Limão

Importante ter o cuidado para não cortar as sementes ao partir o fruto, para não o contaminar com toxinas. O suco pode manchar a pele e os dentes. O limão é uma fruta rica em vitamina C. O limoeiro teve sua origem no sudeste da Ásia. Foi levado, pelos árabes, da Pérsia para a Europa, havendo registros que datam sua presença ali já no século 15. No Brasil, a árvore chegou apenas na segunda década do século 20, quando por aqui ocorria a epidemia de gripe espanhola. Muito procurado por abrandar os efeitos da doença, nessa época o limão era vendido a “peso de ouro”. Veja mais informações abaixo.

Limão, planta medicinal nutritiva.

Nome científico

Citrus limon (L.) Burm. f.

Nome conhecido

Limoeiro, Limão Siciliano, Limão-Eureka, Limão-Gênova, Limão-Feminello, Limão-Monochelo, Limão-Lisboa, Limão-Verde, Limão-Verdadeiro, Limoeiro-Azedo (Português), Zitrone (Alemão), Lai Men G (Chinês), Limón (Espanhol), Citron (Francês), Limoen (Holandês), Lemon (Inglês), Limone (Italiano), Lajm (Russo).

Nomes botânicos

Citrus limonelloides Hayata, Citrus medica var. limon L., Citrus X limonum Risso,Citrus limonum Risso, Citrus limon var. rajahmudri, Citrus limonia var. digitata Risso, Citrus limonia var. limetta Engl.

Nomes farmacêuticos

Pericarpium Citri.

Família

Rutaceae.

Partes usadas

Fruto, casca e óleo essencial.

Sabor

Picante, ácido, amornante e amargo.

Composição química

Felandrina, hidrocarbonetos terpênicos, limonina, óleo essencial ((limoneno), ácidos orgânicos (cítrico e málico), bioflavonoides (hespiridina), pectinas, vitamina A (retinol), vitamina B1 (tiamina), vitamina B2 (riboflavina), niacina), sais minerais (potássio, fósforo, ferro, cálcio, sódio, magnésio, enxofre, cloro), vitamina C (ácido ascórbico).

Propriedades medicinais gerais

Antiescorbútico, antirreumático, analgésico, adstringente, carminativo, lipolítico, expectorante, uricosúrico, laxativo, febrífugo, tônico, estomáquico, hipotensor, anti-histamínico, antiespasmódico, anti-inflamatório, alcalinizante, antianêmico, antibiótico, antidepressivo, antiemético, antisséptico, antitérmico, aperiente, bactericida, depurativo, diaforético, sedativo, vermífugo, vitaminizante, imuno-estimulante, desintoxicante, depurativo e sudorífico.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso interno

Sistema Gastrointestinal: para afecções gástricas, úlceras estomacais e duodenais, insuficiência pancreática, disenteria, diarreias, hemorroidas, colites, meteorismo, acidez na boca e estômago, dilatação do estômago, envenenamentos, preventivo de constipações e em problemas digestivos.

Sistema Urinário e Genital: para blenorragias, sífilis, retenção urinária, albuminúria, amenorreia, espermatorreia, infertilidade, impotência, orquite e na prostatite.

Sistema Hepático: para paludismo, insuficiência hepática, icterícia, congestão hepática e em casos de cirrose.

Sistema Respiratório: para asma, enfisema, bronquite crônica, infecções pulmonares, tuberculose pulmonar, sinusite e na coriza.

Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: para afecções cardiovasculares, hemorragias, previne trombose, embolias, infarto, arteriosclerose, angina do peito, gota, assistolia, epistaxe e demais problemas circulatórios.

Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: nas febres, astenia, afecções do sistema nervoso, esclerose, linfatismo, febre do feno, adenite, aneurisma, congestão cerebral, abalo nervoso e gripes.

Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: para tuberculose óssea, descalcificações, ancilose em cãibras.

Sistema Renal: para nefrite.

Outros distúrbios: auxilia tratamento de mononucleose, leucocitoses, fortalece a visão, antídoto para ingestão de alcalinos (soda cáustica), glaucoma, hipertensão ocular, desmineralizações, obesidade, disfunções metabólicas, ascite, cefaleias, otite, unhas quebradiças, queda de cabelo, afonia, alcoolismo, amigdalite, apendicite, apoplexia, asfixia por gás carbônico, beribéri, enxaqueca, lepra, tifo, zumbidos e em tumores.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: para piorreia, afecções da pele, feridas, verrugas, sarna, dermatite, feridas, manchas, sardas e frieiras.

