que ajudam a reduzir as taxas glicêmicas (açúcar no sangue) são:

(Clique nos nomes das ervas para saber mais sobre cada uma delas)

1º – PEDRA UME CAÁ – uma erva incrível que promove a homeostase (equilíbrio) da glucose e é indicada par todos os tipos de diabete. Porém cuidado se você já toma medicamentos par diabete, pois esta erva pode potencializar os seus efeitos. Não é por acaso que esta erva também é conhecida como “insulina vegetal”.

2º – PATA DE VACA – erva que ajuda o pâncreas a produzir mais insulina. Indicada na Diabete tipo 2. Tem função parecida com a PEDRA UME CAÁ, mas com menor potência. Pode ser indicada para pessoas que não se adaptam a esta erva.

3º – CARQUEJA – erva auxiliar ao tratamento por seu poder de diminuir a necessidade de consumo de açúcar, uma vez que a erva é rica em cromo e supre parte da necessidade do organismo.

4º – PICÃO PRETO – erva muito poderosa, que apresenta a capacidade de regenerar e reativar as funções do pâncreas.

De qualquer forma, o uso de ervas medicinais não deve nunca substituir seu tratamento médico. Utilize este conhecimento como uma forma de complementar seus cuidados e sempre estabeleça suas doses e forma de tratamento com um fitoterapeuta qualificado.

Se você conhece pessoas que podem se beneficiar destas informações, eu convido você a compartilhar este artigo nas suas redes, para que um maior número de indivíduos possa ter uma vida melhor.

O remédio amargo cura?

Bom mesmo é o remédio amargo! – diziam os antigos.

Mas porque?

Bem, para entender isso melhor, precisamos primeiramente saber que o sabor das ervas tem sim influência sobre a sua ação sobre determinados órgãos internos.

Por exemplo, as ervas de sabor doce, atuam sobre o baço e o estômago. Já as de sabor picante, agem sobre o pulmão, e assim por diante.

Mas e as ervas de sabor amargo?

Estas agem sobre o fígado, que é um dos principais órgãos do nosso corpo. Tão importante que, inclusive, é um dos únicos órgãos que consegue se regenerar, mesmo quando somos adultos (quando cuidamos bem dele, claro!).

O fígado atua em diversas áreas do organismo como na digestão, excreção, regula algumas funções menstruais, acumula e processa algumas substâncias do sangue, além de ser o senhor do metabolismo e da visão.

Em inglês, o nome para o fígado é Liver, que pode ser traduzido como “vivente” ou “o que vive”.

As ervas amargas tem especial atuação sobre o fígado e por isso que o remédio amargo, muitas vezes, é o bom, por que recupera e regulariza as funções do fígado – o vivente que nos faz viver bem e felizes.

Algumas ervas amargas excelentes para você conhecer mais:

FEL DA TERRA (clique aqui para mais informações)

CARQUEJA (clique aqui)

PICÃO PRETO (clique aqui)

FEDEGOSO (clique aqui)

CARDO MARIANO (clique aqui) 

Se você gostou destas informações, fique a vontade para compartilhar ou adicionar este link a sua página.

Só lembre de creditar a fonte, ok? 😉

As 10 melhores Ervas para Saúde da Mulher

A saúde feminina depende, fundamentalmente, da qualidade do sangue.

Então, como não poderia deixar de ser, as 10 ervas selecionadas para este artigo, tem um impacto muito positivo na renovação, vitalização, purificação e fortalecimento do sangue.

Para saber mais sobre cada uma das ervas, clique em seu nome.

As 10 ervas

AGNOSCASTO

Esta é erva é um repositor hormonal natural que ajuda a regular as disfunções menstruais e as oscilações de humor comuns em casos de desequilíbrio dos hormônios.
Ótima erva para quem sofre com a TPM, menopausa e para quem precisar melhorar a produção de progesterona que ajuda a equilibrar o ciclo ovariano e também quem deseja engravidar.
Mas atente as contraindicações.
Esta tudo aqui no link.

AQUILÉIA (Mil folhas)

Esta é uma verdadeira panaceia para a saúde feminina.
Se é verdade que não existe erva milagrosa, esta planta chega muito perto.
Melhora a pele, o humor e resolve quaisquer distúrbios menstruais.
Vale conhecer mais clicando neste link.

ARTEMÍSIA


A Artemísia é importante em casos onde existe sangramentos menstruais excessivos, aliviando este sintoma.
Além disso, se você tem mãos e pés frios com frequência, esta erva pode te ajudar de verdade. Saiba mais

AVEIA

Se o sangue é um desafio para o equilíbrio da saúde feminina, o sistema nervoso também não fica atrás.
Afinal, para os orientais, o sangue e o sistema nervoso tem uma conexão, pois são regidos pelo elemento fogo (ainda que o sangue também seja regido pelo elemento madeira e água).
O desequilíbrio do sistema nervoso muda o pH do sangue rapidamente, tornando-o ácido. E ninguém precisa disso, não é verdade?
Mas não se preocupe.A Aveia é uma das melhores ervas para acalmar os nervos e colocar tudo em nova perspectiva.

