Jurubeba

O nome vulgar da jurubeba deriva do tupi ““, espinho, e “peba“, chato. A Jurubeba é uma das plantas medicinais do gênero Solanum que deriva da palavra “consolo, alívio”, referindo-se aos efeitos analgésicos e sedativos de inúmeras de suas espécies. A planta foi descrita por Carl Linnaeus, que compreende 1.700 espécies sub-cosmopolitas, muitas delas de grande valor econômico.

Jurubeba, uma das plantas medicinais para o fígado.

Nome científico

Solanum paniculatum L.

Nome conhecido

Jaúna, Jiriveva, Juruana, Jubeba, Jumpeba, Jupeba, Jupela, Juribeba, Jurepeba, Juripeba, Gerobeba, joá-Manso, Jurubeba-Nil, Jurubeba-Verdadeira, Jurubebinha, Jurumpeba, Jurubeba-Altera, Juuna, Juvena, Juvera, Urumbeba, Juribebe, Jurubeba-Branca, Jurupeba-Altera, Jurumbeba, Juvena, Juuna, Urupeba (Português), Jurubeba (Inglês, Espanhol, Francês), Giurubeba (Italiano).

Nomes botânicos

Solanum paniculatum Pis.

Nomes farmacêuticos

Herba Solanum paniculatum.

Família

Solanaceae.

Partes usadas

Folha, fruto, flores, caule e raiz.

Sabor

Amargo e refrescante.

Composição química

Alcaloides (solamina, solanidina, solasodina), esteroides nitrogenados, saponinas, esteroidais nitrogenados (paniculina, jurubina), agliconas (isojurubibina, isopaniculidina, isojurupidina e jurubidina), ácidos graxos, ácidos orgânicos, glicosídeos (paniculoninas A e B), mucilagens, resinas (juribina e jurubepina), princípios amargos.

Propriedades medicinais gerais

Odontálgico, contraceptivo (decocção), anti-icterícia, alterante, vulnerário, sudorífico, antifebril, antiperiódico, antidispéptico, anti-inflamatório, cicatrizante, depurativo, descongestionante, digestivo, emenagogo, estimulante, estomáquico, febrífugo, hepatoprotetor, hepatotônico, laxante, antiparasitário, antipruriginoso, antimalárico, afrodisíaco, hipoglicemiante e cardiotônico.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Raízes – diurético, expectorante, antitérmico, desobstruente, amargo, antidiabético, anti-hidrópico, colagogo, tônico, aperiente, antianêmico e antidispéptico.

Flores – carminativo.

Frutos – carminativo, amargo, antidiabético, anti-hidrópico, colagogo, tônico, antianêmico, aperiente e antidispéptico.

Ramos – carminativo.

Indicações para uso interno

Sistema Gastrointestinal: para úlcera, inapetência, atonia gástrica, constipação, acidez da secreção gástrica, atonia gástrica, azia, dispepsia, problemas de estômago, gastrite e úlcera péptica, náusea, reduzir acidez da secreção gástrica, elimina vermes e na esplenomegalia.

Sistema Urinário e Genital: para catarro na bexiga, cistite e edema nos membros inferiores por retenção de líquido.

Sistema Hepático: tonifica o fígado, ingurgitamento e inflamação do fígado, impaludismo, secura biliar, hepatite, hepatoesplenomegalia, hepatopatia crônica, icterícia, malária, síndrome pós-hepatite e estimula o metabolismo das células hepáticas.

Sistema Respiratório: previne bronquite e asma, faringite crônica, amidalite de repetição, tuberculose, bronquite e tosse.

Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: na anemia ferropriva.

Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: na anorexia, debilidade, febre intermitente e na gripe.

Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: para cicatrização de mucosa.

Sistema Renal:

Outros distúrbios: para ingurgitamento e inflamação do baço, combate tumor no útero e abdômen, tumor granuloso, abscessos internos e na diabete.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: em feridas leves e supuradas e afecções da pele.

Outros distúrbios: na erisipela.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Para crianças

A jurubeba é uma das plantas medicinais indicadas para inapetência, anemia e hepatite, na infância.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

Não utilizar a erva por período prolongado devido aos seus alcaloides e esteroides, que podem provocar intoxicação. Sinais de toxidade são diarreia, duodenite erosiva, elevação das enzimas hepáticas, gastrite, náuseas, sintomas neurológicos, vômitos. Evitar uso durante a lactação.

Interações medicamentosas

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Toxicidade

A jurubeba é uma das plantas medicinais que não apresenta toxicidade nas doses recomendadas. A superdosagem pode provocar diarreia, náuseas, vômitos, erosão gástrica e duodenal, elevação das enzimas hepáticas, sintomas neurológicos e, em alguns casos, morte.

Uso culinário e nutritivo

Dos frutos, é possível fazer conservas.

