Eucalípto

Erva muito utilizada como erva purificadora em saunas. O eucaliptol faz parte de inúmeras preparações farmacêuticas tais como pastilhas, xaropes, cápsulas, soluções injetáveis, supositórios e dentífricos. Está comprovada a capacidade do óleo de dilatar os bronquíolos. As flores e Inflorescência devem ser acondicionadas em sacos de papel, plástico transparente ou recipientes de vidro bem fechados. Existem 21 espécies comerciais de eucalipto hoje.

Nome Científico:

Eucalyptus ssp.

Nomes botânicos:

Eucalyptus globulus Labill., E. citriodora, E. torelliana e E. cloeziana, E. urophylla, E. camaldulensis e E. robusta., E. exserta e E. staigeriana., E. paniculata, E. grandis, E. urophylla e E. saligna., E. dunnii e E. pilularis.,

Nomes Farmacêuticos:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Partes usadas:

Folhas, flores e óleo essencial.

Composição Química:

Ácido butírico, ácido gálico, ácido hidrociânico, ácido isobutírico, ácido isovalérico, ácido quínico, ácido tânico, álcool cumínico, borneol, benzaldeído, butiraldeído, carvone, cimeno, cineol, citral, ellagitaninos, eucaliptol, geraniol, isopreno, isovaleraldeído, felandreno, flavonóides, limoneno, linalol, pineno, quercitrina, rutina, saponina, triterpenos e valeraldeído.

Indicações para uso interno:

Sistema Gastrointestinal: disenteria, afecções bucais e estomacais, vermes intestinais.
Sistema Urinário e Genital: cistite, infecção urinária.
Sistema Respiratório: pára corizas, inflamação na garganta, bronquite, rinite, asma, tuberculose, sinusite, fluidifica secreção respiratória, pneumonia, bronquite, difteria,
Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: gota, problemas de circulação, estimula fluxo sanguíneo local.
Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: ciática, nevralgia, resfriado, gripe, neuralgia.
Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: reumatismo.
Sistema Renal: nefrite.
Outros distúrbios: equilibra energias, usado em saunas para purificar o ar, analgésico para cefaleia, febre, tem ação antibacterial sobre Staphylococcus aureus, Shigella dysenteriae, Haemophilus influenzae, enterobacteria, Escherichia coli, Pseudomonas aeruginosa, Candida albicans, Klebsiella pneumoniae, Salmonella spp., Helicobacter pylori, seu agradável aroma tem efeito positivo sobre o sistema límbico, enxaqueca crônica, dor de cabeça congestiva, malária, tétano.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta::

Flores – leucorreia (flores brancas).

Indicações para uso externo:

Pele e unhas: chagas, herpes simples, queimaduras, acne, bolhas.
Cabeça e face: ozena, foliculite.
Cavidade bucal: herpes labial.
Músculos, ossos e articulações: dores musculares e articulares.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta:

Folhas – mau-hálito e garganta inflamada (gargarejo).
Óleo essencial – picada de insetos, repelente de insetos.

Aromaterapia:

O óleo essencial confere disciplina e organização. É proveniente de uma das maiores árvores do mundo e nativa da Austrália. Seu nome vem do grego, eucalypos, que significa “bem coberto”, pelo fato de os botões das flores serem cobertos por uma membrana, que é afastada quando a flor se abre.
O óleo de eucalipto é um bom inalante e serve para fricções peitorais; tem um odor semelhante ao da cânfora e um sabor suavemente amargo. É excelente para tratar todos os tipos de febres e certas doenças como gripes, escarlatina e difteria, por ter um forte efeito refrescante e também por ser um dos melhores óleos antissépticos. Conhecido pela sua ação sobre o trato respiratório, o eucalipto é expectorante e antiespasmódico, usado na sinusite, na tuberculose e nas infecções da garganta, quando há grande corrimento de muco.
É também um rubefasciente, sendo aplicado externamente em casos de dores musculares e reumáticas. É ainda um remédio sistêmico para a artrite reumatoide, pelo seu leve efeito adstringente.
O óleo tem ação antimicrobiana sobre praticamente qualquer tipo de microrganismos. Também apresenta propriedades energéticas que dissolvem energias negativas. Muito recomendado para limpezas da casa (5 gotas por balde de água) e para adicionar na máquina de lavar roupa durante a lavagem (3 gotas).
O óleo essencial pode ser fatal, se ingerido.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais:

Categoria 1 – Ervas para induzir a transpiração • Categoria 3 – ervas para agir contra o reumatismo • Categoria 10 – Ervas para suprimir tosse e reduzir catarro • Categoria 20 – ervas para aplicações externas •

Uso homeopático:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Pets e outros animais:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Informações em outros sistemas de saúde:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações energéticas ou mágicas:

Esta planta é consagrada ao deus Apolo. Ajuda a reequilibrar o lado emocional e as energias do corpo, agindo contra a angústia. É uma das únicas plantas que remove a energia negativa dos lugares. Deve ser usada na forma de óleo essencial para limpeza física dos ambientes (5 gotas de óleo para cada balde de água). Recomenda-se que terapeutas limpem seu espaço de trabalho com óleo de eucalipto dissolvido em água no mínimo uma vez por semana, para remover acúmulos de energia estagnada do ambiente.

