Bardana

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Um dos mais poderosos purificadores naturais, do sangue e do fígado. Tão poderoso que esta erva deve ser consumida em pequenas doses, inicialmente. Mais informações abaixo.

A bardana é uma das plantas medicinais purificadoras.

Nome científico

Arctium lappa L.

Nome conhecido

Baldrana, Bardana-Maior, Carrapicho-de-Carneiro, Carrapicho-Grande, Erva-dos-Pega-Massos, Erva-dos-Tinhosos, Gobô, Labaca, Lapa, Orelha-De-Gigante, Pega-Nossa, Pegamassa, Pegamasso, Pegamaço-Maior, Pegamoço, Pejamaço, Perga-Masso (Português), Arctii Lappae (Latim), Burdock (Inglês), Bardana (Espanhol), Bardane (Francês), Bardana Maggiore, Lapp Bardana, Lappola (Italiano), Große Klette (Alemão), Niu bang (Chinês), Gobo (Japonês).

Nomes botânicos

Arctium chaorum Klok., Arctium lappa subsp. Majus Arènes, Arctium leiospermum Juz. Et al., Arctium majus (Gaertn.) Bernh., Lappa major Gaertn., Lappa vulgaris Hill.

Nomes farmacêuticos

Radix Arctii.

Família

Asteraceae.

Partes usadas

Raiz, folhas, sementes, flores secas e fruto.

Sabor

Amarga, picante, adstringente e fria.

Composição química

Acetado de diidrofuquinona, ácido caféico, ácido clorogênico, ácidos orgânicos, ácidos graxos, ácido arético, ácido tânico, antibiótico (semelhante à penicilina), arctiina, arctinona, articol, arctiopricina, benzaldeído, carbonato de potássio, -eudesmol, fenil-acetaldeído, fitosteróis (sitosterol e stigmasterol), fuquinona, inulina, lapina, lapolina, mucilagens, nitrato de potássio, palmitato de diidrofuquinona, gobosterina, polifénois, resina, sais minerais, taraxasterol. A raiz apresenta proteínas, glicídios, fibras, cálcio, fósforo, ferro, vitamina A, B1, riboflavina, niacina e vitamina C.

Propriedades medicinais gerais

Antiescorbútico, anti-inflamatório, antimicrobiano, antineoplásico, antiseborréico, antisséptico, bactericida, colagogo, colerético, depurativo, diurético, emoliente, fungicida, hipoglicemiante, lenitivo, purificante, sudorífero, tônico, calmante, remineralizador, alterativo, antidiabético, antileucêmico, antifleumático, antipirético, antirreumático, antitumoral, aperitivo, adstringente, bifidogênico, carminativo, citoprotetor, demulcente, desmutagênico, desintoxicante, digestivo, hepatotônico, imuno-estimulante, linfotônico, prébiótico, estomáquico, uterotônico, gastro-estimulante, hipocolesterogênico, imunomodulador, lipolítico, febrífugo, digestivo, antioxidante, hepatoprotetor e antibiótico.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Raízes – antitérmico, depurativo, tônico, adstringente, resolutivo, diurético, antisséptico, emoliente, uricosúrico, antibacteriano, litagogo.

Frutos – sudorífico, antitérmico, antibacteriano, resolutivo, laxativo e expectorante.

Indicações para uso interno

Sistema Gastrointestinal: para muco estomacal e intestinal, prisão de ventre, gastrite, hemorroidas, para intoxicações, úlcera, hidrata os intestinos e na flatulência.

Sistema Urinário e Genital: para afecções do trato genital, cálculos urinários, incontinências, dismenorreia, impotência, ácido úrico, leucorreia, sífilis, uretrite e retenção de líquidos.

Sistema Hepático: para cólicas biliares, enfermidades hepáticas, protege o fígado principalmente contra os efeitos do álcool e demais substâncias tóxicas, colecistite, cálculos biliares e icterícia.

Sistema Respiratório: para bronquite, hidropsia e para tosse com catarro amarelo.

Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: na anemia, enfermidades cardíacas, gota,

Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: na herpes simples, alergias em geral, adenopatias, resfriado, gripe, escrófula, ciática, acalma os nervos e na epilepsia.

Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: para artrite, auxilia em reumatismos, artrose, cisto sinovial, tenossinovite, fraturas de ossos e na lesão traumática dos meniscos.

Sistema Renal: para cólica nefrítica.

Outros distúrbios: atua sobre estafilococos e estreptococos, dermatites descamantes, dermatoses purulentas, dermatite seborreica, auxiliar no trato da diabetes, doenças crônicas da pele, doenças infecciosas, furunculoses, lepra, psoríase, tonificação da pele, tumores, auxilia eliminação de metais pesados, tonsilites, faringites, rubéola, impetigo, dermatomicoses, para câncer de mama, câncer de cólon, câncer de joelho, câncer de fígado, câncer de lábio, câncer de estômago, câncer de língua, câncer de útero e cancro, catapora, picada de cobra, vertigem e em sarampo.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: para tinha, acne, eczema, cicatrização de feridas e ulcerações, micoses de unha, dermatites descamantes, dermatite seborreica, dermatoses purulentas, urticárias, erisipelas, dermatomicoses, cistos, verrugas, psoríases, pele oleosa, abscessos, afecções da pele, furúnculos e na sarna.

