Açafrão da Terra

Na medicina indiana, os rizomas geralmente são fervidos por 1 ou 2 minutos para produzir evaporação de possíveis tóxicos voláteis e depois então secados ao sol para serem moídos a pó. Essa prática não é habitualmente feita no Brasil e em outros países. Após ser desidratado e moído, o pó da cúrcuma não deve ser armazenado em recipientes plásticos, sobretudo sacos plásticos, pois os princípios ativos reagem com o material, o que faz com que adquira consistência pegajosa.

 

Nome Científico:

Curcuma longa L.

Nomes botânicos:

Amomum curcuma Jacq., Curcuma domestica Valeton, Stissera curcuma Raeusch.

Nomes Farmacêuticos:

Rhizoma curcumae longae.

Partes usadas:

Rizomas.

Composição Química:

Ácidos graxos, açúcares, amido, carvona, cineol, curcumina, felandreno, glicose, niacina, óleos essenciais, resinas, riboflavina, saponina, substância amarga, tiamina, turmerona.

Indicações para uso interno:

Sistema Gastrointestinal: distensões abdominais, espasmos, constipação, úlceras estomacais, doença de Crohn, melhoria da flora intestinal, melhoria da digestão de proteínas como leite, carnes e outros,
Sistema Urinário e Genital: amenorreia, distúrbios da bexiga, dismenorreia, hematúria,
Sistema Hepático: cálculos biliares, problemas do fígado, hepatite, aumento do fluxo da bílis, icterícia,
Sistema Respiratório: distensões peitorais, mucosidades, afecções das vias superiores, asma, bronquite, amidalite, faringite, sinusite, tosses, alergias respiratórias,
Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: epistaxe, intensificação da circulação, purificação do sangue, anemia,
Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: convalescença, crise nervosa.
Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: reumatalgias,
Sistema Renal: problemas dos rins,
Outros distúrbios: hematêmese, sarampo, irritabilidade, problemas oculares, equilíbrio do metabolismo, inflamações variadas, edemas, diabetes,

Indicações para uso interno de partes específicas da planta::

Rizomas – todas as aplicações.

Indicações para uso externo:

Pele e unhas: micoses de pele, acne, feridas, úlceras de decúbito, machucados, eczemas, psoríases, alergias cutâneas, afecções da pele, pruridos, assaduras, ferimentos em geral.
Músculos, ossos e articulações: artrites.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta:

Rizomas – todas as aplicações.

Aromaterapia:

Seu óleo essencial tem ação antioxidante, bactericida, estimulante, recupera os músculos e as articulações, é antifúngico e antimicótico.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais:

Categoria 3 – ervas para agir contra o reumatismo • Categoria 4 – ervas para reduzir sensações de frio dentro do corpo • Categoria 10 – ervas para suprimir a tosse e reduzir catarro • Categoria 12 – Ervas que regulam o Xue • Categoria 16 – ervas para corrigir deficiências • Categoria 19 – ervas para úlceras e tumores • Categoria 20 – ervas para aplicações externas •

Uso homeopático:

Na homeopatia utiliza-se o rizoma fresco. Nome de Curcuma, Curc. Utilizada para tratamento de renite alérgica e sinusite.

Pets e outros animais:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Informações em outros sistemas de saúde:

Medicina antroposófica – Purificação e desintoxicação das energias cristalizadas no duplo etérico, liberando o fluxo energético para o equilíbrio físico das células físicas e órgãos correlatos. Atua diretamente sobre todo sistema energético Baço-Pâncreas, incluindo seus canais energéticos, diminuindo assim a mucogenicidade tão perniciosa nos problemas respiratórios e patologias digestivas. Desobstrui os canais energéticos do fígado e vesícula biliar, favorecendo a boa função destes órgãos e beneficiando em todas as patologias correlacionadas com estes meridianos em todos os seus trajetos. Harmonização do chakra solar e de seus acessórios esplênico e hepático, com repercussão benéfica e direta sobre todos os problemas digestivos e indiretamente sobre os problemas respiratórios (chakra laríngeo) e cardiocirculatórios (chakra cardíaco).

Indicações energéticas ou mágicas:

Certos povos utilizam-na em pinturas para afastar os maus espíritos. Emprega-se em amuletos com mesma finalidade.

Nome Conhecido:

Falso-açafrão, Gengibre-amarelo, Açafrão, Açafroa, Açafrão-da-terra, Açafrão-da-índia, Açafroeiro-da-índia, Cúrcuma, Curcumã, Batatinha-amarela, Gengibre-dourada, Mangarataia (Português), Gelbwurzel (Alemão), Cúrcuma (Espanhol), Curcuma (Francês), Turmeric (Inglês), Curcuma (italiano), Haldi (índia).

