Sucupira

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

 A sucupira é uma árvore de madeira nobre, utilizada na fabricação de pisos e móveis. Fornece madeira muito dura, usada em construção civil. Seu fruto, só contém uma semente. Ao fazer o chá de suas sementes, a resina que desprende ficará depositada no fundo do recipiente que será utilizado para a decocção, dificultando uso para outros fins. É possível remover esta resina com instrumentos de limpeza apropriados, mas é uma tarefa árdua. A sucupira é uma das plantas medicinais com melhor ação para dores reumáticas. Mais informações abaixo.

Umas das plantas medicinais para dores reumáticas

Índice - Sucupira

Nomenclatura

Nome Popular

Sucupira

Nome Científico

Bowdichia virgiloides H.B.K

Nomes farmacêuticos

Semen bowdichiae, córtex bowdichiae, radix bowdichiae.

Nome conhecido

Acari, Acari-Açu, Choco-Pires, Coração-De-Negro, Curubai-Mirim, Cutiuba, Cutiubeira, Fava-De-Sucupira, Ormosia-Coccinia, Paracarana, Paricarana, Sapapira, Sapipura, Apupira, Sapupira-do-Campo, Sabapira, Sebipira, Sebipira-Branca, Sebipira-do-Cerrado, Sebipira-Guaçu, Sebipira-Maior, Sebupira, Secupira, Sepepira, Sepifirme-Amarela, Sepipira, Sepipira-Açu, Sapupira, Sapupira do Campo, Sapupira-Preta, Sebepira, Sebipira, Sucupira-de-Terra-Firme, Sucupira-Amarela, Sucupira-da-Mata, Sucupira-Parda, Sucupira-Pele-De-Sapo, Sucupira-Preta, Sucupira-Vermelha, Supupira-da-Mata, Sucupira-Lisa, Faveiro, Fava-De-Santo Inácio (Português) Coeur Dehors (Francês).

Nomes botânicos

Pterodon pubescens Benth, Pterodon marginatus, Pterodon polygalaeflorus, Bowdichia nítida, Pterodon emarginatus.

Família

Fabaceae.

Composição

Composição química

Amido, óleos essenciais, matérias amargas, resinas, sucupirina, sucupirona, sucupirol, taninos.

Partes usadas

Líber, casca, óleo da semente e tubérculos da raiz.

Sabor

Picante, amargo e amornante.

Propriedades Medicinais

Propriedades medicinais gerais

Aperiente, depurativo, antirreumático, diaforético, corroborante, adstringente, antifebril, antidiabético, tônico, antiblenorrágico, anti-hemorrágico, antihidróptico, antidartroso, diurético, antiartrítico (semente), anticancerígeno, vermífugo, anti-inflamatório, antibiótico, antioxidante, anestésico, antidiabético, antiedematogênico e cercaricida.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso interno

Sistema Urinário e Genital: elimina ácido úrico, blenorragia, cistos ovarianos e cistos uterinos.

Sistema Respiratório: para asma.

Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: combate e extinção de radicais livres.

Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: na escrofulose, age sobre os vasos linfáticos e na bouba.

Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: nas dores espasmódicas, lesões por esforço físico agudo, osteoartrite, bico de papagaio e hérnia de disco.

Outros distúrbios:  em casos de fraqueza geral, amigdalite, elimina vermes e para retardamento do processo de envelhecimento.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Raízes – hemorragias, debilidade orgânica, afecções gástricas, diabete e reumatismo.

Casca – hemorragias, debilidade orgânica, afecções gástricas, diabete e reumatismo.

Sementes – em tumores artríticos dos membros debilitados por sífilis ou mercúrio, reumatismo, gota e artrite.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: para impigem, eczema, cravos nos pés r afecções da pele.

Outros distúrbios: para escrofulose, afecção gotosa, bouba e para anestesia local.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Sementes – em feridas, úlceras e em manchas na pele.

Óleo essencial – evita contrair esquistossomose, reumatismo, disfunções da próstata e tumores.

Uso pediátrico

Uso não recomendado.

