Hibisco

Esta é uma planta ornamental amplamente utilizada no Brasil como arbusto para cercas vivas e como arvoreta. Das flores, é extraída uma tinta escarlate utilizada na culinária e como cosmético para pintura das sobrancelhas. O Hibisco dá origem a uma graxa vegetal utilizada para lustrar sapatos e couro. A tinta proveniente das flores confere uma coloração avermelhada aos cabelos quando utilizada como enxague. Quando misturado ao suco de Vernonia (Vernonia cinérea), estimula a expulsão dos resíduos após o aborto.

 

Nome Científico:

Hibiscus rosa-sinensis L.

Nomes botânicos:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Nomes Farmacêuticos:

Hibisci flos.

Partes usadas:

Flores secas.

Composição Química:

Proteína, tiamina, riboflavina, niacina, cyandidin-3-sophoroside, quercetin, kaempferol, betulinic, ácido, hexyl stearate, tetratriacontanol, nonacosane, stigmasta-3, 7-dione, beta-sitosterol, anthocyanin, cyanidin glucoside, gossypetin.

Indicações para uso interno:

Sistema Gastrointestinal: náusea, dor de estômago, cólicas intestinais.

Sistema Urinário e Genital: sangramento menstrual excessivo, dismenorreia, metrorragia, aborto espontâneo, menorreia, dor para urinar, cistite, doenças venéreas.

Sistema Respiratório: asma, tosse, catarro,

Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: pressão alta, toxinas no sangue.

Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: resfriado, sedativo do sistema nervoso, febre, gripe, inchaço,

Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: hérnia.

Sistema Renal: cólicas renais.

Outros distúrbios: insônia, inflamações da garganta e dos olhos, câncer, conjuntivite, dor de cabeça, rouquidão, inflamação, caxumba, tumor.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta::

Flores – todas as aplicações.

Indicações para uso externo:

Pele e unhas: dermatose, melhora a aparência da pele, feridas.

Cabeça e face: faz o cabelo crescer, oftalmias.

Outros distúrbios: usado como cataplasma sobre tumores de células cancerosas e na caxumba.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta:

Flores – todas as aplicações.

Aromaterapia:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais:

Categoria 2 – ervas para reduzir calor do corpo • Categoria 12 – ervas para regular o sangue •

Uso homeopático:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Pets e outros animais:

Suas folhas são muito apreciadas por coelhos.

Informações em outros sistemas de saúde:

Estudos na Índia indicam a ação contraceptiva do Hibisco.

Indicações energéticas ou mágicas:

As flores de Hibisco são sagradas para o Senhor Ganesh e são utilizadas para remover obstruções do primeiro chakra (raiz ou básico).
Esta erva ajuda a que os mantras frutifiquem, concede siddhis (poderes ocultos) e aumenta a concentração na meditação.
É parte importante nos pujas (cerimônias) e tem importância similar à flor de lótus e as rosas, nas cerimônias sagradas.
Ajuda a purificar o coração, física e espiritualmente.
Considerada uma das ervas do amor. Seu elemento é a água.

Nome Conhecido:

Amor-de-homens, Amor-dos-homens, Aurora, Brincos, Brincos-de-vênus, Firmeza-dos-homens, Graxa-de-estudante, Graxa-de-soldado, Pampoela, Pampulha, Papoula, Rosa-da-China (Português), Cotton-Rose, Rose Mallow, Rose of China, Confederate Rose (Inglês), Sthala-Padam, SthalKamal (Ayurveda), Irratai-vellaichembarattam, Sembarattai (Siddha/Tamil), Zu Jin, Chuan Jin Pi (Chinês).

Família:

Malvaceae.

Sabor:

<p>Doce e adstringente.</p>

Propriedades medicinais gerais:

Laxante, antioxidante, anafrodisíaco, adstringente, oftálmico, analgésico, antiestrogênico, anti-inflamatório, depressor do SNC, contraceptiva, diaforético, embriotóxico, emoliente, hipotensivo, antiespasmódico, alterativo, emenagogo, refrigerante, hemostático, demulcente.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta:

Flores – todas as aplicações.

Para crianças:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações:

Evitar na gravidez e em pessoas com Pitta agravado ou com fortes calafrios.
Em algumas pessoas a planta pode causar dermatite de contato.

Interações medicamentosas:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Toxicidade:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Uso culinário e nutritivo:

O corante extraído a partir de suas flores secas é utilizado para conferir cor em pratos na culinária.

