Você conhece uma Super-Erva?

Apesar de que seria ótimo existir uma planta que, sozinha, curasse doenças ou que fosse uma solução universal para todos os males, a ideia da super-erva está muito distante da realidade.

Acontece a toda hora, nas redes sociais e nos títulos sensacionalistas de alguns artigos, que apregoam que determinada erva pode curar tal doença ou que foi descoberta a mais nova erva que “garante” a cura disso ou daquilo.

Na verdade, existem muitas ervas medicinais poderosas e eficientes que podem contribuir de forma muito eficaz para que nossa saúde possa se restabelecer, mas não existe uma erva que, sozinha, possa curar nenhuma doença mais grave.

Se estivermos falando de pequenos desconfortos e indisposições pontuais como uma náusea, uma dor de cabeça ou uma indigestão momentânea, até é possível corrigir com apenas uma erva eficiente, de forma simples.

Porém quando estamos buscando tratar questões de saúde mais sérias, possivelmente cronicamente instaladas, não é recomendável contar apenas com o recurso de uma erva milagrosa para dar conta da situação.

Dessa forma, sempre busque compor suas formulações de fitoterápicos com um “mix” de ervas eficientes para maximizar os bons resultados de seus tratamentos.

Assim, as chances de sucesso aumentam muito e deixemos para lá a ideia de que uma erva sozinha possa dar conta de algo tão importante quanto a sua saúde.

Banho de ervas funciona?

Muitas pessoas acreditam que as ervas medicinais têm poderes mágicos e propriedades energéticas extraordinárias e que podem promover mudanças em seu campo vibracional.

Mas até que ponto isso tem um fundo de verdade?

De acordo com a ciência, não há nada que corrobore esta crença. Nenhum cientista ainda se colocou na posição de promover um estudo sério a esse respeito.
Mas isso não significa que os banhos de ervas não funcionem, pois afinal, ninguém pesquisou e comprovou a sua ineficiência.
Então temos que nos voltar para a fonte de milhares de anos de sabedoria acumulada por diversas culturas e práticas espirituais, espalhadas por todo mundo.
Para estes “cientistas espirituais”, o uso de ervas para purificar, equilibrar ou vitalizar nossas energias é a mais pura realidade. Isto ainda pode ser reforçado pelo relato de um grande número de pessoas que utilizam as ervas com esta finalidade e apregoam resultados positivos.

Mas o que acontece quando tomamos um banho de ervas?

Bem, talvez a explicação mais próxima de um entendimento lógico esteja no fato de que nosso corpo, através de várias circunstâncias, acumula cargas elétricas positivas.
Ao contrário do que se poderia imaginar, as cargas elétricas positivas (ou íons positivos) nada tem de favorável para nossa saúde e bem-estar.
Sabe quando você está repleto de eletricidade estática acumulada e toma um choque ao encostar em um metal? É disso que estamos falando.
No entanto, nem sempre estamos com um nível tão alto de acúmulo de cargas elétricas que seja assim perceptível, mas acúmulos menores também podem causar desconforto, pois se manifestam na forma de tensão muscular e estresse do sistema.
Pois as ervas, quando infusionadas e convertidas em chá, mantém grande parte de seus óleos essenciais e estes são repletos de íons negativos (cargas elétricas negativas).
Assim, ao nos banharmos com estes preparados, os íons positivos acumulados em nosso corpo, são neutralizados pela ligação com os íons negativos contidos nos óleos essenciais dos chás e o organismo se libera desses excessos e isso provoca alívio e bem-estar.

Mas então é só uma questão de equilíbrio de cargas?

Para os que acreditam que outras forças também atuam nesta troca, talvez esta explicação seja muito reducionista, mas para os que são mais céticos, saber que existe uma questão de física envolvida, pode ajuda-los a se abrirem para a possibilidade de utilizar este recurso do banho de ervas, sem preconceito.
Entretanto, a natureza é muito mais misteriosa do que podemos conceber e outras forças também estão presentes, realizando sua parte neste equilíbrio.
Quem tiver disposição e mente aberta poderá descobrir que em um simples banho de ervas, existe muito mais do que se pode imaginar. Inclusive ciência.

Mantenha sua juventude com os antioxidantes.

A maior parte das pessoas gosta de ser jovem, parecer jovem e se sentir jovem.

Mas um dos principais desafios que passamos para reter a juventude é o envelhecimento das células.

A questão é que, com o tempo, nosso organismo realiza cada vez mais esforço para renovar a grande quantidade de células que precisamos para nos manter vivos.

E como para o corpo, uma célula de um rim é mais importante do que uma célula da pele – como na região do pescoço, por exemplo – e os sinais da passagem do tempo vão se acumulando.

Mas se você quiser dar uma curva no relógio e fazer com que a juventude se mantenha por perto durante muito mais tempo então você precisa conhecer os antioxidantes.

Mas o que eles fazem em nosso favor? Muita coisa.

A poluição, a má alimentação com aditivos químicos, os produtos de higiene com química pesada e até o oxigênio que respiramos, vão acumulando elementos residuais que são chamados de radicais livres.

Eles são livres porque no grande baile das substâncias que existe dentro do nosso corpo estes são os elétrons que não encontraram um par para se estabilizar e ficam “livres” passeando pelo corpo e literalmente esbarrando nas paredes das células. E de tanto bater, um dia, as células se rompem e morrem.

Lembre-se que, quanto mais idade nós temos, mais difícil é produzir novas células, então é fácil entender por que não queremos perder as que estão em bom estado, assim sem necessidade.

Aí é que entram as propriedades antioxidantes de determinados alimentos e ervas.

Esta substâncias se ligam aos elétrons livres e fazem um par com cada um deles, impedindo que permaneçam livres promovendo vandalismos com a membrana celular.

Você também pode melhorar sua saúde e favorecer a manutenção da juventude introduzindo regularmente várias ervas e alimentos antioxidantes.

Algumas dessas ervas são o açafrão da terra, moringa, pffáfia, picão preto.

Alguns alimentos e especiarias de fácil acesso que também tem esta propriedade são o alho, manjericão, sálvia, orégano, salsa.

Clique nos nomes das ervas para saber mais.

Geoterapia: uma visão para estimular a medicina das pedras

As pedras têm consciência e propósitos, são e estão na terra, nos rios e nos oceanos, nas estrelas e nos astros celestiais.

Elas propiciam a vida material e estabelecem a rica conexão com os ancestrais e os mundos, seus ensinamentos legados e revelações.

Os Quartzos são reverenciados como os neurônios da mãe terra, onde vivem organismos e pedras primitivas, como o esqueleto; a terra como a pele, e a vegetação e a água como o sangue da terra; funcionando os metais, minerais e rochas como glândulas, nervos e órgãos sensoriais.

Os cristais, pedras, minerais, são os seres que apoiam a estrutura orgânica do vegetais, animais e humanos à caminho do progresso pela relação das naturezas dos seres da Natureza.

Os Cristais possuem a habilidade da transmissão de informação, da comunicação por intermédio da ciência do magnetismo, que permeia o universo transportando mensagens e intenções.

Possuem também a habilidade de armazenar e disponibilizar documentos, situações, cenas e histórias, fora de nossos entendimentos matemáticos, além dos símbolos da geometria sagrada.

O trabalho do homem com os cristais está reservado ao ciclo vindouro do planeta, e inimagináveis serão os desdobramentos dessa interação (Trigueirinho, 1993).