Hidraste

Esta erva se encontra em risco de extinção, em estado natural, nos E.U.A. É uma erva cara que pode ser substituída por outras plantas mais acessíveis. O Hidraste é indicado para combater o catarro. Seu uso é muito popular nos Estados Unidos e Canadá. Utilizada como corante amarelo por índios norte-americanos. Estes também usam sua gordura como repelente. Esta erva é usada com a eufrásia, como tônico para os olhos, com a gotu-kola como tônico para o cérebro, com a videira indígena como tônico para o sistema geniturinário feminino, e com a casca de cáscara sagrada, como tônico para o intestino grosso. Apenas 34% do Hidraste comercializado no mundo vem de áreas cultivadas.

Hidraste, planta medicinal antiinflamatória.

Nome científico

Hydrastis Canadiensis L.

Nome conhecido

Hidrastis, Hidrastis do Canadá (Português), Golden Seal, Golden-Seal, Golden Seal, Yellow Root (Yellow-Root), Orange-Root, Yellow Puccoon, Jaundiceroot, Yelloweye, Yellow Paint, Indian Turmeric, Indian Dye, Indian Plant, Wild Turmeric, Turmeric Root, Ground Raspberry, Eye-Root (Eyeroot), Eye-Balm (Eyebalm), Warnera, Ohio Curcuma, Wild Curcuma (Inglês), Sceau d’or, hydraste, Hydraste du Canada (Francês), Kanadische Gelbwurzel, Kanadische Orangenwurzel (Alemão), Idraste (Italiano).

Nomes botânicos

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Nomes farmacêuticos

Rhizoma Hydrastis.

Família

Ranunculáceas.

Partes usadas

Rizoma e raiz.

Sabor

Amargo, ácido, adstringente e frio.

Composição química

Hidrastina, berberina, berberastina, alcaloides isoquinolinicos, canadina, sanguinarina óleo essencial, resinas e glicídios, vitaminas A, B e C, ácido chologênico, albumina, gorduras, açúcar e sais minerais como fósforo.

Propriedades medicinais gerais

Antisséptico, anti-inflamatório, antibiótico, adstringente, hemostático, vasoconstritor, colagogo, digestivo, antibacteriano, antiamebiano, descongestionante ocular, anti-hemorrágico, expectorante, tônico amargo, antiacetilcolinesterase, antiartrítico, anticancerígeno, anticarcinogênico, anticonvulsivo, antihelicobater, antimitotico, antiperiodico, antiperistáltico, antipirético, antitrypanossomico, antitússivo, antiulcerativo, bilirubinolítico, cardiotônico, colerético, colírio, detergente, diurético, emético, emenagogo, fungicida, alucinógeno, hepatotônico, laxativo, hipertensivo, hipotensivo, imuno-estimulante, insetífugo, mio estimulante, protisticida, secretagogo, sedativo, sialagogo, estomáquico, trophorestorativo, uterotônico, citotóxico, aperiente, uterocontrator, alterativo, repelente e corante.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso interno

Sistema Gastrointestinal: em hemorroidas sanguinolentas, dispepsias, indigestão ácida, úlcera duodenal, problemas digestivos, colite, constipação, diarreia de viajante, doença de Crohn, estomatite, gastrite, duodenite, halitose, úlcera gástrica, intoxicação alimentar e no sangramento digestivo.
Sistema Urinário e Genital: para menstruação excessiva, metrorragia, menorragia, tônico geral das funções reprodutivas femininas, infecções vaginais (ducha interna), dismenorreia, sangramento uterino no pós-parto, leucorreia, clamídia, candidíase, vaginite, endometriose, gonorreia, hemorragia anormal, cistite, sífilis, miomas, uterite, retenção de líquidos, cólica menstrual e nas inflamações uterinas.
Sistema Hepático: para cirrose, malária, barro biliar com icterícia, colecistite e hepatite.
Sistema Respiratório: para catarros, tosse com muco, catarros nasais, faríngeos e brônquicos, asma, bronquite, difteria, hidropsia, hemoptise, renite, faringite, tuberculose, pneumonia e sinusite.
Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: em hemorragias, arritmia, cardiopatias e na neutropenia.
Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: para inchaço das glândulas linfáticas, adenopatia, mal de Alzheimer, herpes, leishmaniose, lúpus, nervosismo e síncope.
Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: para mucosas internas, artrose, mialgia e na ciática.
Sistema Renal: para nefrite.
Outros distúrbios: para enjoo matutina na gravidez (em pequenas doses), amigdalite, febres crônicas, problemas na garganta, doenças dos olhos, elimina giárdias, cólera, câncer de mama, câncer de ovário, câncer de lábio, câncer de pele, câncer de pâncreas, câncer de estômago, câncer de útero, boca seca, surdez, diabete, otite purulenta, suores noturnos, ozena, pancreatite, gangrena, prolapsos, tinnitus, varíola e para hipersensibilidade das mucosas.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: para micoses, doenças de pele em geral, eczema, machucados, exantema, impetigo e acne.
Cabeça e face: para catarros nasais, faríngeos e brônquicos (gargarejos), conjuntivites, seborreia, epistaxe, caspa e infecções oculares.
Cavidade bucal: na piorreia e gengivite.
Outros distúrbios: para hemorroidas.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Para crianças

