Nome Popular: Calêndula

Outros nomes: bem-me-quer, mal-me-quer, bem-me-quer-de-todos-os-meses, calêndula-das-boticas, maravilha, maravilha-dos-pudins, malmequer, malmequer-amarelo, malmequer-do-campo, mal-me-quer-dos-jardins, malmequeres, margarida-dourada, verrucária, garten-ringelblume (alemão), caléndula (espanhol), calendule (francês), marigold (inglês), fiorrancio coltivato (italiano).

Nome científico: Calendula officinalis L.

Nomes botânicos: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Nome farmacêutico: Flos calendulae

Partes usadas: folhas, flores e talos.

Sabor: picante, amargo e refrescante.

Constituintes químicos: ácidos fenol-carboxílicos; ácidos láurico, palmítico, esteárico; ácido mirístico; ácido oleanóico; ácidos orgânicos; ácido salicílico (traços); arnidiol; calendina; calenduladiol; cariofileno, carvona, ésteres colesterínicos; cumarinas; ésteres glicosídicos, faradiol; flavonóides: quircentina, quircentino glicosideo e narcisina; hidrocarboneto; isomentona; matérias corantes; mentona; minerais: ca, Si; mucilagem; óleo essencial contendo: carotenóides (caroteno, calendulina, licopina) flavocromo, mutocromo, aurocromo, flaroxantina, crisantimaxantina e xantofila; óleo volátil; poliacetilenos; polissacarídeos; princípios amargos (calendina); resina; saponinas; sesquiterpenos; taninos; taraxasterol; mono, di e triterpenos (arnidiol, faradiol); vitaminas: pró-vitamina B; xantofilas.

Propriedades medicinais: antiespasmódica; emenagoga; colagoga; adstringente, analgésica, antiabortiva, antialérgica, anti-emética; anti-séptica, antiviral, calmante, cicatrizante, colagoga, emoliente, excitante, protetor dos raios U.V.a e U.V.b., refrescante, reguladora da menstruação, resolutiva, suavizante, sudorífica, tonificante da pele, vasodilatadora, vulnerária; antiparasitária; lenitiva; bactericida; antifúngica; diaforética; anti-hemorrágica; hipotensora; abortifaciente; angiogênica; anti-helmíntica; antiblastocística; antiedêmica; anti-HIV; antipirética; antisarcômica; anti-supurativa; antitumoral; afrodisíaca; canditicida; cardiotônica; carminativa; CNS-depressiva; estrogênica; HIV-RT-inibidora; imunoestimulante; laxativa; espermicida; uterogênica; anti-mutagênico; calicida;

Indicações (Uso interno): FLORES: sudorífica para febres em doenças bacterianas; atuam na intolerância a gorduras e cólicas biliares; antiinflamatório local para inflamações cutâneas; a planta toda também é utilizada em abscessos estomacais; afecções nervosas; câncer da matriz e do estômago; cólica menstrual e congestão do baixo ventre; dermatite por monília e estreptococos; dismenorréia, doença glandular; escorbuto; estimula a granolocitose e fagocitose, fissuras da mama; foliculite; gastrite; gengivite; icterícia, impetigo; pólipos; psoríase; resfriado; úlcera duodenal e gastrointestinal; vômito; vulvovaginite (tricomoníase e candidíase); ação imunoestimulante; anticancerígena; vitaliza o sangue; reduz lipídios; reduz tumores; ajuda no trabalho de parto; diarréia; edemas; inflamações em geral; hematúria; tosse; bronquite; dispepsia; males do fígado e da vesícula biliar; amenorréia; dismenorréia; epistaxe; veias varicosas; hemorróidas; eczemas anal; linfadenoma; cólera; gripe; febre; leucorréia crônica; endometrite; adenopatia; aterosclerose; artroses; câncer de cólon, mama, intestino, pele, útero e estômago; condiloma; enterose; gingirragia; hepatose; herpes; gastrose; flatulência; esclerose; icterícia; insônia; mastite; mucosidades; nefrose; nervosismo; pneumonia; proctosis; escrófula; esteatoma; tifo; retenção de líquido; xeroderma; fermentações; infecções da garganta por estreptococcus; infecções por estaphylococcus; sífilis; ulcus cruris.

