Hipérico (Erva de São João)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O uso de preparados a base de hipérico, devem ser interrompidos pelo menos 5 dias, antes de cirurgias eletivas. Mais informações abaixo.  

HIpérico, uma das melhores plantas medicinais para tratamento do sistema nervoso.

Nome científico

Hypericum perforatum L.

Nome conhecido

Hipericão, Hipericão-Vulgar, Mal-Furada, Pelicão, Flor-De-São-João, Milfurada, Erva-De-São-João, Ibitipoca, Hipérico-Verdadeiro (Português), Tüpfel-Johanniskraut (Alemão), Millepertuis (Francês), St. John’s Wort, Amber, Goat-Weed, Johnswort, Klamath Weed, Tipton Weed (Inglês), Iperico (Italiano), Hyperici (Latim).

Nomes botânicos

Hypericum nachitschevanicum Grossh., Hypericum perforatum var. confertiflora Debeaux, Hypericum perforatum var. microphyllum H. Lév.

Nomes farmacêuticos

Herba Hypericum perforatum.

Família

Hipericaceae.

Partes usadas

Toda a planta, em especial, flores, folhas e óleo essencial.

Sabor

Amargo e refrescante.

Composição química

Ácido shikímico, biflavonas, catequinas, carotenos, derivados floroglucinólicos, fitosterois (beta–sitosterol), flavonoides (hiperosídeo, quercitina, rutina, quercetrina), glicosídeos (hipericina, corante vermelho), hiperforina, pectinas, a-pineno, princípios amargos, procianidinas, pseudohipericina, resinas, saponina, taninos, terpineol, vitamina C e P.

Propriedades medicinais gerais

Adstringente, antidepressivo, antidiarreico, antiespasmódico, anti-inflamatório, antiirritante, antimicrobiano, antiseborréico, antisséptico, aromático, calmante, cicatrizante, digestivo, diurético suave, hipotensor, restaurador, sedativo, vulnerário, vermífugo, ansiolítico, colagogo, expectorante, tranquilizante, vitamínico P, nervino, antidepressivo, anticefalálgico, lactagogo, antisoporífico, carminativo, balsâmico, tonificante e colerético.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso interno

Sistema Gastrointestinal: na acidez estomacal, diarreias crônicas, hemorroidas, má digestão, para eliminar vermes intestinais, epigastralgia, inflamação crônica de estômago e espasmos digestivos.

Sistema Urinário e Genital: para afecções das vias urinárias, enurese noturna, enurese infantil, afecções ginecológicas, TPM, menopausa, alterações neurovegetativas associadas ao climatério, cólicas menstruais e infecções uterinas.

Sistema Hepático: para insuficiência hepática, mau funcionamento do fígado, inflamação crônica do fígado e vesícula biliar, icterícia e para disquinesias biliares.

Sistema Respiratório: para afecções pulmonares, doenças pulmonares e na bronquite.

Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: para gota, varizes e na epistaxe.

Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: na depressão, insônia, nervosismo, disritmia, fibrosites, neuralgia, convulsões, herpes, hidrocefalia, gripe, histeria, terror noturno, dores e doenças do sistema nervoso, ansiedade e estresse.

Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: para ulcerações internas, reumatismo, dores artríticas e dores sacro-coccígenas.

Sistema Renal: para mau funcionamento dos rins e na inflamação crônica dos rins.

Outros distúrbios: para tratamento de tumores, dores de cabeça e para Aids.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: na acne, feridas, queimaduras de primeiro grau, cobreiro, chagas, feridas que envolvem danos nos nervos e combate parasitas cutâneos.

Cabeça e face: para caspa e seborreia.

Músculos, ossos e articulações: para reumatismo, dores musculares causadas por contusões e excesso de atividade física e para dores nas costas.

Outros distúrbios: para dor ciática, varizes e hemorroidas.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Para crianças

As mesmas indicações para adultos e também para enurese noturna.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

O hipérico tem a possibilidade de causar queixas gastrointestinais, náusea, coceira, fadiga, distúrbio do sono e dor de cabeça. Pode ainda promover foto sensibilidade com inflamação da pele e das membranas mucosas, após exposição à luz, apesar de que esses efeitos adversos sejam raros. Deve ser evitado durante a gestação e a lactação. Evitar uso em pessoas com depressão crônica ou com diabete.

Interações medicamentosas

Apresenta boa sinergia com Hamamélis (Hamamelis virginiana) e a Calêndula (Calendula officinalis) para tratamento de contusões. A erva apresenta risco de interação com outras drogas.  É incompatível com alimentos e medicamentos que contenham tiramina. Evitar em pessoas que estejam tomando coquetel anti-HIV. Os mecanismos de muitas interações medicamentosas do hipérico com outras drogas envolvem um aumento do metabolismo intestinal (citocromo P450 [CYP] 3A4) e o metabolismo hepático (CYP 1A2, 2C9 e 3A4) e/ou um aumento da ativação da efluência da p-glicoproteína intestinal de uma forma clinicamente relevante. Os mecanismos para outras interações com o hipérico permanecem desconhecidos. Drogas com uma escala terapêutica estreita devem ser cuidadosamente monitoradas quando o hipérico for adicionado ou interrompido, ou se houver mudança na dosagem. Existe interação de H. perforatum com ciclosporina, anticoagulantes cumarínicos, anticoncepcionais orais, teofilina, digoxina, indinavir e possivelmente outros inibidores da protease e transcriptase reversa, prejudicando os efeitos destes. Isto ocorre devido à indução pelo H. perforatum da via metabólica envolvendo o citocromo P450. A utilização de H. perforatum concomitante a antidepressivos inibidores da recaptação de serotonina e inibidores da MAO poderá causar síndrome serotoninérgica. Não é recomendado utilizar H. perforatum com drogas fotossensibilizantes como clorpromazina ou tetraciclina. O extrato de H. perforatum não demonstrou interação com o álcool em estudos farmacológicos, porém sabe-se que o álcool pode piorar o quadro depressivo. Para tratamento de depressão, melhor resultado se combinado com Melissa (Melissa officinalis).