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

Seu uso excessivo pode diminuir a absorção de vitaminas B, pois reduz as bactérias intestinais favoráveis que influenciam a produção e a assimilação dessas vitaminas. Contraindicado para gestantes, pois pode causar icterícia no recém-nascido. Também deve ser evitada em hipertensos, pois pode elevar a pressão sanguínea e também em pessoas que contraíram resfriados por frio. Erva não deve ser usada por período superior a três meses. Seu uso pode causar náusea, vômitos, neurastenia e vertigens. Pode ainda prejudicar a flora intestinal que está equilibrada e tem muito dos efeitos adversos de diversos antibióticos. A planta fresca pode causar irritação das mucosas.

Interações medicamentosas

Faz boa associação com outras ervas alterativas como a Equinácea, Mirra, Alho e Chaparral. Esta erva é habitualmente associada ao Hamamélis (Hamamelis virginiana) para tratar problemas circulatórios. Associada a Bardana (Arctium lappa) é utilizada para tratamento de frouxidão vaginal. Associada a Hera Terrestre (Hedera helix) é utilizada como expectorante. Faz interação com drogas que metabolizadas pelas enzimas CYP3A4 e P-450, APAP, anticoagulantes, antiarrítmicos, anti-hipertensivos, Depressores do SNC, cyclophosphamida, glicosídeos cardíacos, anestésicos em geral, NSAID´s e outros drogas altamente ligadas a proteínas, isoprenalina, MAOI´s, paclitaxel, barbitúricos, potenciais foto sensibilizadores, pyrimetamina e tetracyclina. Associada a flores de Lima e Valeriana para baixar a pressão.

Toxicidade

Doses terapêuticas desta erva podem ter efeito tóxico. Seu uso externo, inclusive, pode provocar ulcerações. Dosagens excessivas via oral pode provocar convulsões como as provocadas por estricnina e podem levar a parada respiratória, paralisia e morte. É uma erva potente, mas seu uso pode oferecer riscos. No entanto, há poucos dados de intoxicação aguda pela erva em humanos. A agência reguladora do Canadá não permite seu uso para preparados para ingestão via oral. A hidrastina pode ser seu componente tóxico. Mortes por ingestão de berberina já foram reportadas.

Uso culinário e nutritivo

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Sistemas Florais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Medicina Chinesa (MTC)

Na Medicina Chinesa esta erva é utilizada como um antimicrobiano para tratamentos de disenteria e diarreia. Indicada em casos em que a língua apresenta uma capa amarela grossa com raiz. Atua nos canais do Coração, Estômago, Fígado e Intestino Grosso. Seu elemento predominante é a Madeira.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais

Categoria 9 – ervas para promover a digestão • Categoria 10 – ervas para suprimir a tosse e reduzir catarro • Categoria 16 – ervas para corrigir deficiências • Categoria 17 – ervas para contrair e obstruir os movimentos • Categoria 18 – ervas para expelir ou destruir parasitas • Categoria 20 – ervas para aplicações externas •

Ayurveda

O Hidraste reduz Pitta e Kapha e agrava Vata. Sua rasa é amarga e adstringente, sua virya é fria e sua vipaka é picante. Esta erva atua nos tecidos plasmático e sanguíneo e nos sistemas digestivo, circulatório e linfático. O Hidraste elimina fermentações e bactérias do trato digestivo e purifica a flora intestinal. Também é um desintoxicante do sistema circulatório. Seda e regula as funções do fígado e do baço. Reduz toxinas e o excesso de tecidos do corpo. Purifica as membranas do excesso de muco. É uma das mais poderosas ervas anti-Pitta disponíveis no ocidente.