Sistemas Florais:

Sistema Florais Da Califórnia: a essência Hibiscus, elimina a apatia, estimula a sexualidade e a criatividade na relação íntima e conecta com a disposição para o prazer.
Florais de Minas: Hibiscus – promove a integração e elimina o desprazer.
Florais da França: Hibiscus – promove a integração e o estímulo e elimina o desprazer.
Sistema AUM Himalaya: Red Hibiscus – promove a integração e o estímulo e elimina o desprazer.

Medicina Chinesa (MTC):

Seus nomes chineses são Zu Jin, Chuan Jin Pi. Erva utilizada para regular o sangue (xue) e tonifica o yin do fígado. Atua nos canais do pulmão, fígado e bexiga.

Ayurveda:

A erva reduz Vata e Kapha e agrava Pitta (se em excesso).
Seu nome em sânscrito é Japa.
Atua nos tecidos sanguíneo, plasmático, muscular, medular, nervoso e reprodutivo. Tem atuação nos sistemas circulatório, reprodutivo feminino e nervoso.
Erva eficiente para desordens do primeiro e segundo chakra, para desordens urinárias ou dos rins, para aquecer o sistema reprodutivo, em congestões e contrações.
Seu uso moderado é indicado como uma excelente bebida de verão para refrescar e baixar calor interno. Sua rasa é doce e adstringente. Sua virya é fria e sua vipaka é doce.

O que diz a ciência:

Os estudos em camundongos revelaram que a erva possui propriedades contraceptivas, porém não abortivas.

Astrologia:

Planta regida pelo planeta Vênus.

Habitat:

Originária da China, bem adaptada ao Brasil.

Descrição da planta:

Arbusto ou arvoreta, ramificada, de caule redondo, folhas ova ladas, crenadas, ápice acuminado e base obtusa, flores vermelhas grandes.

Vamos plantar?:

Mesmo sendo de origem de clima temperado, adapta-se bem a clima tropical a subtropical.
A planta exige solo fértil e bem drenado não tolera solos ácidos.
Pode ser plantada como arbusto de destaque ou em cercas vivas, à beira de regatos. Fazer o plantio com um espaçamento de três mudas a cada 2 metros.
Pode ser propagada por estacas e ramos, enraizadas em areia ou vermiculita.
A época do plantio deve ser na primavera.
A colheita inicia 14 a 15 meses após o plantio.

Fontes de pesquisa utilizadas:

http://www.itodas.com.br/bem-estar/florais-para-mulher • CD Rom – Ervas Medicinais – Volume 1 – Anônimo • Chinese and related North American Herbs – phytopharmacology and therapeutics values – Thomas S. C. Li – CRC Press • Dandelion Medicine – Brigitte Mars – Storey Books • Dukes Handbook of Medicinal Plants of Latin America – James A. Duke with Mary Jo Bogenschutz-Godwin, Andrea R. Ottesen – CRC Press • Herbs for Healthy Skin, Hair and Nails – Brigitte Mars – Keats Publishing Inc • Indian Medicinal Plants – C.P Khare – Springer • Medicinal Plants – utilisation and conservation – 2ª revised and enlarged edition – P. C Trivedi – Aavishkar Publishers, Distributors • Plantas que curam – Enio Emmanuel Sanguinetti – Editora Rigel • Plantas medicinais na Amazônia e Mata Atlântica – Luiz Claudio Di Stasi e Clélia Akiko Hiruma-Lima – Editora Unesp • The Yoga of Herbs – Dr. David Frawley and Dr. Vasant Lad – Lótus Press • Florais do Mundo – Nei Naiff – Nova Era • Plants for life – Medicinal plants conservation and botanic gardens – Belinda Hawkins – BGCI • Medical Toxicology of Natural Substances – Foods, Fungi, Medicinal Herbs, Plants and Venomus Animals – Donald G. Barceloux MD, FAACT, FACMT, FACEP – Wiley – a Jonh Wiley & Sons, INC., Publication • Herbal medicines in pregnancy and lactation – an evidence-based approach – Edward Mills, Jean-Jacques Dugoua; Dan Perri; Gideon Koren – Taylor and Francis • Herbal Magick – a witchs guide to herbal folklore and enchantments – Gerina Dunwick – New Page Books • Taiwanese Native Medicinal Plants – Phytopharmacology and Therapeutics Values – Thomas S.C. Li, Ph.D. – CRC Press •