Erva Mate

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A Erva Mate é uma planta medicinal que foi classificada pelo naturalista francês August de Saint Hillaire e, publicada em 1822, nas memórias do Museu de História Natural de Paris. Mais informações abaixo.

Erva Mate Planta Medicinal

Nome científico

Ilex paraguariensis A. St.-Hil.

Nome conhecido

Erva-Chimarrão, Mate, Chá-Mate, Chá-do-Paraguai, Chá-dos-Jesuítas, Chá-das-Missões, Chá-Mate-do-Paraguai, Chá-Argentino, Chá-do-Brasil, Congonha, Congonha-das-Missões, Congonheira, Erva-Mate-Legítima, Mate-Verdadeiro, Caúna, Erveira (Português), Ka´a (Paraguai), Kali Chaye, Mateestrauch (Alemão), Saint Bartholomew´s Tea (Inglês), South American Holly, Maté, Jesuit´s Tea (Inglês), Thé du Paraguay (Francês), Yerba Maté (Espanhol), Hervea, Erva-de-São Bartolomeu, Orelha-de-Burro, Chá-do-Paraná, Congonha-de-Mato-Grosso, Congonha-Genuína, Congonha-Mansa, Congonha-Verdadeira, Erva-Senhorita, Caá, Caá-Caati, Caá-Emi, Caá-Ete, Caá-Meriduvi e Caá-Ti (Língua Indígena).

Nomes botânicos

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Nomes farmacêuticos

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Família

Aquifoliaceae.

Partes usadas

Folhas e ramos.

Sabor

Amargo.

Composição química

Cafeína, teofilina, teobromina, ácidos fólicos, taninos, minerais e vitaminas A, B1, B2, C e E.

Propriedades medicinais gerais

Digestivo, diurético, estimulante, excitante, laxante, sudorífero, tonificante, hipoglicemiante, antioxidante, afrodisíaco.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso interno

Sistema Gastrointestinal: para constipação, ulcera, dispepsia e melhora a digestão.

Sistema Urinário e Genital: na disúria, edema, oliguria e retenção de líquidos.

Sistema Respiratório: para gripe, resfriado, asma, beneficia o sistema respiratório,

Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: para anemia, arritmia, insuficiência cardíaca, pressão alta, colesterol e beneficia o sistema cardíaco.

Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: na neurastenia, depressão nervosa, elimina congestão cerebral pelo calor, astenia, fadiga, isquemia, neuralgia, neurastenia, Mal de Parkinson e labirintite.

Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: no reumatismo, artrose, espasmos.

Sistema Renal: para cálculos renais.

Outros distúrbios: em casos de febre, inflamação, dores de cabeça, evita desmaios, antraz, câncer, diabete, infecções, obesidade, dores, escorbuto, sacia a fome, purifica a pele, repara o DNA, auxilia perda de peso, neutralizador da ação de radicais livres e alivia mau hálito.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: para feridas.

Outros distúrbios: para hemorroidas.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Para crianças

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

A Erva Mate é uma planta medicinal que não deve ser usada de forma continuada, nem sequer como medicamento, pois o seu conteúdo em cafeína cria dependência e tolerância, como acontece com qualquer outra droga. Pode levar a insônia e deve ser evitada na gestação. Também deve ser evitada por pessoas com ansiedade, pressão alta e problemas cardíacos. Pode causar dores de cabeça e náuseas em algumas pessoas.

Interações medicamentosas

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Toxicidade

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Uso culinário e nutritivo

É base de uma infusão famosa na região Sul do Brasil e da América do Sul chamada de chimarrão. Também pode ser consumido frio. Neste caso, é conhecido como Tereré.

Aromaterapia

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Sistemas Florais

Florais Aura Azul: traz unidade e uma concepção mais expansiva do EU. Trata do auto amor e do amor ao outro. Essência antidepressiva por excelência, influência o sistema neuronal e o fluido energético, trazendo energia vital às células. Move a energia parada trazendo mais vitalidade. Trata o pânico que aprisiona e acovarda a pessoa e ensina a confiar. Florais do Sul: atua no sistema nervoso, refazendo as sinapses e desintoxicando o mesmo para melhor receber a vibração das flores subsequentes. Ela equilibra o funcionamento entre os dois hemisférios cerebrais. Quando tomada diretamente da essência estoque, age no cansaço físico e fadiga mental. Porém, o grande trabalho da erva-mate é realizar um trabalho arqueológico no indivíduo, colocando-o frente a frente ao seu núcleo primordial de desequilíbrios. Esta ação observa-se quando a pessoa já está tomando há meses a essência. (Segundo Gurudas, o floral erva-mate tem uma grande indicação em todas as doenças mentais e também no Mal de Alzheimer).