Indicações (Uso externo): FOLHAS: anti-reumáticas para uso tópico em artrites e tendinites; ceratolítico para uso local em verrugas e calos. A planta toda também pode ser utilizada em acnes; eczema seborréico e irritações do couro cabeludo; aftas, alergias; artritismo; assaduras; avermelhamento da pele; brotoejas; calos; clareia manchas; dermatite por monília e estreptococos; erupções cutâneas e escaras; frieiras; fungos; inflamação da pele, mucosa da boca e garganta; palidez; peles sensíveis, avermelhadas e delicadas; queimadura leve do sol; rachaduras; regeneração de tecidos danificados; varizes e verrugas; vulvovaginite (tricomoníase e candidíase); blefarite; conjuntivite; sangramento de gengivas; leucorréia crônica; hipersensibilidade das mucosas; picada de abelha; bolhas; herpes; furúnculos; micoses; flebites; entupimento do canal lacrimal; ação antibacteriana e antifúngica para infecções da pele; cicatrizante tópico para queimaduras em geral e feridas.

Indicações pediátricas: as mesmas indicações que para adultos.

Utilizações na MTC: nome chinês: JIn Tsan Jiu. Elimina calor tóxico; para estagnação do sangue no Útero; para estagnação de sangue; estagnação do Qi do Útero; estagnação do Qi do Fígado; para vento-calor externo e vazio do Qi do Coração; vazio do sangue do Fígado.

Atuação nos canais: F, VB, BP e B.

Elemento predominante na MTC: Terra.

Classificação da Erva na MTC: Categoria 11 – Ervas para regular o Qi  Categoria 12 – Ervas que regulam o sangue Categoria 19 – Ervas para úlceras e tumores Categoria 20 – Ervas para aplicações externas.

Ayurveda (Ação nos doshas): reduz Pitta e Kapha, aumenta Vata.

Rasa: picante e amargo.

Virya: fria.

Vipaka: picante.

Informações em outros sistemas de saúde: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia: o óleo essencial carreador de cor clara e com boa textura que acalma e cicatriza a pele áspera e rachada, indicado nas varizes, inflamações e queimaduras. Em inflamações das gengivas após extração dentária. Indicado para todo tipo de pele, inclusive com acne, sensíveis e avermelhadas pela ação do ácido oléico, que tem ação calmante e refrescante de absorção rápida. Extraído da maceração das flores em um óleo fixo, sendo assim este óleo não é de fato um óleo fixo. Não existem contra-indicações ou reações alérgicas conhecidas. Forma boa sinergia com o óleo de hipérico.

