11 doces razões para comer mel

Os benefícios do mel são inúmeros e impressionantes.

Aqui vão 11 super razões para você incluir o mel em sua alimentação, o quanto antes.

1º – Fortalecimento da imunidade.

Além de fortalecer o sistema imunológico e ser um produto natural com inúmeros benefícios á saúde, o mel nos oferece um açúcar saudável e possui muitos nutrientes essenciais que ajudam o corpo a regular os níveis de açúcar no sangue.

2º – Prevenção de danos cerebrais

3º – Melhoria da pele e dos cabelos

O mel tem propriedades antibióticas e princípios ativos que possibilitam seu uso para tratamento estético. Sua pele e cabelos, podem se beneficiar das propriedades deste presente da natureza.

Suas qualidades antibacterianas são particularmente úteis para a pele, e, quando utilizado juntamente com os outros ingredientes, também pode ser hidratante nutritivo. Para realizar um tratamento de beleza em casa, você provavelmente já tem todos os ingredientes em sua cozinha.

4º – Acelerador do metabolismo

Assim como a pimenta e o chá-verde, o mel pode acelerar o metabolismo. Então, se você está precisando de uma ajuda extra na dieta, fica a dica de adicionar uma xícara de chá-verde com mel para acompanhar um lanche da tarde, sem culpa.

5º – Previne o câncer e doenças cardíacas

O mel contém flavonoides, que são antioxidantes que ajudam a reduzir o risco de contrair alguns tipos de câncer e doenças cardíacas.

6º – Auxiliar no tratamento de úlceras e gastroenterite

Uma pesquisa recente mostra que o tratamento com mel pode ajudar a melhorar distúrbios, como úlceras e gastroenterite bacteriana.

7º – Melhoria da performance física

Além do alto valor energético, o mel possui conhecidas propriedades medicinais. Atletas olímpicos antigos comiam mel e figos secos para melhorar a sua performance. Esse benefício já foi comprovado em estudos modernos.

8º – Fonte de bactérias amigas do organismo

Algumas variedades de mel possuem grandes quantidades de bactérias amigáveis e inclui até seis espécies de lactobacilos e de 4 espécies de bifidobactérias. Isto pode explicar muitas das “propriedades terapêuticas misteriosas de mel. ”

9º – Poderoso cicatrizante

Na Grécia antiga, Hipócrates aplicava mel para curar feridas e os romanos qualificavam o pólen de “pó que dá vida”. Na França, milhares de pacientes utilizaram ataduras de mel no serviço de cirurgia digestiva do hospital de Limoges (centro).

10º – Equilíbrio dos doshas

O mel tem sido utilizado na medicina ayurvédica na Índia há pelo menos 4.000 anos e considera-se que ele afeta todos os três desequilíbrios materiais primitivos do corpo de forma positiva. O mel é referido nessa cultura como Yogavahi, pois tem a qualidade de penetrar nos tecidos mais profundos do corpo. Quando o mel é usado com outras preparações a base de plantas, ele melhora a qualidade medicinal dessas preparações promovendo o acesso aos tecidos mais profundos.

11º – Melhoria da visão, do peso e da sexualidade masculina

Se diz também que o mel é útil para a melhora da acuidade visual, perda de peso, para a cura da impotência e da ejaculação precoce, em distúrbios do trato urinário, na asma brônquica, diarreia e nas náuseas.

Sem abelhas, sem mel.

Das 20.000 espécies conhecidas de abelhas, apenas 7 produzem mel.

Como já dizia Albert Einstein, sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora. Sem flora, não há animais, sem animais, não haverá raça humana. Se as abelhas desaparecerem da face da terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência.

Assim podemos relacionar o grau de importância desses pequenos e poderosos insetos, à vida como conhecemos no planeta Terra.

Muito mais que um alimento saudável, ou poderoso bactericida, o mel de abelhas tem vários benefícios fundamentais a nossa saúde.

Não se preocupe. Eles comem as sementes!

Trecho extraído de meu e-book –
11 Dicas de Gastronomia para a Felicidade.

#1 – EVITE CONSUMIR AS SEMENTES DO LIMÃO

O limão é uma das frutas mais benéficas para nossa saúde e um ingrediente saboroso, de uso versátil que confere a diversos pratos seu sabor ácido e refrescante inesquecível.

Seu sumo pode ser utilizado como base para sucos verdes, para marinar alimentos, para fazer bolos e doces, mas também é amplamente usado como condimento em diversos outros pratos. Também é a base da produção do panir, um queijo fresco típico presente em várias receitas da comida indiana.

NO INTERIOR DA ÍNDIA

Conta uma história que um jovem médico ayurvédico foi chamado para substituir um velho doutor em um vilarejo muito distante na Índia.

A viagem durou muitos dias tamanha era a distância, mas quase ao chegar na vila o jovem doutor não pode deixar de notar a imensa área de terra repleta de limoeiros, a volta do local.