Medicina Chinesa (MTC)

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais

Categoria 9 – Ervas que promovem a digestão.

Ayurveda

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Uso homeopático

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Pets e outros animais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Informações em outros sistemas de saúde

A Erva Mate é uma planta medicinal que dá origem uma bebida tônica e estimulante que já era conhecida pelos aborígenes da América do Sul. Em túmulos pré-colombianos de Ancon, perto de Lima no Peru, foram encontradas folhas de erva mate ao lado de alimentos e objetos, demonstrando o seu uso pelos incas.

O que diz a ciência

Estudos relacionam o consumo da erva-mate à taxas mais elevadas de câncer de bexiga, esôfago, pulmão, cabeça e pescoço. Estudos mais aprofundados relacionam que ao tomar a infusão da erva (chimarrão) em altas temperaturas, pode haver um aumento da absorção de substâncias carcinogênicas pelas células. Nesse caso, a responsabilidade não estaria associada a erva em si, mas o modo de consumo. Um estudo realizado por pesquisadores da Unesc (Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina), localizada em Criciúma, mostra que a utilização da erva-mate pode funcionar na prevenção e tratamento do mal de Parkinson. A pesquisa foi coordenada pela doutora Luciane Costa Campos, do PPGCA (Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais) e os primeiros testes foram realizados em camundongos. Chamado “O efeito da administração aguda do extrato de Ilex paraguariensis St. Hilaire (Aqüifoliacea) em modelos animais da doença de Parkinson”, o trabalho já foi aceito numa das mais importantes publicações científicas na área de fitoterapia, a revista inglesa Phytotherapy Research.

Astrologia

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações energéticas ou mágicas

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Habitat

Planta medicinal nativa da América do Sul é muito cultivada na região Sul do Brasil.

Descrição da planta

É uma árvore que apresenta um fino caule de cor cinza, folhas ovais e frutos pequenos de coloração verde ou vermelho-arroxeado. O caule é um tronco de cor acinzentada, geralmente com 20 a 25 centímetros de diâmetro, podendo chegar aos 50 centímetros. A altura é variável, dependendo da idade e do tipo de sítio. Podem atingir 15 metros de altura, mas geralmente, quando podadas, não passam de 7 metros.

Vamos plantar?

Cultivada preferencialmente em solos mais profundos, onde a raiz pode aprofundar-se com mais facilidade, a erva-mate se desenvolve melhor em locais com maior acidez e permeabilidade, bem como em terrenos mais argilosos. O plantio comumente inicia-se no mês de abril, podendo estender-se até o mês de setembro. Costuma-se cultivar inicialmente em local protegido, tais quais os viveiros, onde, uma vez plantada, a semente possa se desenvolver sob a proteção de um ambiente mais controlado até o ponto em que se torne uma muda mais resistente e pronta para ser levada a campo. Uma vez no campo, o plantio é feito em covas, preparadas com adubo orgânico para receberem as mudas, que são colocadas ordenadamente, com um espaçamento próprio, determinado pela área, sistema de produção e recursos. Durante o amadurecimento da planta, vários cuidados são necessários, tais quais: prevenção contra plantas competidoras que possam prejudicar o crescimento da erva, muitas vezes combatidas com a cobertura do solo; poda controlada das plantas para evitar o crescimento em sentido indesejado; observação do surgimento de doenças que podem causar uma perda de produção se não remediadas e o combate de ocasionais pragas que possam danificar as plantas. Durante a colheita também são levados em consideração alguns métodos apropriados para a melhor retirada e transporte da planta. Realizada manualmente, com facões, ou através de tratores, a colheita se baseia na retirada dos ramos enfolhados da planta para a posterior produção nas indústrias da erva encontrada nos comércios.

Artigos relacionados

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email