Floral: FLORAIS DO SUL – para aquele indivíduo cuja raiva explosiva provoca lesões no corpo físico, etérico, mental e emocional. Sua raiva age como um corrosivo.
Indivíduo acometido por úlceras, erupções na pele, câncer, AIDS, etc. Todos os distúrbios que fazem lesão e destruição de algum órgão ou sistema. A flor resgata o amor da luz solar – arquétipo paterno – reencaminhando a energia destrutiva para retecer e recriar o que o indivíduo destrói. Remoe a raiva e vai de um extremo ao outro. É a pessoa que está sempre destruindo ao seu redor. Sua fúria violenta destrói através da palavra e do pensamento (emitem pensamentos destrutivos em relação a outras pessoas e/ou costumam ter seus aparelhos elétricos estragados freqüentemente. Oscila entre a extrema passividade e a extrema agressividade. Constantemente testa os demais para certificar-se se é bem quisto ou não. Quando se sente querido assume conduta passiva; quando não, explode agressivamente. “Ou bem me querem ou me rejeitam”. O núcleo emocional é o sentimento de rejeição, frente ao qual o indivíduo reage com extrema violência. Não integra amor e rejeição. Quando se sente rejeitado abandona pessoas e situações repentinamente. Não reconsidera e não reconstrói laços. Reprime seu sentimento de amor para não se expor a novo risco de rejeição. FLORAIS DA FRANÇA – variação entre o bom humor e a cólera, insatisfação permanente, oscilação entre a razão e a emoção, alternância entre amor e ódio, agressividade verbal e física, opressão, injúria e briga, auto-destruição, insucesso por culpa própria, superficialidade nas relações. FLORAIS DE MINAS – Para aquele indivíduo “oito ou oitenta”, “tudo ou nada”, “morte ou vida”, que está sempre nos limites extremos da razão e do sentimento, para as atitudes, posturas e situações em que há formas destrutivas de criatividade interiorizadas; para a agressividade verbal, emocional e física e a destrutibilidade e todas as suas formas de manifestação no indivíduo. No âmbito do corpo mental concreto, a pessoa pode apresentar bloqueios extremos da criatividade, dando margem a pensamentos negativos e persistentes de separação e desamor. No corpo emocional, a personalidade pode experimentar sentimentos extremos de ódio e amor e oscilações fulminantes de humor e cólera. No corpo etérico-físico, o bloqueio de criatividade pode fazer aflorar formações celulares estranhas em seu conjunto, como cânceres, tumores benignos, verrugas, putrefações e deformações ósseas. FLORAIS DE RAFT – traz afabilidade, receptividade e firmeza na escolha. FLORAIS DE AIURUOCA – a Calêndula é utilizada em duas fórmulas florais  do Kit dos Tatwas: F1- Excesso de fogo – diminui o excesso do elemento fogo no temperamento e o ritmo físico, promovendo a tranqüilidade, calma, paciência, tolerância e humildade. F23 – Criança interior – para crianças e adultos que tem dificuldade de adaptação no mundo ou que possuem forte carência afetiva, reagindo com medo ou agressividade diante dos limites e regras do mundo material. Possibilitam o retorno da pureza e do estado de felicidade, alegria e espontaneidade, próprios da criança. Para crianças índigo, hiperativas e com Distúrbio do Déficit de Atenção (DDA). Para adultos ajuda a resolver os problemas de sua criança interior, retornando ao estado de alegria e descontração. FLORAIS DA CALIFORNIA – Como floral californiano, ela nos oferece qualidades singulares e muito benvindas. Escutando as outras pessoas com atenção, apreciação e respeito; tendo cuidado, jeito e diplomacia ao se comunicar. Encontrando o caminho e desenvolvendo a arte de criar, através das palavras, entendimento e acordos que possam ser bons para ambas as partes. Evitando se colocar de formas que causem reações defensivas e acabem por prejudicar e aumentar a tensão nas situações. Assim, as qualidades da “língua ferina”, que analisa de forma dura e crítica, e podem tocar diretamente no âmago de onde mais dói, passam a ser usadas para escutar o que as pessoas querem dizer, e saber usar palavras para curar e sanar as situações. Usando as palavras de maneira que as pessoas possam sentirem-se reforçadas e valorizadas, e também de uma forma que a comunicação possa ser aberta e clara. Tendo o cuidado de não falar de maneira que pareça que você está fazendo críticas, que possam colocar a outra pessoa na defensiva, por se sentir julgada ou ofendida. Sabendo dizer o que você precisa ser dito sem constrangimento, e ao mesmo tempo conseguindo cuidar das relações, de forma que elas se desenvolvam e possam se aprofundar na forma de amizades duradouras e preenchedoras. Desenvolve a comunicação clara que é ao mesmo tempo cuidadosa e amorosa; falar focalizando de coração para coração. Fortalecer o dom de aconselhar e curar através do uso da palavra. Desenvolve a capacidade de escutar a outra pessoa, e também ajuda saber receber. É apenas questão de desenvolvermos a prática dessa sensibilidade no uso das palavras. Podemos ser precisos, amorosos e justos, e ao mesmo tempo nunca usar nosso poder com as palavras para machucar ou destruir. É tudo uma questão de exercitar essa oitava mais elevada na comunicação. E descobrir seu potencial curador. FLORAIS DAS GERAIS – agressividade verbal, emocional e física, auto-destrutividade, sentimentos extremos de ódio e amor (oito ou oitenta), explosões de cólera e bloqueio da criatividade. OUTRAS INFORMAÇÕES – Calêndula em latim “calendae” significa o primeiro dia de cada mês. Os romanos designaram-na assim por observar que todos os meses havia calêndulas. Nos tempos de CULPEPER, a Calêndula era tomada “para fortalecer o coração, combater a varíola e o sarampo”. Os gregos usavam essa planta para os problemas nos olhos, como catarata e visão borrada. Na atualidade, é muito usada na medicina homeopática. É muito indicada para terapeutas, advogados, médicos, agentes de cura, psicólogos, docentes que trabalham com a palavra, já que confere a esta certo valor de cura ou de concentração, pelo modo de dizê-la. Dá empatia e compaixão. Ajuda a perceber sentidos diferentes por trás das palavras. Este floral aumenta a sensibilidade, a delicadeza, a tolerância, a paciência, a sinceridade. Ajuda os idosos a entender melhor o que lhes esta sendo dito.