O viajante agora, além de cansado, estava espumando de raiva e quando foi apresentado ao velho médico disparou sem delongas:

– Como você me faz viajar toda esta distância sabendo que a região está repleta de limoeiro? – disse incrédulo. Todos sabem que quem consome limões regularmente, não precisa visitar médicos!

O velho doutor colocou a mão no ombro do jovem e com um sorriso conspirador respondeu:

– Não se preocupe. Eles comem as sementes.

A história ilustra uma informação importante:

“As sementes do limão nunca devem ser consumidas, pois dentro destas existem toxinas que podem causar problemas de saúde se consumidas regularmente”.

Também temos que ter cuidado quando as sementes são cortadas, pois as toxinas serão liberadas na polpa, inutilizando o fruto.

Saiba mais sobre a Gastronomia para a Felicidade. Clique Aqui!

Pare de culpar a maionese!

É verdade que ovos com casca fissurada são excelentes focos para agentes como a salmonela, que causam problemas de intoxicação muito sérios para milhares de pessoas, todos os anos.

Mas o que quase ninguém se dá conta é que um alimento que utilizamos quase todos os dias, oferece um perigo de intoxicação consideravelmente maior.

Quem é esse alimento? O arroz.

A maior parte do público desconhece que o nosso amado e querido arroz carrega consigo uma bacteria chamada bacillus cereus.

Pois este danado do bacilo,vive no arroz e não é eliminado apenas com a fervura do cozimento dos grãos.

Grandes empresas que vendem arroz pré-pronto tem processos caros e complicados que elevam a temperatura do preparo bem acima da capacidade de nosso fogão de casa para eliminar, entre outras coisas, o famoso bacilo.

Mas como ele atua? É assim.

Após mais ou menos uma hora do cozimento do arroz ter finalizado é que este bacilo começa a atacar e pode trazer complicações digestivas de moderadas à graves, provocam mal-estar, dores e diarréia (não necessariamente nessa ordem).

Assim, na última vez em que você passou mal naquele restaurante perto do escritório, mas não comeu maionese (que em geral é utilizada na sua forma industrializada na maioria dos estabelecimentos) tem muita chance do culpado ser o, até então, inocente arroz.

Essa chance aumenta quando comemos fora por que a maioria dos estabelecimentos tem que produzir a comida muitas horas antes do início das refeições, por questões práticas e assim, o arroz tem grande chance de ficar comprometido.

Essa é uma razão pela qual também não devemos guardar o arroz de uma refeição para outra. Mesmo que ele fique refrigerado, ainda assim a chance do bacilo atacar existe.

Então quem sabe, na próxima vez, opte pela salada!

Será?

Bom, sobre isso falamos outra vez! 🙂

Quer saber mais sobre como a alimentação afeta seu grau de felicidade?

Acesse: http://bit.ly/2FZU4Si

Mantenha-se jovem

São embriões de plantas em pleno crescimento.

Eles são uma plantinha em seu início de desenvolvimento, em um estágio avançado de germinação da semente. É na germinação o momento em que as proteínas, carboidratos e gorduras são decompostos respectivamente em aminoácidos, açúcares e ácidos graxos, tornando-se mais fáceis de serem absorvidos pelo organismo.

A germinação é o ponto de maior vitalidade no ciclo de vida de uma planta, pois alguns nutrientes da semente multiplicam-se, como a vitamina C, que é praticamente inexistente no grão de trigo, mas que uma vez germinado aumenta seiscentos por cento o seu teor.

Normalmente os brotos possuem entre 8 cm e 10 cm de altura e apresentam folhas definidas.

Já o grão germinado, no momento inicial, aparece apenas uma pequena haste.

As sementes, que são suas precursoras, apresentam concentrações até quinze vezes maiores de enzimas, atuando diretamente na digestão e melhorando o funcionamento intestinal.

Os brotos auxiliam a eliminação de toxinas, que ficam circulando em nosso corpo.

São saudáveis, naturais, nutritivos, ricos em minerais como o fósforo, magnésio, zinco e cálcio, possuem baixas calorias e nos dão a sensação de saciedade, o que ajuda na manutenção do peso.

Dentre os benefícios dos brotos na alimentação há sua ação antioxidante, que protege as células contra a ação dos radicais livres, evitando o envelhecimento precoce; são ricos em fibras, colaborando com o bom funcionamento do intestino; melhoram a disposição física; melhoram as defesas imunológicas do organismo; possuem clorofila, que ajuda na circulação sanguínea e desintoxicação do organismo além de possuírem enzimas que favorecem a multiplicação das vitaminas e dos minerais.

Existe uma variedade grande de brotos para consumo, como os de feijão, bambu, alfafa, girassol, trigo, etc.

Cada um deles possui suas devidas propriedades nutritivas. Eles duram até, no máximo, sete dias, mas quanto mais rápido forem consumidos, maior será seu potencial energético.

Tanto brotos como germinados servem para diversas preparações alimentícias, como sucos, saladas, sanduíches e refogados, o que os tornam muito fáceis de serem introduzidos como um hábito vital em nosso dia-a-dia.

Daniela Mesquita é jornalista e ministra cursos de Alimentação Viva em Florianópolis.