Nome Conhecido:

Gomeiro-azul, Árvore-da-febre, Calipse, Calipes (português), Eucalyptus (inglês), Ocalo (espanhol), Eucalyptus (francês), Eucalipto (italiano) e Blaugummibaum (alemão).

Família:

Myrtaceae

Sabor:

Picante, amargo e amornante.

Propriedades medicinais gerais:

Antigripal, diurético, anti-inflamatório, antisséptico, vulnerário, febrífugo, expectorante, adstringente, anti-helmíntico, balsâmico, hipoglicemiante, estomáquico, sedativo, tônico, bactericida, antiviral, repelente, estimulante, desinfetante, antimalárico, antifúngico, antipirético, aromático, antiespasmódico, antirreumático, antioxidante, vermífugo, calmante, refrescante, desodorante, broncodilatador, sudorífico,

Propriedades medicinais de partes específicas da planta:

Raízes – purgativo.

Para crianças:

As mesmas indicações feitas para adultos. Atentar as contraindicações (abaixo).

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações:

O eucalipto deve ser evitado na gravidez e na lactação; em pessoas com sensibilidade ao eugenol; em portadores de doenças inflamatórias do trato gastrointestinal e/ou dos dutos biliares ou doenças hepáticas graves.
O uso no rosto ou nariz de crianças pode causar reação alérgica e mesmo espasmos na laringe.
Em preparações concentradas, pode causar náuseas, vômitos, queimação epigástrica e diarreia.
Mais raramente pode ocorrer dermatite de contato, rash micropapilar, eritema e prurido.
Não se deve nunca ingerir o óleo essencial puro. Em doses elevadas, a essência pode provocar gastroenterite e hematúria.
Não aplicar preparados de eucalipto na face, principalmente na região do nariz.

Interações medicamentosas:

Seu uso pode potencializar efeitos de medicamentos antidiabéticos.

Toxicidade:

O vapor do eucalipto pode transmitir o fungo Aspergillus. O óleo essencial pode ser fatal se ingerido. Superdosagem ou hipersensibilidade pode causar náusea, vômitos e diarreia.

Uso culinário e nutritivo:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Sistemas Florais:

Florais das Gerais – para comportamento contraditório; oscilação entre viver e querer morrer; distúrbios respiratórios.
Florais de Minas – para conflito existencial que confronta a legitimidade/legalidade do viver/morrer.

Medicina Chinesa (MTC):

O eucalipto elimina fleuma-umidade-calor do pulmão, corrige vazio do yin do pulmão, utilizado em ataque de vento-calor, elimina fleuma-umidade da bexiga. Elimina a estase do sangue e a estase do Qi e do frio. Elimina fleuma-umidade-calor no Jiao superior. Atua nos canais do Intestino Grosso, Bexiga, Pulmões, Coração, Baço/Pâncreas e Estômago. Erva associada ao elemento Metal.

Ayurveda:

O eucalipto reduz Vata e Kapha e agrava Pitta. Seus nomes ayurvédicos são Tilaparna,Tailaparna, Sugandhapatra, HaritaparnaNeela-niryaasa, Tribhandi,Triputaa, Sar-alaa, Suvahaa, Rechani, Nishotraa. Sua rasa é picante sua virya é quente. A vipaka é picante.

O que diz a ciência:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Astrologia:

Seu regente é Saturno. Outra fonte aponta o regente como sendo Mercúrio (Plantas que curam – Sanguinetti).

Habitat:

É uma planta originária da Austrália e difundida em todo o mundo.

Descrição da planta:

É uma planta de porte arbóreo, grande e que atinge até 70 metros de altura. Tem ramos cilíndricos, pouco folhosos e com casca lisa, de coloração acinzentada ou castanha. Suas folhas são alternas, com pecíolo e superfície coriácea. Suas flores são axilares e de coloração branca ou amarelada. O fruto é do tipo cápsula, com sementes férteis, de formato arredondado e coloração preta, ou inférteis, de coloração vermelha e formato filiforme.