Toxicidade

Erva usualmente bem tolerada nas dosagens terapêuticas, porém deve ser ministrada unicamente sob a supervisão de profissional gabaritado.

Uso culinário e nutritivo

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia

Seu óleo essencial é indicado para queimaduras.

Sistemas Florais

Essências Vibracionais: Erva de São João ou Hipericãoajuda quando nos expandimos demasiado (o que pode suceder a diferentes níveis, inclusive espiritual), a focalizar de novo a energia, tornando-nos menos vulneráveis e dando-nos orientação. Sela a aura, protege e afasta os medos inconscientes e sonhos inquietantes. Dá confiança para saber que tudo está bem e nos sentirmos protegidos pela luz. Ligado ao chakra da coroa e ao sol. Utilizar em caso de alergias, stress ambiental e síndrome sazonal afetivo. Neste caso é aconselhável procurar receber pelo menos 30 minutos diários de luz solar para estimular a glândula pituitária. Ainda para crianças com enurese noturna e medo do escuro e para os que sonham acordados.

Medicina Chinesa (MTC)

O Hipérico clareia o espírito, promove a circulação do Qi do Fígado por todo o corpo de forma suave, tonifica o pulmão e remove estagnação do Qi do Fígado. Atua nos canais do fígado, baço/pâncreas, rins, estômago e pulmões.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais

Categoria 11 – Ervas para regular o Qi • Categoria 14 – Ervas para reduzir a ansiedade.

Ayurveda

O hipérico reduz Kapha e Pitta e agrava Vata (em excesso). Sua rasa é amarga e picante, sua virya é fria e sua vipaka é picante.

Uso homeopático

O hipérico é um medicamento homeopático utilizado para dores e nervos danificados, depressão nervosa, do trismo e tétano (por ferimentos da palma ou planta do pé) de forma interna e externa. Também para nevralgias pós-operatórias, nevrite, hemorroidas comuns e das feridas laceradas. Seu uso externo se dá em feridas por pregos ou lascas por marteladas, por espinhos e corpos estranhos penetrantes. Feridas por armas de fogo, panarício, nevrite traumática, úlceras gangrenosas e sépticas, feridas dilaceradas e nevralgias traumáticas. Aplica loções mornas com 5% de T.M. FERIDAS – 15 gotas de Hypericum D3 antes de todas as refeições. LUMBAGO – 15 gotas de Hypericum D3 antes das refeições de 6 em 6 horas.

Pets e outros animais

Se esta erva for consumida, pode causar envenenamento no gado.

Informações em outros sistemas de saúde

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

O que diz a ciência

Em estudos controlados, a hypericina demonstrou aliviar sintomas de ansiedade e depressão em mulheres.

Astrologia

Seu regente é o Sol.

Indicações energéticas ou mágicas

Se utilizado em volta do pescoço, preveni febres. Usar a erva na roupa irá protegê-lo na guerra e nas batalhas e, inclusive contra a indecisão e a falta de vontade. Utilizado em exorcismo. Tê-lo em casa, afasta feitiços. Diz-se que, se você colher a erva a noite e colocá-la na guarda da cama, irá sonhar com seu futuro marido.

Habitat

Planta nativa da Europa e da Ásia, frequentemente encontrada ao redor de pinheiros.

Descrição da planta

É um pequeno arbusto com flores amarelas ou esverdeadas nativo da Europa. Suas flores possuem pequenos pontos translúcidos nas suas pétalas que são mais bem observadas contra a luz e podem atingir até cerca de 1 metro de altura. Nas pastagens, o Hipérico é considerado uma erva daninha nociva que pode tornar a área improdutiva, inclusive por envenenamento do gado.

Vamos plantar?

Planta invasora, considerada daninha.

Artigos relacionados

Fontes de pesquisas utilizadas

http://www.plantamed.com.br/http://anamaya.blogs.sapo.pt/275.htmlhttp://essenciasvibracionaisofia.blogspot.com/2009/07/floral-de-erva-de-s-joao-hypericum.htmlhttp://www.grupos.com.br/blog/terapiafloraldeminas/month/06-2007.html • As plantas e os planetas – Ana Bandeira de Carvalho – Ed. Nova Era • Vademecum de Fitoterapia – Pedro del Rio Pérez • Indian Medicinal Plants – C.P Khare – Springer • The Big Herbal Encyclopedia – Anônimo – PDF • Higiene e Tratamento Homeopático das Doenças Domésticas – Dr. Alberto Seabra – Associação Brasileira de Homeopatia • Hipérico – Anônimo – PDF • ITF – Índice Terapêutico Fitoterápico – EPUB • Enciclopédia de Medicina Natural – Marcílio Franco da Costa Pereira – Madras • 100 Plantas para viver até os 100 anos – Anônimo – PDF • Apostila A Acupuntura das Ervas Medicinais – Rodrigo Silveira – Ervanarium • The Yoga of Herbs – Dr. David Frawley and Dr. Vasant Lad – Lótus Press • The Way of Herbs – Michael Tierra C.A, N.D – Pocket Books
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email