Pimenta Preta

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

A Pimenta Preta é um dos condimentos mais antigos, usado na Índia há mais de 4.000 anos. Também foi usado na Grécia e na Roma antigas. Sua fruta é primeiro verde, depois, vermelha, depois amarela e finalmente preta ao secar. Na sua variedade verde, é menos picante e menos quente. A variedade branca deriva da pimenta preta, descascada em água e contém poucos óleos essenciais.

Pimenta Preta Planta Medicinal

Nome científico

Piper nigrum L.

Nome conhecido

Pimenta Branca, Pimenta-do-Reino, Pimenta Verde (Português), Filfil Aswad (Árabe), Pimienta Negro (Espanhol), Poivre Noir (Francês), Black Pepper (Inglês), Pepe Nero (Italiano), Pimenta Preta, Pimenta-do-Reino (Português de Portugal).

Nomes botânicos

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Nomes farmacêuticos

Fructus Piperis Nigri.

Família

Piperaceae.

Partes usadas

Frutos.

Sabor

Picante e quente.

Composição química

Cálcio, fósforo, eugenol, miristicina, ferro, monoterpenos (sabineno, pineno), beta-pineno, mirceno, limoneno, delta-3-careno, sesquiterpenos (beta-cariofileno, humuleno, beta-bisabolono, cetona e óxido cariofileno), piperina, piperidina (azinano), safrol, vitaminas A, B, C.

Propriedades medicinais gerais

Estimulante, expectorante, carminativo, anti-helmíntico, vasodilatador, analgésico, tonificante, digestivo, antidiarreico, anticonvulsionante, antitumoral, antiparasitário, antifúngico, renal, antidiabético, desintoxicante, antibacteriano, diaforético, febrífugo, aperiente e estomáquico.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso interno

Sistema Gastrointestinal: para indigestão crônica, elimina o acúmulo de toxinas no cólon, obesidade, na diarreia crônica, dores viscerais, digestão lenta, alivia cólica, estimula a produção de sucos gástricos, flatulência, prisão de ventre, distensão abdominal e nos vômitos.

Sistema Hepático: para malária.

Sistema Respiratório: para sinusite (na forma de rapé), congestão dos seios da face, rejuvenescedor do sistema respiratório, asma, bronquite, pneumonia e tosses.

Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: para frio nas extremidades do corpo, anemia, elimina toxinas do sangue, estimula a microcirculação e alivia problemas circulatórios.

Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: febres intermitentes, gripe, resfriado, estimulante da vitalidade e elimina toxinas da cabeça.

Sistema Renal: na glomerulonefrite crônica.

Outros distúrbios: como estimulante das suprarrenais, pequeno mal epilético, náusea, tumores abdominais, verminose, diabete, dor de garganta, ativação do metabolismo em geral e nas dores.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: para micose.

Músculos, ossos e articulações: na artrite reumatoide e em dores.

Outros distúrbios: para tosses, calafrios e nas perturbações digestivas.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Para crianças

Não é recomendado o uso.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

A Pimenta Preta é uma planta medicinal que deve se evitar o uso em pessoas com afecções do trato digestivo, gastrite, úlceras digestivas, inflamações do trato intestinal e no sistema renal, cistite, em distúrbios por excesso de calor, hiperacidez, secura relacionada com agravamento de Pitta, em pessoas com hemorroidas. O óleo essencial não deve ser ingerido e a erva também deve ser evitada em casos de deficiência do yin e na presença de calor.

Interações medicamentosas

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Toxicidade

A Pimenta Preta é uma planta medicinal segura nas doses recomendadas. Em excesso, pode causar irritação no aparelho digestivo, úlcera, colite, câncer de cólon intestinal e hemorroidas.

Uso culinário e nutritivo

A Pimenta Preta é uma planta medicinal que é fonte de cromo. É um dos condimentos mais utilizados no mundo, principalmente para o preparo de carnes. Faz parte de diversas masalas famosas. É um conservante natural dos alimentos.

Aromaterapia

O óleo de pimenta-do-reino (pimenta preta) tem uma cor ligeiramente âmbar e odor de óleo de cravo-da-índia. Tem ação energizante sobre o trato digestivo, sendo usado para tratar prisão de ventre, na flatulência e na perda de apetite. Estimula o sistema respiratório e a eliminação da urina. Restaura o vigor da musculatura no caso de prolapso do cólon ou do útero. Como essência aquecedora, a pimenta-do-reino é boa contra resfriados, gripes e febres, eliminando mucosidades e congestão nasal. Estimula a circulação, age como tônico do baço e é um agente antitóxico para certos tipos de envenenamento alimentar. É um bom analgésico em casos de dores musculares, dores de dentes ou de angina. Como estimulante, é útil na artrite reumatoide e em casos de paralisia. Não deve ser ingerido por via interna.

