Genciana

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A genciana é uma planta medicinal que, quando macerada, pode ser utilizada para tratar anemias, escrofulose e baixar a febre. Erva importante para ser combinada com ervas da categoria 8. Como é uma erva muito amarga, é conveniente utilizar uma erva aromática em combinação para torná-la mais palatável, como a erva-doce, por exemplo. Importante não confundir a genciana com a violeta genciana. A raiz da genciana é uma das plantas mais amargas de todo mundo vegetal. Mais informações abaixo.

Genciana, planta medicinal.

Nome científico

Gentiana lutea L.

Nome conhecido

Gencianela, Genciana-Amarela, Argençana, Argençana-dos-pastores (Português), Gengiba, Junciana, Unciana, Xaranzana (Espanhol), Genciana, Gengiba, Unciana, Quina de Pobre, Genciana Amarilla, Genciana Mayor (Castellano), Xaranzana (Australiano), Genciana, Gençana, Argençana, Jansana, Arjansana (Catalão), Errosta (Vasco), Genciana, Argençana, Xensá (Galego), Yellow Gentian, Gentiane (Inglês), Gele Gentiaan (Holandes), Gelber Enzian, Bitter Wurz (Alemão), Gentiane Jaune, Grande Gentiane, Genciana (Francês), Genziana, Giansana (Italiano), Jue Chuang (Chinês).

Nomes botânicos

Asterias lutea, Swertia lútea, Gentiana scabra Bge, Gentiana Triflom Pall., Gentiana manshurica Kitag.  ou Gentiana regescens Fransh.

Nomes farmacêuticos

Radix Gentianae.

Família

Gentianaceae.

Partes usadas

Folhas e raízes.

Sabor

Amargo e frio.

Composição química

Açúcares, glicosídeo (genciopicrina), amarogencianina, fenóis, alcaloides, xantonas, pectina, princípios amargos (secoiridóides), taninos, mucilagens, fitosterol e oligossacarídeos.

Propriedades medicinais gerais

Colerético, depurativo, antidiabético, antiemético, anti-inflamatório, antimicrobiano, aperiente, colagogo, venéreo, digestivo, emenagogo, laxante, sialagogo, vermífugo, febrífugo, leucocitógeno, anti-histamínico, anti-hipersensitivo, antipirético, antirreumático e secretagogo.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso interno

Sistema Gastrointestinal: é um tônico estomacal, azia, diarreia, flatulência, gastrite, indigestão crônica, náusea, problemas digestivos, vermes intestinais, disenteria, estimulante do suco gástrico, falta de apetite, constipação e dispepsias.

Sistema Urinário e Genital: para amenorreia, edemas dos genitais, prurido vaginal, dismenorreia, herpes genital e edema genital.

Sistema Hepático: é um tônico do fígado e da vesícula, litíase biliar, icterícia, insuficiência hepática, hepatite e no paludismo.

Sistema Respiratório: na sinusite crônica e aguda.

Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: estimulante da circulação sanguínea, anemia, gota, hiperglicemia, hipertensão e varizes.

Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: para anorexia, escrofulose, esgotamento, febre, astenia, histeria, resfriado, desperta alegria, convulsões, gânglios fistulados, rinite atrófica e na depressão.

Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: para artrite, debilidade muscular, dor reumática e espasmos.

Outros distúrbios: tônico geral do organismo, alergias, convalescênça, diabetes, olhos vermelhos, garganta inflamada, otites, surdez repentina, em dores, cefaleia, abscesso, escorbuto, hipotireoidismo, síndrome de Meniere e para casos de obesidade.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: para abscessos.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Para crianças

As mesmas indicações do que para adultos, porém, é necessário ajustar a dosagem para a faixa etária.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

Evitar o uso da erva na gravidez e lactação, em casos de úlceras gastrointestinais, síndrome de Zollinger-Ellison e em pessoas nervosas. Doses elevadas podem causar dores de cabeça, dispepsia, náusea e vômito. Pacientes com histórico de hiperacidez ou pressão alta também devem evitar o uso, bem como pessoas com diarreia.  O uso prolongado desta planta pode lesar o baço-pâncreas.

Interações medicamentosas

A genciana é uma planta medicinal que interage com drogas antiácidas, inibidores da bomba de prótons e antagonistas de H2.