Cabeça e face: para blefarite, terçol, seborreia facial, tônico facial, acne, caspa, conjuntivites, cabelos oleosos e para eliminar resíduos dos cabelos.

Cavidade bucal: para glossites, aftas, sifilídes bucais e inflamações das mucosas bucais.

Outros distúrbios: em varizes, flebites, picadas de insetos e herpes.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Para crianças

As mesmas indicações destinadas aos adultos.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

Evitar seu uso em casos de úlcera péptica. Também evitar uso do óleo essencial em casos de diabete mellitus e hipotensão. O óleo essencial é foto sensibilizador e pode causar manchas na pele. O limão deve ser evitado sempre que se sentirem dores.

Interações medicamentosas

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Toxicidade

Suas sementes são tóxicas e não devem ser consumidas.

Uso culinário e nutritivo

O limão é uma fruta muito nutritiva de uso amplamente difundido em todo mundo. Não pode ter a polpa consumida in natura, como acontece com outras frutas, mas seu extrato é amplamente usado em bebidas, doces, sorvetes e molhos para saladas. Existem muitas espécies de limão que apresentam características nutricionais similares. O limão é uma fonte de vitaminas A, vitamina B1, vitamina B2 e sais minerais como potássio, fósforo, ferro, cálcio, sódio, magnésio, enxofre, cloro. Também é uma fonte muito conhecida de vitamina C. O suco representa 50% do peso do fruto e tem teores médios de 9% (brix), acidez em 6%, 20 a 40 mg de ácido ascórbico (Vitamina C).

Aromaterapia

O óleo essencial de limão pode ser utilizado em tratamentos de anemia, astenia, arteriosclerose, congestão hepática, dispepsia, doenças infecciosas, doenças da pele, falta de apetite, flatulência, hipertensão, hiperviscosidade do sangue e reumatismo. Muitos remédios, produtos de limpeza, sabões e cosméticos também estão na lista de artigos fabricados com sua essência.

Sistemas Florais

Florais de Saint Germain: indicado para a personalidade amarga, de índole destrutiva, o Floral do Limão trabalha o despertar da consciência com relação ao sofrimento que provocamos em nós e nos outros com essas atitudes negativas. Útil também para a personalidade que se encontra na polaridade oposta, que carrega a tristeza, a mágoa e o sentimento da amargura gerado pelo outro. O valor terapêutico do Floral do Limão é enorme, por ser um poderoso depurativo do sangue, com ação rápida na cura das gripes, resfriados e problemas de baixa resistência imunológica. Sem dúvida, ele interfere e trata desequilíbrios emocionais já cristalizados no corpo físico. Desta forma, ele ajuda na dissolução de cristais de ácido úrico, como também na de cálculos biliares ou vesicais. Com ação bactericida, colabora com o extermínio de bactérias, realizando um tratamento preventivo em pessoas propensas a quadros infecciosos. Como ele trabalha o positivismo e bom astral, apresenta bons resultados em processos de convalescença. O Floral do Limão atua beneficamente em mais de cento e cinquenta doenças. Para se ter uma ideia, basta observar a relação que algumas enfermidades têm com desequilíbrios emocionais, como aqueles que nos causam amargura e mágoa, que são: problemas de pele, hemorragias, acidez em geral, envenenamentos, distúrbios nervosos, insônia, epilepsia, esterilidade, astenia, bócio, caspa, vermes intestinais, varíola, úlceras gástricas, mau hálito, gengivite, adenite, afonia, afta, amenorreia, amidalite, anemia, angina do peito, apoplexia, arteriosclerose, artritismo, cãibras, dor ciática, congestão geral, diabetes, difteria, estomatite, faringite, febre, flebite, frieiras, furunculose, gota, etc. A diferença neste tipo de tratamento é que ele acontece de forma muito sutil, através do uso de formulações com essências florais e logicamente, integradas com outras técnicas terapêuticas. A desintoxicação do corpo físico e dos bloqueios emocionais e mentais pode ser acelerada pelo uso do Floral do Limão, principalmente se associado com a Aromaterapia e a Cromoterapia.

