Nome Popular: Orégano

Outros nomes: manjerona-rasteira, manjerona-silvestre, orégão, orégão-vulgar, manjerona-brava, manjerona-selvagem, orégano, orégano menor, orégano común, orégano de Espana e mejorana silvestre (espanhol), orégano, wild marjoram e mountain mint (inglês), origano [commun) e marjolaine sauvage (francês).

Nome científico: Origanum vulgare L.

Nomes botânicos: Micromeria formosana C. Marquand, Origanum creticum Lour., Origanum dilatatum Klok., Origanum normale D. Don, Origanum puberulum (G. Beck) Klok.

Nome farmacêutico: Herba Origani vulgar.

Família: Lamiaceae.

Partes usadas: folhas e sumidades floridas.

Sabor: picante, amargo e quente.

Constituintes químicos: Sabineno (3,13   a   9,55%), cis-β-ocimeno (0,17   a   9,07%), p-cimeno (0,52   a   29,76%), cariofileno (15,25 a 28,24%), timol (0,27 a17,35%), carvacrol, terpineol, flavonoides, ácido ursólico.

Propriedades medicinais: anticaspa, antisséptico, diurético, emenagogo, esternutatório, expectorante, sedativo, estomáquico, nervino, béquico, antitússico, sudorífico, carminativo, aperitivo, diaforético, excitante, vulnerário, antiespasmódico, parasiticida, tônico, antirreumático, emoliente (flores), aromática, condimentar, colerético, analgésico, cicatrizante, desodorante (banhos), antioxidante.

Indicações (Uso interno): tônico circulatório, estimulante gástrico e biliar, cólicas, espasmo da musculatura lisa, acalma dores estomacais, facilita a digestão após ingerir alimentos pesados, elimina gases, elimina catarro, para bronquite (banhos e inalação), dores de cabeça de origem nervosa, gripes, resfriados, febres, baixar a menstruação, alivio do desconforto das cólicas menstruais, dispepsias, meteorismo, inapetência, asma, enfisema, tosse convulsiva, sarampo, alivio da fadiga, amenorreia, irritação da garganta, laringite, tosse seca, aerofagia, epilepsia, nevralgia, traqueíte, giardíase.

Indicações (Uso externo): inflamações e dores reumáticas (compressas), gengivite, dor de dente (bochechos), hematomas, torções, otite, feridas, micoses, rouquidão (gargarejos), dores musculares, torcicolos e lumbago (cataplasmas e fricções).

Indicações pediátricas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Utilizações na MTC: faz circular o qi (energia vital) do pulmão e abre o peito. Utilizado em casos de umidade ou mucosidade do pulmão, vento frio do pulmão,

Umidade e mucosidade do baço pâncreas e frio no útero.

Elemento predominante na MTC: Madeira.

Classificação da Erva na MTC: CATEGORIA 1 – Ervas para induzir a transpiração • CATEGORIA 2 – Ervas para calor excessivo dentro do corpo • CATEGORIA 3 – Ervas para agir contra o reumatismo • CATEGORIA 20 – Ervas para aplicações externas.

Atuação nos canais: Pulmão, Fígado e Baço/Pâncreas, Rins, Bexiga e Vesícula Biliar.

Ayurveda (Ação nos doshas): nome ayurvédico – Jangali Maruaa. Reduz Kapha e agrava pitta e vata.

Rasa: amargo e picante.

Virya: quente.

Vipaka: picante.

Informações em outros sistemas de saúde: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia: seu óleo essencial em doses elevadas é considerado tóxico. O óleo essencial tem poderosas propriedades antissépticas e antifúngicas. Não deve nunca ser ingerido via oral.

Floral: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Homeopatia: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Contraindicações: em doses elevados o óleo essencial tem efeito estupefaciente. Deve ser evitado uso medicinal durante a gravidez e na amamentação.

Interações medicamentosas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Uso Veterinário: utilizada na Grã-Bretanha em tratamentos para cavalos. O uso tópico do óleo de orégano também é indicado para animais com tumores e doenças corrosivas da pele como ulcerações.

Planeta regente: seu regente é o planeta Mercúrio.

Indicações energéticas ou mágicas: esta erva é utilizada para deixar ir ou esquecer um amor como um ex-cônjuge, amante ou namorado(a). O método usado é queimá-lo como um incenso no ambiente.

Habitat: difundido por toda a Europa, em terrenos de altitude média, soalheiros, secos e pedregosos. É uma espécie alóctone, originária da Ásia e Europa Ocidental, onde cresce espontaneamente em colinas expostas. Encontrada também no norte e oeste da Ásia, muito comum nas Ilhas Britânicas e foi introduzida na América do Norte e Nova Zelândia.