Toxicidade

A genciana é uma planta medicinal segura nas doses recomendadas. Dosagens elevadas podem provocar gastroenterite.

Uso culinário e nutritivo

A raiz fermentada é usada na indústria alimentícia e para produção de licores amargos.

Aromaterapia

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Sistemas Florais

Florais de Bach: Gentian para os que desanimam facilmente. Essas pessoas podem fazer progressos satisfatórios, no que diz respeito à vida cotidiana, mas, diante do menor entrave ou imprevisto, começam a vacilar, perdem a motivação e logo desanimam. Seja em relação a situações profissionais, afetivas, esportivas, de saúde. Melancólico e depressivo, a pessoa Gentian não percebe que é o seu próprio ceticismo que o impede de superar as dificuldades que surgem em seu caminho. O remédio estimula o otimismo e a coragem, ajudando a pessoa a perseverar e a aprender a conviver com as dificuldades, sem se entregar ao desânimo.

Medicina Chinesa (MTC)

Seu nome chinês é Jue Chuang. Erva utilizada em síndromes de fleuma-umidade e fleuma-umidade-calor do Fígado, em fogo do Fígado, elevação do yang do Fígado, em vento-calor do Fígado, elimina calor do Jiao médio e inferior, tonifica o sangue, vazio do yang do Rim, vazio do sangue do Fígado. Planta constituinte da fórmula chinesa LONG DAN XIE GAN WAN – Lung Tan Xie Gan Pills (Decocto de Gentiana) que tem por ação drenar Fogo Interno de Fígado (Gan) e Vesícula Biliar (Dan) e regular o Calor e Umidade dos 3 Aquecedores (Sanjiao).  Esta fórmula é indicada quando a língua estiver vermelha, com os lados mais vermelhos e revestimento amarelo e seco. Pode ser usada como vinho medicinal para direcionar energia para o alto e tratar sintomas na cabeça. Se for utilizada em conjunto com mel, direciona a energia para o Jiao médio.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais

Categoria 2 – Ervas para reduzir calor excessivo do corpo.

Ayurveda

A genciana reduz pitta e kapha e agrava vata. Sua rasa é marga, sua virya é fria e sua vipaka é picante.

Uso homeopático

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Pets e outros animais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Informações em outros sistemas de saúde

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

O que diz a ciência

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Astrologia

A genciana é uma planta medicinal regida pelo Sol e associada ao signo de Leão.

Indicações energéticas ou mágicas

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Habitat

Habita prados e encostas da Europa central e Meridional. Prefere os solos calcários. Em Portugal, assim como no Brasil, é raro encontrar esta planta em estado silvestre.

Descrição da planta

É uma planta vivaz da família das Gencianáceas, que atinge de 60 a 100 cm de altura. Seu caule é liso e ereto. Suas folhas são ovaladas e opostas uma em frente à outra. Após dez anos em crescimento, suas flores nascem, em cachos entre as folhas e são de um tom amarelo vivo.

Vamos plantar?

A genciana é uma planta medicinal que se multiplica-se por sementes e por divisão de touceiras. Pode ser cultivada em vasos.

Artigos relacionados

Fontes de pesquisas utilizadas

http://www.plantamed.com.br/http://floraislilimachado.wordpress.com/tag/gentian/http://www.santosflora.com.br/exibeproduto/ervas+medicinais/gencianahttps://www.criasaude.com.br/N3348/fitoterapia/genciana.htmlhttp://www.plantasonya.com.br/hortas-e-medicinais/genciana-genciana-lutea.html • Chinese and related North American Herbs  – phytopharmacology and therapeutics values – Thomas S. C. Li – CRC Press • Ervas do Sítio –  Rosy L. Bornhausen – Bel Comunicação • Apostila de Fitoterapia Chinesa – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • Fitoterapia Chinesa – As síndromes mais comuns no Ocidente – PDF • Herbal medicines in pregnancy and lactation – an evidence-based approach – Edward Mills, Jean-Jacques Dugoua, Dan Perri, Gideon Koren – Taylor and Francis • Herbal Tonic Therapies – Daniel B. Mowrey Ph.D -NTC Contemporary •
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.