Aromaterapia

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Sistemas Florais

Florais do Sul – Auxilia a resolução de culpas reencarnatórias. Florais da Amazônia – função evolutiva. Traz energia cósmica para a Terra. Elimina padrões negativos. É a transmutação do raio violeta, areja ideias conectando o pensamento com níveis mais elevados. Transforma as culpas e autopiedade. Também é boa para pessoas com dificuldades de articular (as palavras ou os gestos). Protege e relaxa para que se liberem os dons sublimes e os sentimentos delicados. Atua nos sonhos. Age no 6º chakra. Florais de Bach – associada ao floral Wild Rose por conservar a mesma função de combater a falta de vontade própria. Florais Joel Aleixo – auxilia no processo de limpeza do passado, transformando o sentimento de apego, evitando a comparação entre presente e passado. Permite que se possa ver a realidade imediata com clareza. Este floral está relacionado ao chakra esplênico, fortalecendo o lado feminino, valorizando-o e trazendo segurança à sensualidade. Florais de Minas – compõe a fórmula de fito floral Exsultat Liquor que propõe fortalecer e proteger o invólucro corporal sutil, representado principalmente por pele, unhas, cabelos e pêlos. Também compõe (com outras ervas) a fórmula de fito floral Metabilis que propõe ajudar a digerir as experiências cotidianas que habitualmente somatizam na forma de distúrbios gástricos e digestivos.

Medicina Chinesa (MTC)

A jurubeba é uma das plantas medicinais que limpam calor e dominam o fogo. Regula o Qi e o Shen (espírito). Atua nos canais do coração, fígado, pulmão, estômago e baço/pâncreas.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais

Categoria 2 – Ervas para aliviar calor excessivo do corpo • Categoria 5 – Ervas para reduzir a umidade do corpo • Categoria 11 – Ervas para regular o Qi • Categoria 19 – Ervas para úlceras e tumores.

Ayurveda

Seu nome ayurvédico é Kantakari. A jurubeba é uma das plantas medicinais que reduzem Vata e Kapha e agravam Pitta. Sua rasa é amarga e picante, sua virya é quente e sua vipaka é picante. É uma das raízes que compõe o Dashmool. Atua nos tecidos (dhatus) plasmático, sanguíneo, nervoso e reprodutivo. Tem ação no sistema digestivo, respiratório e reprodutivo. É um digestivo e purificador do plasma.

Uso homeopático

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Pets e outros animais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Informações em outros sistemas de saúde

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

O que diz a ciência

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Astrologia

A jurubeba é uma das plantas medicinais utilizadas em casos de distúrbios provenientes do trânsito de Júpiter em Virgem, Júpiter em Capricórnio, Saturno em Câncer e Urano em Virgem. Seu regente é Júpiter.

Indicações energéticas ou mágicas

É uma planta associada a entidade Afro-Brasileira: Xangô.

Habitat

A jurubeba é uma espécie autóctone da América do Sul, ocorrendo das Guianas até o sudeste brasileiro. Ocorre como planta ruderal, crescendo espontaneamente em pastagens, pomares e terrenos abandonados, lavouras perenes e capoeiras.

Descrição da planta

É um arbusto perene, com caule e ramos espinhosos, folhas verde-escuras na face superior e claras na inferior, com espinhos. O fruto é uma baga esférica, amarelada, presa a um pedúnculo comprido, agrupada em cachos. Não tolera vento frios e geadas.

Vamos plantar?

A sua reprodução se dá por sementes e, vegetativamente, por rizomas. Prefere os solos semi-arenosos e ácidos.

Artigos relacionados

Fontes de pesquisas utilizadas

http://www.plantamed.com.br/http://www.floraisdosul.com.br/site/essencias_ver.php?cod_essencia=10http://www.floraisdaamazonia.com.br/pt/?page_id=785http://www.vidafloral.com.br/blog/category/florais/page/5/http://www.ibhep.com.br/index_arquivos/fifloraisminas.htmhttp://plantarecultivar.blogspot.com/2009/03/jurubeba-solanum-paniculatum.html • Ayurveda – A ciência da longa vida – Dr. Edson D´Angelo e Janner Rangel Côrtes – Madras • Fitogeografia Amazônica- Fernando Castro da Cruz – Ed. Palpite • Anastásia Benvinda – plantas populares – Biblioteca Virtual • Plantas Medicinais – Manipulação artesanal, uso e costume popular – Angelo L. Robertina – PDF • As plantas e os planetas – Ana Bandeira de Carvalho – Ed. Nova Era • CD Rom – Ervas Medicinais – Volume 1 – Anônimo • Plantas medicinais na Amazônia e Mata Atlântica – Luiz Claudio Di Stasi e Clélia Akiko Hiruma-Lima – Editora Unesp • Manual de Fitoterapia Chinesa e Plantas Brasileiras – Mary Lannes Salles Leite – Icone Editora • ITF – Índice Terapêutico Fitoterápico – EPUB • Plantas que curam – Enio Emmanuel Sanguinetti – Editora Rigel •