Cabeça e face: alopecia, estimula o couro cabeludo, escabiose e em tratamentos capilares de queda de cabelos escuros.

Músculos, ossos e articulações: nas torções e para joanete.

Outros distúrbios: acalma dor e inchaço das picadas de insetos.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Para crianças

Desaconselhado uso interno, exceto como alimento.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

Proibido uso na gestação. Evitar uso infantil e também em casos de diarreia crônica. Evitar uso em abscessos já drenados. O uso externo pode provocar irritação cutânea e ocular, no uso local. O uso excessivo pode causar dilatação da pupila e secura da boca. Evitar em casos de frio no estômago e quando houver excesso de sudorificação.

Interações medicamentosas

Pode entrar em conflito com medicamentos hipoglicemiantes.

Toxicidade

O aparecimento de uma descompensação tensional pode ser possível devido à eliminação de potássio, podendo ocorrer uma potenciação do efeito dos cardiotônicos. Não é recomendado o uso interno para crianças, apenas nas doses culinárias. Informações equivocadas alegam que no caule da planta existe uma substância tóxica chamada atropina devida a contaminação com a Belladonna, porém a planta de fato não contém esta substância de forma natural e novos incidentes de contaminação com Belladonna nunca mais foram reportados.

Uso culinário e nutritivo

Do ponto de vista nutricional, esta raiz apresenta boas qualidades: fornece proteínas, glicídios, fibras, cálcio, fósforo, ferro, vitamina A, B1, riboflavina, niacina e vitamina C. Assim como todas as raízes, a bardana também é rica fonte de sais minerais.

Aromaterapia

Seu óleo essencial não tem aplicações na aromaterapia, porém é empregado para eliminar caspa quando aplicado sobre o couro cabeludo ou utilizado para produzir pomadas para feridas e promover cicatrização.

Sistemas Florais

Florais das Plêiades: para ansiedade, medo e preocupação pelo futuro, baixa imunidade, insônia ou sono fragmentado, dificuldade de respiração, falta de concentração para meditar ou estudar. Item componente das fórmulas compostas da Coragem, Sabedoria, Serenidade e da Purificação.

Medicina Chinesa (MTC)

Seu nome chinês é Niu bang. A bardana elimina umidade, fleuma e frio, promove a desintoxicação do corpo, elimina umidade-fleuma-calor, elimina calor tóxico do corpo, para vazio do Qi do Rim, para estagnação do Qi do Útero, para expulsar invasão de vento-calor externo com formação de eczemas, para vazio do Qi do Baço, plenitude calor do Baço, Estômago, Pulmão e Intestino Grosso. Elimina calor tóxico do Pulmão e do Estômago. Erva integrante da fórmula chinesa Zhu Ye Liu Bang Tang, para tratamento de falta de circulação de Qi no pulmão, irritabilidade, catarro, inquietude, raches, desintoxicação e limpeza de calor interno. Atua nos canais do fígado, vesícula biliar, pulmões, bexiga, estômago, intestino grosso, baço/pâncreas e rins.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais

Categoria 1 – Ervas para induzir transpiração • Categoria 2 – Ervas para calor excessivo dentro do corpo • Categoria 5 – Ervas para reduzir a umidade do corpo • Categoria 10 – Ervas para suprimir tosse e reduzir catarro • Categoria 19 – Ervas para úlceras e tumores • Categoria 20 – Ervas para aplicações externas.

Ayurveda

A bardana é uma das plantas medicinais que reduzem Pitta e Kapha, mas pode agravar Vata. Sua rasa é amarga, picante e adstringente. As raízes também têm rasa doce. Sua virya é fria e sua vipaka é picante. A erva atua nos tecidos plasmático e sanguíneo e age nos sistemas respiratório, urinário, circulatório e linfático. Deve ser utilizado com muito cuidado em casos de Vata elevado. É considerada um tônico e revitalizador do dosha Pitta. É muito eficiente para limpar efeitos de emoções Pittagênicas, como raiva, agressividade e excesso de ambição. É excelente erva para eliminar Ama do organismo. Combinado com bhringaraj para tonificar Pitta, na proporção de 2:1.

Uso homeopático

A bardana é uma das plantas medicinais utilizadas em afecções dermatológicas (acne, furúnculo, eczema do couro cabeludo) e nos bloqueios do metabolismo.

Pets e outros animais

A bardana é uma das plantas medicinais indicadas para tratar sarna em cães.

Informações em outros sistemas de saúde

Planta de uso culinário,muito utilizada por adeptos da dieta macrobiótica.

O que diz a ciência

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Astrologia

Utilizada em problemas de saúde relacionados à Lua em Capricórnio, Marte e Capricórnio, Marte em Aquário, Júpiter em Capricórnio. A bardana é uma das plantas medicinais regidas por Vênus.

Indicações energéticas ou mágicas

Mergulhe uma mão cheia desta erva em um balde com água para lavar o chão. Isso afasta a negatividade, purifica e protege. Paracelso, em sua Botânica Oculta, diz desconhecer as propriedades mágicas da planta.