Família:

Zingiberaceae.

Sabor:

Picante, amargo e quente.

Propriedades medicinais gerais:

Tônico digestivo, colagogo, carminativo, emenagogo, calmante, hepático, analgésico, anticancerígeno, antirreumático, antidiarreico, antiescorbútico, antiespasmódico, antimicrobiano, antioxidante, antitóxico, colerético, colerífero, cordial, digestivo, diurético, estomáquico, excitante, hepatoprotetor, hipocolesterolêmico, hipoglicemiante, laxante, litotríptico, resolutivo, alterativo, anti-helmíntico, antibiótico, antimicótico. Em uso tópico: anti-inflamatório, anti-hemorrágico, antisséptico e cicatrizante.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta:

Rizomas – todas as aplicações.

Para crianças:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações:

Seu uso medicinal deve ser evitado na gravidez. Também evitar usar quando não houver estagnação do Xue, na deficiência do Yin e do Xue. A erva pode causar fotosensibilidade e erupções cutâneas em algumas pessoas. Evitar em casos de hepatite aguda e icterícia e em pessoas com o dosha Pitta agravado.

Interações medicamentosas:

Seu uso é incompatível com Aconitum spp. Evitar uso concomitante com anti-inflamatórios, pois pode aumentar o risco de sangramentos. Potencializa efeito dos anticoagulantes e pode provocar hemorragias se ingerido em doses elevadas. Pode diminuir a ação de imunossupressores, quando usados concomitantemente. Nos casos de sinusite, associar com Mandevilla velutina e Hydrastis canadensis. Nos casos de rinites, associar Sambuccus spp, Eucalyptus globulus e/ou Mikania glomerata. Pode ser útil em casos de cistos no ovário, em conjunto com Artemísia vulgaris.

Toxicidade:

Superdosagem acima de 30 g/dia pode ser neurotóxica (óleo essencial) e pode causar delírios e confusão mental.

Uso culinário e nutritivo:

O pó dos rizomas fervidos é amplamente utilizado de forma condimentar na alimentação como fonte de nutrientes e para aromatizar e adicionar cor à pratos variados.

Sistemas Florais:

Sistema Filhas de Gaia: Cúrcuma – promove a sintonia profunda com a Mãe Terra, purificando, alinhando, equilibrando e fortalecendo o elemento terra em nossa vida. Traz o ancoramento à terra, mobilizando a estrutura e a estabilidade amorosa e nutridora do Feminino Interior. Equilibra e purifica o Hara, permitindo o centramento e ancoramento na terra. Diminui a ansiedade e a tendência a perder o centro diante do excesso de solicitações e afazeres que consomem a vida nos grandes centros urbanos. Ajuda-nos a desenvolver a capacidade de focalizar e priorizar o que é essencial mantendo o ancoramento na terra, a estabilidade e a paz diante de estímulos externos excessivos. Através do ancoramento na terra equilibra a ansiedade e a superexcitação dos corpos emocional e/ou mental. O ancoramento e alinhamento do elemento terra, favorecendo a eliminação dos excessos em nossa vida. Purifica as toxinas acumuladas em nossos sistemas devido ao desenraizamento. Ajuda-nos a ficar no mundo concreto, com os pés no chão e a mente estável. Favorece ao ancoramento de novas virtudes e qualidades mobilizadas por outras essências florais em nosso sistema como um todo.

Medicina Chinesa (MTC):

A erva ativa a circulação do Xue e quebra sangue congelado, promove circulação do Qi o Fígado, clareia calor no pericárdio e acalma o Shen, elimina vento, mucosidade e umidade, promove o fluxo do Qi, beneficia a Vesícula Biliar e reduz icterícia, elimina calor do Coração. Utilizada na obstrução dos orifícios do Coração por fleuma-calor. Cozinhar com vinho para direcionar ação para o fígado e promover o fluxo de Qi. Torrar os rizomas para diminuir ação refrescante nos casos de estagnação pelo frio. Limpa a umidade-calor do Jiao médio. Promove a transformação dos alimentos.

Ayurveda:

Seu nome ayurvédico é Haridra/gauri. Também conhecido como Turmeric. O Açafrão da Terra reduz Kapha e Vata e equilibra Pitta. Atua em todos os tecidos (dhatus) em especial no circulatório, digestivo, respiratório e urinário. É um dos mais importantes medicamentos ayurvédicos. Promove a prosperidade e a conexão com a energia da Mãe Divina. Purifica os chakras, intensificando a eficácia dos asanas durante as práticas de Yoga. Excelente antídoto de Ama do leite. Tonifica o agni digestivo. Evitar o uso em crises de Pitta excessivo.