Informações clínicas e/ou científicas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Descrição botânica: é um arbusto perene, com até 60 cm, muito confundido com a manjerona. É planta   heliófita.  Planta herbácea, semi-prostrada. Caule formando touceiras. Folhas simples e pequenas. Flores esbranquiçadas, róseas ou violáceas, dispostas em glomérulos e reunidos em inflorescências paniculadas terminais.

Toxicidade: faz parte da fórmula de um produto vendido sem receita chamado Carachipita e que pode provocar aborto e falência múltipla de órgãos em gestantes. Deve-se evitar o produto na gestação e buscar mais informações a respeito da segurança de seu emprego medicinal.

Cultivo: prefere solos férteis, bem drenados e de natureza calcária. Chuvas em excesso são prejudiciais, afetando o desenvolvimento e a produção de óleos. Seu espaçamento deve ser 0,70 x 0,35cm (40.816 plantas/ha). A propagação se dá por sementes, estacas   e   divisão   de touceiras.   As sementes são postas a germinar em bandeja de isopor contendo   substrato   organo-mineral.   As touceiras podem ser plantadas diretamente no campo, em canteiros. As estacas são enraizadas em areia   ou   vermiculita   sob   telado de sombrite a 70%   de   sombra, sob   irrigação por nebulização. O plantio acontece no outono e primavera. A colheita ocorre no verão, quando ocorre o florescimento. O rendimento previsto neste modelo é de 0,64kg/planta (277) ou de 8 a 17t/há. Seu cultivo também é possível em pequenos vasos ou potes.

Observações: muito utilizado na culinária como tempero de pizza, de pratos à parmiggiana, saladas (de tomate) e carnes. Suas flores são uma fonte de néctar para borboletas. Santo Alberto Magno tinha esta erva em grande estima e a utilizava para tratar problemas de rins, pulmão, fígado e baço. O orégão é uma planta que se dá naturalmente na montanha, como o seu nome indica oros que significa –

montanha e ganos – esplendor. Ingrediente comum nas culinárias italiana e mexicana. Erva frequentemente confundida com a manjerona.

Colaboradores: RODRIGO SILVEIRA – Fitoterapeuta, Consultor em linguagem das Esferas Comportamentais, Escritor, Palestrante e Professor, criador do ERVANARIUM.

Fontes de pesquisa:

http://www.plantamed.com.br/ • 100 Plantas para viver até os 100 anos – Anônimo – PDF • La vuelta a los vegetales – Carlos Hugo Burgstaller Chiriani – Hachette • Anastásia Benvinda – plantas populares – Biblioteca Virtual • The Big Herbal Encyclopedia – Anônimo – PDF • CD Rom – Ervas Medicinais – Volume 1 – Anônimo • Coleção de plantas medicinais aromáticas e condimentares – Mery Elizabeth Oliveira Couto – Embrapa • Vademecum de Fitoterapia – Pedro Del Rio Pérez – Quitanda de Rueda (León – España) Diciembre/2005 • Biology of Floral Scent – Natalia Dudareva & Eran Pichersky – CRC Taylor & Francis • Enciclopedia de plantas medicinales – Anônimo – PDF • A cura pelos remédios caseiros – Guia de ervas e medicina natural – Raunei Iamoni – Ediouro • Apostila Fito Chinesa II – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • Herbal medicines in pregnancy and lactation – an evidence-based approach – Edward Mills, Jean-Jacques Dugoua; Dan Perri; Gideon Koren – Taylor and Francis • Herbal Remedies – Andrew Chevalier – DK • Herbologia Chinesa – Anônimo – PDF • Indian Medicinal Plants – C.P Khare – Springer • Manual Ilustrado de Plantas Medicinais – Moacyr Pezati Rigueiro – Paulus • Master your metabolism – the all natural (all herbal) way to lose weight – Lewis Harrison – Sourcebooks INC • Vademecum Soria Natural –  Anônimo – • Medicinal Plants in Folk Tradition – an ethobothany of Britain and Ireland- David E. Allen and Gabrielle Hatfield – Timber Press • Plantas que curam – Enciclopédia das Plantas Medicinais – Volume 1 – Dr. Jorge D. Pamplona Roger • Plants, Algae and Fungi – Britannica Illustrated Library • Practical Handbook of Plant Alchemy – Manfred M. Junius • Segredos e virtudes  das plantas medicinais – Seleções do Readers Digest • The Western Herbal Tradition – Graeme Tobyn, Alison Denham, MArgaret Whitelegg – Churchill Livingstone • Veterinary Herbal Medicine – edited by Susan G. Wynn, Barbara J. Fougère – Mosby/Elsevier •