Habitat

Originária da Europa e da Sibéria, a Bardana é uma das plantas medicinais que chegaram ao Brasil com os imigrantes japoneses.

Descrição da planta

A bardana é uma das plantas medicinais de porte herbáceo, medindo cerca de 100-150 centímetros de altura, possui folhas alternas, pecioladas, onde as inferiores são cordiformes (em forma de coração) e as superiores são ovaladas, flores de cor púrpura reunidas em capítulos grandes dispostos em corimbos na extremidade do caule e dos ramos, o fruto é um aquênio com papilho de pelos muito caducos, raízes napiformes, chegando a pesar 400 gramas e a ter 45 centímetros de comprimento, de sabor amargo e açucarado e que muitas vezes é confundida com a raiz da beladona.

Vamos plantar?

A bardana cresce bem em locais com clima ameno. O ideal é que a temperatura permaneça entre 10°C e 25°C, embora a planta possa suportar temperaturas baixas durante o inverno (a parte aérea pode morrer, mas a raiz normalmente suporta baixas temperaturas). Pode ser cultivada com luz solar direta ou em sombra parcial. Cultive preferencialmente em solo leve, profundo, bem drenado, fértil e rico em matéria orgânica. Esta planta tolera um pH do solo na faixa de 4,6 a 7,8, sendo o ideal um pH entre 6,6 e 7,5. Irrigue de forma a manter o solo úmido, mas sem que fique encharcado. O plantio pode ser feito no outono e na primavera em regiões de clima temperado. Em regiões de clima subtropical, semeie no outono. A semeadura deve ser feita preferencialmente no local definitivo, pois as mudas de bardana não suportam bem o transplante. Se semeadas em sementeiras, transplante tão cedo quanto possível, antes que a raiz principal comece a se desenvolver. A semeadura pode ser superficial, apenas cobrindo as sementes com uma leve camada de terra peneirada ou de serragem.   A distância recomendada entre as plantas varia conforme o uso que se fará da planta. Para uma colheita precoce das raízes, o indicado é plantar com uma distância de aproximadamente 15 cm entre as plantas, o que pode proporcionar raízes mais retas. Para outros fins, deixe uma distância de pelo menos 60 cm entre as plantas.

Artigos relacionados

Fontes de pesquisas utilizadas

http://www.plantamed.com.br/http://portugalparanormal.com/index.php?topic=45.0http://www.jardimdeflores.com.br/ERVAS/A15bardana.htmhttp://www.oficinadeervas.com.br/detalhe.php?id_produto=460&p=bardana https://hortas.info/como-plantar-bardana • Apostila de Fitoterapia Chinesa – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • IFT – Índice Terapêutico Fitoterápico – EPUB • Master your metabolism – the all natural (all herbal) way to lose weight – Lewis Harrison – Sourcebooks INC • A cura pela natureza – enciclopédia familiar dos remédios naturais – Jean Aikenbaum e Piotr Daszkiewicz – Editora Estampa • A cura pelas plantas – Guacira Dias • A taste of heritage – crow indian recipes and herbal medicine – Alma Hogan Snell – Lincoln and London • La vuelta a los vegetales – Carlos Hugo Burgstaller Chiriani – Hacehtte • Plantas que curam – Enio Emmmanuel Sanguinetti – Editora Rigel • As plantas e os planetas – Ana Bandeira de Carvalho – Ed. Nova Era • Chinese Medicine – Modern Practice – Ping-chung Leung and Charlie Chang-li Xue – World Scientific • Botânica Oculta – Paracelso • Dandelion Medicine – Brigitte Mars – Storey Books • Vademecum de Fitoterapia – Pedro del Rio Pérez • Enciclopedia de plantas medicinales • Ervas do Sítio –  Rosy L. Bornhausen – Bel Comunicação • Handbook of Medicinal Herbs – James A. Duke with Mary Jo Bogenschutz-Godwin, Judi duCellier, Peggy-Ann K. Duke – CRC Press • Herbal Manual – the medicinal, toilet, culinary and other uses of 130 of the commonly used herbs – Harold Ward – L.N. Fowler & Co. Ltda • The Herbal Home Remedy Book – simple spices for tinctures, teas, salves,  tocins and syrups – Joyce A. Wardwell – Storey Books • Herbs for Healthy Skin, Hair and Nails – Brigitte Mars – Keats Publishing Inc • Herbs for the Heart – C.J Puotinen – NTC Comtemporary • Indian Medicinal Plants – C.P Khare – Springer • Medicinal Plants in Folk Tradition – an ethobothany of Britain and Ireland- David E. Allen & Gabrielle Hatfield – Timber Press • Propiedades y funciones de las plantas en la medicina china. pdf • Segredos e virtudes  das plantas medicinais – Seleções do Readers Digest • Atlas de Fitoterapia • A vida cura a vida – Pe. Paulo Wendling – Paulinas • 100 Plantas para viver até os 100 anos – Anônimo – PDF • The Yoga of Herbs – Dr. David Frawley and Dr. Vasant Lad – Lótus Press •
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email