Confira mais no link.

CÁLCIO DE OSTRA


A menopausa chegou? E os calorões? Ninguém merece, não é mesmo?
Nesse caso, você pode aliviar os sintomas com este fitoterápico incrível.
O “ar-condicionado” central de nosso corpo são os rins.
Quando a menopausa chega, os rins já estão demonstrando uma queda em sua vitalidade energética.
O Cálcio de Ostra alivia o trabalho dos rins por ser uma erva muito fria.
Além disso, esta erva ajuda muito a evitar a progressão da osteopenia e prevenir a osteoporose por ser uma fonte de cálcio natural que é muito bem assimilada pelo organismo.Leia mais sobre este fitoterápico.

5 Ervas Medicinais para Usar com Cuidado

CASTANHA DA ÍNDIA

Se o sangue é importante para a mulher, os vasos sanguíneos não são menos relevantes.
As atividades dos dias de hoje nos colocam ou, sentados por tempo demais ou ficamos tempo demais em pé.
Tudo isso causa danos a circulação e aos vasos e podem levar ao aparecimento das inevitáveis varizes e provocar dores nas pernas.
Mas a solução existe. A Castanha da ìndia promove a circulação periférica e alivia as dores das pernas e previne o surgimento de novas varizes. Clique aqui para saber mais.

CHLORELLA

Melhor do que reparar, é poder prevenir.
Quer manter seu sangue em dia, limpinho e tonificado?
Então chegou a hora de colocar esta alga em sua vida.
A Chlorella é uma alga cultivada que é disponibilizada em tabletes e é uma das maiores fontes de vitaminas e complexo B, de maneira natural.
Para saber a dose certa pra você, tem um segredo. Se você me perguntar eu conto! 😉 Clique para ler mais.

DENTE DE LEÃO


Sabe quando a pele começa a ficar meio feia, com sinais de irritação ou coceiras?
Bem, isso é um sinal do fígado e do sangue avisando que o sistema está saturado e precisa se desintoxicar.
Ninguém melhor para ajudar neste momento do que o Dente de Leão.
Leia mais no link.

HIBISCO

Esta erva além de remineralizar o sangue, melhorar sua viscosidade, ainda é uma grande ajuda para quem deseja eliminar alguns quilinhos.
Suas propriedades adstringentes literalmente “enxugam” as gorduras do corpo.
Mas não dá pra abusar. Tome, no máximo, por 5 dias consecutivos e dê uma pausa de dois dias para que o corpo não se sobrecarregue, ok? Saiba mais sobre esta erva.

SÁLVIA


Mais uma erva versátil para equilíbrio geral das funções femininas e recuperação do sangue.
Mas o que a Sálvia acrescenta de forma especial a esta lista, é a capacidade de enviar sangue e energia vital para o cérebro, retardando os sinais comuns de envelhecimento e mandando embora a senilidade e afastando o Alzheimer e o Parkinson. Veja mais.

A lista acaba aqui e sem dúvida existem muitas outras ervas que poderiam estar relacionadas.

Mas se você quer conhecer algumas boas opções para equilibrar a saúde feminina, não vai errar se escolher as plantas descritas acima.

Algumas destas ervas são boas para homens também, mas uma dica: rapazes, evitem o Agnoscasto!

Para aprender mais sobre cuidados com a saúde feminina, clique na imagem abaixo.

NATURALMENTE SAUDÁVEL – Ervas Medicinais e Práticas Orientais para Saúde da Mulher

Você conhece uma Super-Erva?

Apesar de que seria ótimo existir uma planta que, sozinha, curasse doenças ou que fosse uma solução universal para todos os males, a ideia da super-erva está muito distante da realidade.

Acontece a toda hora, nas redes sociais e nos títulos sensacionalistas de alguns artigos, que apregoam que determinada erva pode curar tal doença ou que foi descoberta a mais nova erva que “garante” a cura disso ou daquilo.

Na verdade, existem muitas ervas medicinais poderosas e eficientes que podem contribuir de forma muito eficaz para que nossa saúde possa se restabelecer, mas não existe uma erva que, sozinha, possa curar nenhuma doença mais grave.

Se estivermos falando de pequenos desconfortos e indisposições pontuais como uma náusea, uma dor de cabeça ou uma indigestão momentânea, até é possível corrigir com apenas uma erva eficiente, de forma simples.

Porém quando estamos buscando tratar questões de saúde mais sérias, possivelmente cronicamente instaladas, não é recomendável contar apenas com o recurso de uma erva milagrosa para dar conta da situação.

Dessa forma, sempre busque compor suas formulações de fitoterápicos com um “mix” de ervas eficientes para maximizar os bons resultados de seus tratamentos.

Assim, as chances de sucesso aumentam muito e deixemos para lá a ideia de que uma erva sozinha possa dar conta de algo tão importante quanto a sua saúde.