Medicina Chinesa (MTC)

Indicado para calor tóxico, fogo do coração e do estômago, umidade-fleuma-frio, estagnação do Xue, deficiência do Xue, estagnação do Qi do Fígado e do Estômago, deficiência do Qi do Coração, elimina calor e reduz infecções, na estagnação do Qi no tórax, drena edema e transforma fleuma, harmoniza estômago e fortalece o Baço/Pâncreas, regula o fluxo do Qi do Fígado. Evitar o uso na deficiência do Qi, com sinais de calor. Atua nos canais do fígado, estômago, baço/pâncreas, coração, intestino grosso e triplo aquecedor.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais

Categoria 5 – Ervas para reduzir umidade do corpo • Categoria 11 – Ervas que regulam o Qi • Categoria 12 – Ervas que regulam o sangue •

Ayurveda

O limão reduz Pitta e Vata. Tem efeito neutro em Kapha. Sua rasa é ácida, sua virya é fria e sua vipaka é ácida.

Uso homeopático

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Pets e outros animais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Informações em outros sistemas de saúde

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

O que diz a ciência

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Astrologia

Seu regente é a Lua.

Indicações energéticas ou mágicas

A casca desidratada é utilizada em defumações para limpeza do corpo.

Habitat

Planta oriunda da Ásia central, sul da China e regiões próximas dos Himalaias, onde ainda se encontra em estado silvestre. Atualmente, a sua cultura está espalhada pelas regiões temperadas de todo o mundo.

Descrição da planta

Espécime com porte médio a grande. É uma planta é expansiva, curvada, vigorosa, as folhas adultas têm cor verde e são lanceoladas e as folhas novas e brotos têm cor purpúrea. A floração ocorre ao longo do ano (principalmente setembro e outubro), os frutos são ovais, oblongos ou levemente elípticos, casca fina, superfície lisa e cor amarelo-pálida na maturação. Estão maduros em torno de 120 dias após a floração, as sementes são raras ou ausentes.

Vamos plantar?

A melhor época para plantar as mudas de limoeiro no campo é a estação das chuvas, preferindo-se as horas mais frescas do dia, com pouco sol. Com acesso a uma boa quantidade de água, a produtividade da fruteira é maior. A irrigação pode ser uma opção para os meses mais secos. O limoeiro se desenvolve bem entre 23 e 32 graus, principalmente em regiões com alta umidade relativa do ar, que tornam os frutos mais suculentos. Escolha solos férteis e arejados, com pH entre 5,5 e 6,5. O local deve ser ensolarado e protegido de correnteza de ventos. Abra covas com 40 x 40 x 40 centímetros, com espaçamento de 7 x 5 ou de 7 x 4 metros. Para o cultivo de galego, diminua as medidas em um metro. Apesar de não ser comum a poda em cítricos, faça uma limpeza nas árvores durante o inverno. Retire da planta os ramos-ladrões e também os doentes e secos. Os ramos mais finos devem ser cortados com uma tesoura; os mais grossos, com serra. Misture cobre em pó com um pouco de água e pincele no local dos cortes. Para que haja brotações no interior das plantas, apare de 10 a 15 centímetros dos ponteiros. O limoeiro começa a produzir depois de três anos do início do cultivo, com floração nos meses de setembro e outubro. Em quatro meses, pode ser feita a colheita, que dura 120 dias. A cada safra é possível apanhar de 80 a 100 quilos de limão por árvore. Colha os frutos manualmente e use uma tesoura para auxiliar no corte das hastes.

Artigos relacionados

Fontes de pesquisas utilizadas

http://www.plantamed.com.br/http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=04831http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/limao/limao-2.phphttps://revistagloborural.globo.com/vida-na-fazenda/como-plantar/noticia/2018/04/como-plantar-limao.html • Fórmulas Mágicas – Dr. Alex Botsaris – Ed. Nova Era • ITF – Índice Terapêutico Fitoterápico – EPUB • Apostila de Fitoterapia Chinesa – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • Manual de Fitoterapia Chinesa e Plantas Brasileiras – Mary Lannes Salles Leite – Icone Editora • As plantas curam – A. Balbach – Ed. Vida Plena • The Yoga of Herbs – Dr. David Frawley and Dr. Vasant Lad – Lótus Press • Ervas do Sítio –  Rosy L. Bornhausen – Bel Comunicação • 100 Plantas para viver até os 100 anos – Anônimo – PDF •