Vamos plantar?:

O preparo adequado do solo depende de sua condição de umidade, do dimensionamento, da utilização correta dos equipamentos, máquinas e implementos a serem utilizados.
Para o plantio de eucalipto, a melhor alternativa é o cultivo mínimo. Pode-se empregar o subsolador ou o escarificador, para o adequado preparo da linha de plantio, combinando com o herbicida aplicado em área total, O objetivo dessa etapa é preparar o solo apenas no local de plantio das mudas (linha de plantio).
A profundidade de preparo da linha de plantio depende do tipo de solo.
Dentre as várias condições, o espaçamento e a quantidade de plantas por hectare a serem adotados devem estar de acordo com o nível de tecnologia disponível. Pode-se adotar espaçamento maior (3,5 x 3,0 a 3,5m entre ruas x 3,0m entre plantas) – aproximadamente 950 plantas por hectare – quando o nível tecnológico é elevado e o índice de mortalidade de mudas plantadas é inferior a 1%.
Espaçamentos menores 93,0m x 2,0m ou 3,0m x 1,5m) – com 1.660 a 2200 plantas por hectare devem ser adotados em plantio onde a seleção das mudas, o preparo de solo e a qualidade das operações florestais, entre outros fatores, ainda não atingiram o padrão tecnológico desejável.
Outro fator importante na determinação do espaçamento é a finalidade do plantio. Na produção de madeira para celulose, mourões de cerca ou energia – lenha e carvão – pode-se utilizar espaçamento menor, com estimativa de corte da floresta ao redor de 7 anos. Na produção de madeira para serraria, ou para poste pesado, podem-se utilizar espaçamentos maiores. Para isso é necessário que o nível tecnológico seja compatível, a espécie plantada seja a indicada, que os desbastes seletivos ocorram com corte de 30 a 50% das árvores e que a estimativa de corte da floresta esteja acima de 12 anos.
A floresta de eucalipto responde favoravelmente à adubação, principalmente a de plantio. O ideal é usar adubação recomendada a partir da análise do solo. Pode-se indicar uma adubação baseada na exigência da cultura – 250 a 300kg de superfosfato triplo por hectare. Distribuídos na linha de plantio durante o preparo de solo ou imediatamente após o plantio, ou 350 a 400kg de adubo NPK 06-30-06, distribuídos da mesma forma que o superfosfato triplo.
Além dessa adubação rica em fósforo, realizada durante o plantio, é necessária a adubação com nitrogênio e potássio, realizada de 3 a 6 meses após o plantio. Para isso podem-se usar sulfato de amônio e cloreto de potássio, ou ainda 150 a 200 kg por hectare do adubo NPK 18-06-24. Cabe destacar que a produtividade da floresta de eucalipto, entre outros fatores, está fortemente relacionada à disponibilidade de nutrientes.
As mudas para plantio devem ser padronizadas em lote homogêneo. O plantio das mudas pode ser irrigado ou ocorrer em períodos mais chuvosos. Nos casos em que a irrigação é necessária, recomenda-se irrigar com 3 a 4 litros de água/planta no dia do plantio. Somente em condições climáticas muito secas a operação é repetida uma ou duas vezes. Em geral, apenas uma irrigação bem-feita é suficiente para o desenvolvimento das mudas.
A área de plantio deve estar demarcada e o plantio ser feito com o auxílio do enxadão, para as mudas embaladas em sacos plásticos, ou com o auxílio da plantadeira manual, para as mudas produzidas em tubetes. Quando se tem um bom preparo de solo, a cova poderá ter a dimensão do recipiente da muda. As mudas devem ser colocadas a prumo nas covas, fazendo-se um coroamento ao seu redor, no nível da superfície do solo.

Fontes de pesquisa utilizadas:

http://www.plantamed.com.br/ • http://biovida.site50.net/descricao/eucalipto.html • http://www.cati.sp.gov.br/portal/produtos-e-servicos/publicacoes/acervo-tecnico/plantio-de-eucalipto • A astrologia da Mãe-Terra – Márcia Starck – Pensamento • Ervas do Sítio – Rosy L. Bornhausen – Bel Comunicação • Apostila de Fitoterapia Chinesa – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • Herbal Antibiotics – natural alternatives for treatings drug-resistants bacteria – Stephen Harrod Buhner – Storey Books • Indian Medicinal Plants – C.P Khare – Springer • Plantas que curam – Enio Emmanuel Sanguinetti – Editora Rigel • 100 Plantas para viver até os 100 anos – Anônimo – PDF •