Uso homeopático

Conhecida como Kali bichromicum. LEUCORRÉIA – 15 gotas de Hydrastis C5 antes das refeições de 6 em 6 horas. METRITE – 15 gotas de Hydrastis D3 antes das refeições de 6 em 6 horas. SINUSITE – 15 gotas de Hidrastis D3 antes das refeições. CATARRO – 6C, a cada 3 ou 4 horas. CONSTIPAÇÃO – 6C, a cada 3 ou 4 horas. ULCERAS COM MUCO AMARELO NO LÁBIO INFERIOR – 6C, a cada 3 ou 4 horas.

Pets e outros animais

Planta tóxica para gatos.

Informações em outros sistemas de saúde

Erva utilizada pelos índios Cherokees para repelir insetos, tratar doenças dos olhos e problemas digestivos. Outras tribos norte-americanas também utilizam a erva para tratamento de diversas doenças de ação microbiana como problemas de pele, úlceras, gonorreia, doenças dos olhos e câncer. Os índios Iroquois utilizam a erva para tratar catarro e diarreia.

O que diz a ciência

Os alcaloides desta erva possuem ação antitumoral e agem contra Doença de Chagas. Foi contatada ação antibiótica efetiva contra diversos fungos, bactérias e protozoários.

Astrologia

Seu regente é Netuno. Erva associada ao signo de Peixes. Outra fonte (Herbal Magick – a witchs guide to herbal folklore and enchantments – Gerina Dunwick) informa que seu regente é o Sol.

Indicações energéticas ou mágicas

Erva associada ao elemento fogo.

Habitat

A erva é natural de bosques montanhosos e úmidos da América do Norte. Não se cria no continente Europeu.

Descrição da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Vamos plantar?

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Artigos relacionados

Fontes de pesquisas utilizadas

http://www.plantamed.com.br/https://www.criasaude.com.br/fitoterapia/hidraste.html • Enciclopédia de Medicina Natural – Marcílio Franco da Costa Pereira – Madras • A astrologia da Mãe-Terra – Márcia Starck – Pensamento • La vuelta a los vegetales – Carlos Hugo Burgstaller Chiriani – Hachette • As plantas e os planetas – Ana Bandeira de Carvalho – Ed. Nova Era • The Consultation in Phytotherapy – the herbal practicioner´s approacho to the patience – Peter Conway – Churchill Livingstone Elsevier • Farmacodinâmica Homeopática – João Miguel Novaes – pdf • Plantas que curam – Enciclopédia das Plantas Medicinais – Volume 1 – Dr. Jorge D. Pamplona Roger • 100 Plantas para viver até os 100 anos – Anônimo – PDF • The Yoga of Herbs – Dr. David Frawley and Dr. Vasant Lad – Lótus Press • The Way of Herbs – Michael Tierra C.A, N.D – Pocket Books • Perfeccionamiento en acupuntura, oligoelementos y fitoterapia – Yves Requena • Canadian Medicinal Crops – Ernest Small e Paul M. Catling – NRC Research Press • Veterinary Herbal Medicine – edited by Susan G. Wynn, Barbara J. Fougère – Mosby/Elsevier • Medical Toxicology of Natural Substances – Foods, Fungi, Medicinal Herbs, Plants and Venomus Animals – Donald G. Barceloux MD, FAACT, FACMT, FACEP – Wiley – a Jonh Wiley & Sons, INC., Publication • Handbook of Medicinal Herbs – James A. Duke with Mary Jo Bogenschutz-Godwin, Judi duCellier, Peggy-Ann K. Duke – CRC Press • Tylers Herbs of Choice – the terapheutic use of phytomedicinals – Dennis V. C. Awang – CRC Press • Herbal Antibiotics – natural alternatives for treatings drug-resistants bacteria – Stephen Harrod Buhner – Storey Books • Natural Eye Care – an Encyclopedia – Complementary Treatments for Improving and Saving Your Eyes – Marc Grossman, O.D., LAc & Glen Swartwout, O.D. – NTC Contemporary • Family Homeopathy – a practical guide for home treatment – Paul Calinnan – NTC Contemporary • Herbal Manual – the medicinal, toilet, culinary and other uses of 130 of the commonly used herbs – Harold Ward – L.N. Fowler and Co. Ltda • Herbal medicines in pregnancy and lactation – an evidence-based approach – Edward Mills, Jean-Jacques Dugoua; Dan Perri; Gideon Koren – Taylor and Francis • Herbal Remedies – Andrew Chevalier – DK • Encyclopedia of Homeopathy – the definitive home guide to homeopathic remedies and treatments for commons ailments – Dr. Andrew Lockie, MRCGP, FFHom – DK Delhi • Pharmacodynamic basis of herbal medicine – Manuchair Ebadi -Taylor and Francis • Herbal Magick – a witchs guide to herbal folklore and enchantments – Gerina Dunwick – New Page Books •