Uso Veterinário

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Cuidados ao Usar

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

O contato poderá provocar dermatite, conjuntivites (coceira ocular, lacrimejamento, vermelhidão) coceira e outras erupções cutâneas.

Interações medicamentosas

Possui ação antigripal quando associado ao Guaco, Sálvia, Menta e Alfavaca. Associado à Marapuama, é indicado para dores reumáticas e artrites.

Toxicidade

Planta considerada segura nas doses terapêuticas e seu consumo não deve ultrapassar 15 dias consecutivos.

Nutrição e Energia

Uso culinário e nutritivo

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia

A sucupira é uma das plantas medicinais que produz óleo essencial aromático volátil, retirado da casca e das sementes. Utilizado no tratamento de reumatismo, tumores e disfunções da próstata. O óleo essencial impede a penetração na pele da cercaria da esquistossomose.

Sistemas Florais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Uso homeopático

Bowdichea major: utilizada para tratamento da bouba, cravos nos pés, úlceras cancerosas, alguns tipos de eczemas, vegetações sifilíticas, reumatismo, diabete e blenorragia. T.M a 3ª.

Magia e Espiritualidade

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aspectos Astrológicos

A sucupira é uma das plantas medicinais que são regidas por Júpiter.

MTC e Ayurveda

Medicina Chinesa (MTC)

A sucupira é uma planta medicinal recomendada para eliminar invasão de vento-umidade-frio das articulações (síndrome Bi).

Uso no Ayurveda

Esta erva reduz vata e kapha e pode agravar pitta. Sua rasa é picante, sua virya é quente e sua vipaka é picante.

Outros Sistemas Tradicionais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Método 40-20 PRO

Categorias Medicinais

Categoria 1ervas para induzir a transpiração, subcategoria 1 e 2 • Categoria 3 – Ervas para agir contra o reumatismo • Categoria 12 – ervas que regulam o sangue, subcategoria 2 • Categoria 16 – ervas para corrigir deficiências, subcategoria 4 • Categoria 18 – ervas para expelir ou destruir parasitas • Categoria 20 – ervas para aplicações externas, subcategoria 1, 4, 5 e 6.

Macro Sistemas

5º Macro Sistema.

Origem e Plantio

Habitat

A planta ocorre no cerrado e na faixa de transição da mata atlântica nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso, Tocantins, São Paulo, Goiás e Mato Grosso do Sul.

Descrição da planta

É uma árvore rústica com floração azulada de porte médio, de 8 a 16 metros, de copa piramidal rala. O tronco tem casca lisa branco-amarelada. As raízes formam às vezes expansões de reserva, as batatas-de-sucupira. As folhas compostas bipinadas. Flores rosadas, em inflorescências terminais tipo panículo.

Como plantar

Floresce em setembro-outubro e os frutos amadurecem em junho-julho, mas ficam mais tempo na árvore. Retirar a semente do fruto é difícil. Assim, estes podem ser plantados inteiros. De qualquer forma, a taxa de germinação é baixa.  

Ciência e Bibliografia

O que diz a ciência

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Fontes de pesquisas utilizadas

http://www.plantamed.com.br/http://www.plantasmedicinaisefitoterapia.com/plantas-medicinais-sucupira.htmlhttp://www.mundodastribos.com/cha-de-semente-de-sucupira.html •  https://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/sucupira • http://www.madeiras.cc/SUCUPIRA.html •  Fitogeografia Amazônica- Fernando Castro da Cruz – Ed. Palpite • Plantas que curam – Enio Emmanuel Sanguinetti – Editora Rigel • Higiene e Tratamento Homeopático das Doenças Domésticas – Dr. Alberto Seabra – Associação Brasileira de Homeopatia • A farmácia da natureza – Irmã Maria Zatta – Ed. Paulinas • Medicina da Floresta – fonte da vida – Padre Paolino Baldassari – Rio Branco – Acre • Apostila Acupuntura com Ervas Medicinais – Rodrigo Silveira – Ervanarium •

Artigos relacionados

Coordenação de pesquisa

Rodrigo Silveira
Ervanarium Escola das Plantas

Índice - Sucupira

Deixe um

comentário

Deixe um comentário