Homeopatia: erva utilizada para tratamento de contusões. Chama-se calendula e é utilizada na potência 12C. Seu uso homeopático apresenta risco mínimo na gravidez. ADENITE – aplicar 20 gotas de Calendula TM sobre o local em uma flanela úmida e aquecida 3X ao dia. AFTA – lavar o local afetado com um copo de água morna com 20 gotas de Calendula TM. CAXUMBA – bochechar com 20 gotas de Calendula TM em água morna. CIEIRO – pomada de Calendula TM. CORTES –  compressa com 20 gotas de Calendula T.M.  ESCARA – aplicar compressa de oito em oito horas de Calendula T.M na região afetada. FISSURA ANAL – aplicação local de Calendula T.M. FRIEIRAS – pomada de Calendula T.M localmente. LINFAGITE – aplicações locais de Calendula T.M 3X ao dia. MORDIDAS – de origem não-venenosa- aplicação local com pomada de Calendula. PÉ-DE-ATLETA – aplicação local com pomada de Calendula. PELE SECA – utilizar pomada de Calendula de 8 em 8 horas. PICADAS – compressa com 20 gotas de Calendula T.M localmente. SINÓVIA – aplicação local de uma colher de chá de Calendula T.M em compressa localizada. TUMORES NOS SEIOS –  aplicação local de Calendula T.M 3X ao dia.

Contra-indicações: na gravidez e lactação. Pode causar dermatite de contato em pessoas sensíveis.

Interações medicamentosas: deve ser evitado uso concomitante com barbitúricos e sedativos. Tem boa sinergia com Equisetum arvensis, Taraxacum officinalis, Aloe vera e Hamamelis virginiana para tratamento de afecções cutâneas. Para tratamentos de afecções gástricas e digestivas tem excelente sinergia com ervas como Zingiber officinalis, Matricaria chamomilla e Mentha piperita.

Uso Veterinário: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Doses: USO INTERNO – folhas e caules em saladas verdes; Infusão ou Decocção: dose máxima de 200 ml/dia. Extrato Fluido: máximo de 2 ml/dia. Tintura: máximo de 20 ml/dia. Xarope: de 10 a 40cm³/dia. USO EXTERNO: Pomada e Tintura: usar folhas e flores. A tintura é diluída em água na proporção de 1:1 ou 1:2. Usar topicamente 3 a 4X/dia.

Formulações: MENSTRUAÇÃO – tomar um xícara de chá das folhas e flores em infusão de 3 a 4 vezes ao dia. Tem efeito analgésico e calmante. CIRCULAÇÃO – o chá da infusão das flores tem efeito de estimular a circulação geral do corpo. ANTI-SÉPTICO – para uso externo socar as folhas e flores até conseguir criar uma pasta. Esta será colocada entre dois panos limpos ou diretamente sobre as feridas ou picadas de insetos, pois isso irá aliviar o calor da inflamação e evitar a infecção. DISMENORRÉIA – tomar o chá da infusão da folhas e flores 15 antes do ciclo menstrual. DUCHA VAGINAL – 15 gotas de tintura de calêndula em 500 ml de água. IRRITAÇÕES DA PELE – creme a 2% para acalmar irritações cutâneas. PELE SECA – banho de imersão com chá de calêndula, confrei, funcho, folhas de violeta, lavanda e camomila. Utilizar uma saída de banho ou toalha escura ao final, pois o chá destas ervas pode manchar um tecido mais claro. GENGIVITE – bochecho com 15 gotas de tintura de calêndula, 15 gotas de tintura de hipericum perforatum e 10 gotas de própolis. AMIGDALITE – aplicar tintura de calêndula com spray ou em gotas de 3 a 4X/dia, diretamente na garganta.

Formulações populares: ÁGUA DA RAINHA DA HUNGRIA – macerar as seguintes ervas em vinagre de maçã: 6 partes de melissa, 4 partes de camomila, 1 parte de alecrim, 4 partes de pétalas de rosa, 1 parte de casca de limão, 1 parte de sálvia, 3 partes de confrei e 2 partes de flores de sabugueiro. Cobrir e deixar macerando de 2 semanas à um mês movendo a mistura diariamente. Feito isso coe as ervas e engarrafe o líquido adicionando ½ xícara de água de rosas para cada copo de vinagre herbal. Adicione ainda 2 gotas de óleo de gerânio. CABELOS CLAROS E/OU OLEOSOS – lavar os cabelos com chá de calêndula e camomila ajuda a clarear ou manter os cabelos loiros.