Sistemas Florais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Medicina Chinesa (MTC)

A Pimenta Preta é uma planta medicinal que aquece o interior e expele frio, utilizado para eliminar frio no estômago e frio no aquecedor médio. Atua nos canais dos Pulmões, Estômago, Intestino Grosso e Baço/Pâncreas.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais

Categoria 3 – Ervas para agir contra o reumatismo.

Ayurveda

Seu nome ayurvédico é Marich/Maricha. A Pimenta Preta é uma planta medicinal que equilibra Vata e Kapha e agrava Pitta. Sua rasa é picante, sua virya é quente e sua vipaka é picante. Atua nos tecidos (dhatus) plasmático, sanguíneo, adiposo, nervoso e medula óssea. Esta é uma erva rajásica. Tem ação no sistema digestivo, circulatório e respiratório. Deve-se evitar uso em pessoas com Pitta agravado. Compõe o trikatu juntamente com gengibre e pimenta longa, combinação utilizada para eliminar umidade e frio pesados do inverno, além de gripes, tosses, coriza e má circulação. É uma erva leve, seca e penetrante que ajuda a desintoxicar os tecidos mais profundos. Tonifica o agni (fogo) digestivo. Remove acúmulos das células. Juntamente com gurmar, turmeric, neem, shilajit forma boa combinação para tratamento de diabetes. Pimenta preta, gengibre e limão são utilizados em conjunto para baixar a febre. Combinada com Pippali elimina umidade e fleuma dos pulmões. Combinada com funcho, gengibre, chitraka e hingu para estimular a digestão. Com tumeric, karela e sementes de feno grego, é utilizada para baixar açúcar do sangue. Para tonificar o fogo digestivo é combinada com gengibre seco, guduchi e pippali. Nas febres intermitentes com ama, é utilizada conjuntamente com óleo de castor. Com gurmar, turmeric, neem e shilajit é usada para tosses e excesso de Kapha.

Uso homeopático

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Pets e outros animais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Informações em outros sistemas de saúde

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

O que diz a ciência

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Astrologia

A Pimenta Preta é uma planta medicinal utilizada para intensificar o elemento fogo no mapa. Esta planta é regida por Marte. Utilizada em condições de desarmonias provenientes do trânsito de Saturno em Libra, Netuno em Touro e Netuno em Capricórnio.

Indicações energéticas ou mágicas

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Habitat

A pimenteira é oriunda do Sudoeste da Índia e atualmente é cultivada em zonas tropicais.

Descrição da planta

Esta é uma planta trepadeira perene que pode atingir até 5 metros de altura, ramos de crescimento e reprodutivo, folhas verdes claras com formato de coração, raízes adventícias e algumas pivotantes, flores femininas, masculinas ou bissexuais reunidas em inflorescências, fruto (baga) pequeno e globoso com uma só semente, em espigas, de cor avermelhada quando maduro.

Vamos plantar?

Esta planta pode ser cultivada com iluminação solar direta ou em sombra parcial. Cultive em solo bem drenado, profundo, fértil e rico em matéria orgânica. O pH ideal do solo é de 5,5 a 6,0. Irrigue de forma a manter o solo sempre úmido, mas sem que permaneça encharcado. O plantio é geralmente realizado no início da estação mais chuvosa do ano. Embora o plantio possa ser feito através de sementes, estas poucas vezes são usadas, isso porque as mudas demoram mais para crescer e começar a produzir, e porque as plantas nascidas de sementes podem não ter as características e a produtividade da planta progenitora. Assim, o plantio da pimenta-preta ou pimenta-do-reino é feito normalmente por estaquia. Os ramos que serão usados para propagar as plantas devem ter cerca de 1 cm de diâmetro, 25 a 50 cm de comprimento e pelo menos 3 nós. Estes podem ser plantados em vasos, sacos plásticos para mudas ou outros recipientes, com solo mantido bem úmido até que as mudas enraízem. Quando as mudas estiverem bem desenvolvidas, o que leva três ou quatro meses, são transplantadas para o local definitivo. O espaçamento recomendado é de 2 a 3 metros entre as plantas. A pimenta-preta ou pimenta-do-reino pode ser cultivada em vasos grandes, mas a produtividade será pequena quando cultivada assim.

Artigos relacionados

Fontes de pesquisas utilizadas

http://www.plantamed.com.br/https://hortas.info/como-plantar-pimenta-do-reino • Ayurveda – A ciência da longa vida – Dr. Edson D´Angelo e Janner Rangel Côrtes – Madras • A astrologia da Mãe-Terra – Márcia Starck – Pensamento • As plantas e os planetas – Ana Bandeira de Carvalho – Ed. Nova Era • Ayurvedic medicine – the principles of tradicional practice – Sebastian Pole – Churchill Livingstone • Apostila de Fitoterapia Chinesa – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • Pimenta-do-Reino – Ana Paula Artimonte Vaz e Marçal Henrique Amici Jorge – EMBRAPA •
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.