O que diz a ciência:

Câncer de colo uterino – em estudos clínicos com 80 casos de câncer de cervix uterino, em vários estágios de estadiamento, revelou cura em 50% dos casos e redução significativa em 22% dos casos, pelo exame de Papanicolau e biópsia. Dispepsias – em um estudo com a administração de 250 mg de pó de cúrcuma, 3 vezes ao dia, por 7 dias, melhorou os sintomas dispépticos em 86% dos casos. A curcumina inibe fortemente a peroxidação de gorduras, e quando associada aos alimentos, pode retardar sua deterioração.

Astrologia:

Erva regida pelo Sol.

Habitat:

Sul da Ásia. Cultivada na China, Bengala e Java.

Descrição da planta:

Planta herbácea, que pode atingir cerca de um metro e meio de altura, e produz folhas oblogo-lanceoladas e grandes, de cor verde escuro intenso e brilhante, pecíolos compridos e bainhas invaginantes, sendo aromática quando amassada fresca; flores branco-amareladas, pequenas, dispostas em espigas longas; raízes em forma rizomatosa elíptica, consistência carnosa, com anéis de brácteas secas, sendo que cada rizoma mede até 10 cm de comprimento, e num corte transversal evidencia um coloração fortemente amarelada, com cheiro agradável, aromático e picante. Os rizomas se distribuem num pivô central periforme (ou arredondado), e suas ramificações secundárias lateralizadas, tendo o conjunto o aspecto visual de uma mão. A raiz principal tuberosa emite muitas raízes laterais, algumas das quais emitem folhas que podem dar origem a outra planta independente. A senescência das folhas, que culmina no inverno, é decorrente da retranslocação de nutrientes para os rizomas. Inflorescência cilíndrica ou longo-ovoide, com cerca de 12 a 15cm de comprimento e 4 a 6cm de diâmetro.

Vamos plantar?:

A cúrcuma se reproduz por pedaços de rizoma (raiz gorda, tubérculo) com gemas (olhos). Esta planta, depois de adaptada ao local, vai se expandindo por baixo da terra e, de tempos em tempos, solta para o céu suas hastes florais e folhas largas.

É uma planta perene, o que quer dizer que não termina, que não acaba e muito resistente, difícil de ser destruída pois qualquer pedaço de rizoma que tenha uma gema gerará outra planta em pouco tempo.

Na sua colheita, época em que a parte aérea (haste, folhas, flores) seca, é retirada parte dos rizomas subterrâneos – é nessa época que a cor amarela destes é mais intensa. A temperatura ideal para o açafrão da terra está entre os 20 e os 35ºC.

Esta planta não gosta de frio e sofre com temperaturas abaixo dos 12ºC. Gosta de solos argilosos, férteis (bem adubados, com bom conteúdo de matéria orgânica bem curtida) e bem drenados.

A Embrapa recomenda que se faça sua adubação com esterco de gado bem curtido, esterco de galinha ou composto orgânico, sempre que necessário.

A colheita dos rizomas se dá depois da floração, quando a planta perde sua parte aérea – seca e cai ao chão. Recolha as raízes, deixe uma que outra para reproduzir e ponha-as a secar em local seco e ventilado (o tempo de secagem vai depender do clima da sua casa, mas, geralmente, em um mês os rizomas estão no ponto de moer). Moa os rizomas no processador de alimentos, pois o pó de cúrcuma dura muito mais tempo do que os rizomas.

Guarde sua cúrcuma em pó em frascos de vidro fechados, longe de luz e calor.

Fontes de pesquisa utilizadas:

http://www.venusinferns.biz/104-curcuma-oleo-essencial-curcuma-longa-.html • http://www.viaintegral.com/via2007/paginas/curcuma.htm • http://jardimcuidado.blogogi.com/page/5/ • http://www.plantamed.com.br/ •
http://www.soniahirsch.com/2009/04/curcuma-ou-acafrao-da-terra-todo-dia.html • http://www.essenciasflorais.com.br/floral/curcuma/ • https://www.greenme.com.br/como-plantar/3496-como-plantar-curcuma • Carvalho, Ana Bandeira, As plantas e os planetas – a utilização das plantas medicinais na astrologia médica, Nova Era • The Ayurveda Encyclopedia – Swami Sadashiva Tirtha • Apostila de Fitoterapia Chinesa – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • Yoga of Herbs – Dr. David Frawley and Dr. Vasant Lad – Lótus Press • Fórmulas Mágicas – Dr. Alex Botsaris – Ed. Nova Era • Curas Herbais Chinesas – Henry C. Lu – Roca • Ayurveda – A ciência da longa vida – Dr. Edson D´Angelo e Janner Rangel Côrtes – Madras •