Planeta regente: utilizada em questões de saúde relacionadas ao trânsito de Vênus em Virgem; Marte em Áries; Marte em Gêmeos; Marte em Libra; Júpiter em Escorpião; Saturno em Escorpião; Netuno em Gêmeos. Regente: Sol. Elemento: Fogo.

Indicações energéticas ou mágicas: considerada uma planta sagrada e é reverenciada nas religiões orientais tais como o Budismo, Hinduísmo e Taoísmo. É utilizada em forma de guirlanda para adornar líderes religiosos e dignatários. A cor amarelo-açafrão das túnicas dos monges orientais tema cor da calêndula. A Calêndula é levada ao tribunal para se obter um veredicto favorável. Colocada no colchão para incentivar os sonhos proféticos. Escolher a flor à pleno sol.

Habitat: originária do Egito, embora se cultive nos jardins da Europa e de toda a América. Também se pode encontrar em estado silvestre.

Informações clínicas e/ou científicas: os triterpenos (arnidiol, faradiol) algumas vezes é melhor antiinflamatório do que o indomethacin. (Duke´s). Em casos de resultado anormal do Papanicolau pode ser uma planta recomendada com substituta ou auxiliar ao uso da Equinácea. Utilizada para tratar otite média aguda em conjunto com Hypericum perforatum e Allium sativum. Utilizada para tratar colite crônica em conjunto com Taraxacum officinalis, Melissa officinalis e Foeniculum vulgare. A Comissão E da Alemanha declarou que a calendula é efetiva para redução de inflamação e promover a granulação de contusões. Promove cura em de contusões em aplicações locais.

Descrição botânica: calêndula é uma herbácea natural, da família das margaridas, que alcança de 40 a 60 cm de altura. Suas flores são muito duráveis e atraentes, encontradas em tons amarelos e alaranjados. Suas flores são utilizadas também como flor de corte.

Toxicidade: planta atóxica e segura em doses terapêuticas.

Observações: esta é uma das 120 plantas citadas na Bíblia. Os rizomas da planta tem ação anti-ulcerativa. É um ingrediente comum em vários cosméticos. Um ditado antigo diz: “Onde a calêndula é aplicada, nenhum pus se forma”.

Fontes de pesquisa:

http://www.plantamed.com.br/ • http://www.cultivando.com.br/plantas_detalhes/calendula.html • http://www.medicinageriatrica.com.br/category/fitoterapia/ • http://www.portaleducacao.com.br/farmacia/artigos/6490/florais-de-raff • http://www.floraisdeaiuruoca.com.br/artigo_calendula.htm • http://essential-oil.com/pt/botanicals_calendula_403.html • http://gustavocabelos.spaces.live.com/blog/cns!A2E71997BA12A4AC!707.entry • http://www.floraisdosul.com.br/site/essencias_ver.php?cod_essencia=36 • Medicina ayurvédica para a mulher – Atreya – Ed. Pensamento • Fórmulas Mágicas – Dr. Alex Botsaris – Ed. Nova Era • ITF – Índice Terapêutico Fitoterápico – EPUB • Apostila de Fitoterapia Chinesa – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • O Livro Completo das Ervas – Editora Seleções Readers Digest • Perfeccionamiento en acupuntura, oligoelementos y fitoterapia – Yves Requena • 10 dicas para usar melhor as plantas medicinais – Dra. Henriqueta Tereza do Sacramento • Pharmacodynamic basis of herbal medicine- Manuchair Ebadi -Taylor and Francis • Chinese and related North American Herbs  – phytopharmacology and therapeutics values – Thomas S. C. Li – CRC Press • As plantas e os planetas – Ana Bandeira de Carvalho – Ed. Nova Era • Vademecum de Fitoterapia – Pedro del Rio Pérez • Handbook of Medicinal Herbs – James A. Duke with Mary Jo Bogenschutz-Godwin, Judi duCellier, Peggy-Ann K. Duke – CRC Press • Herbal Antibiotics – natural alternatives for treatings drug-resistants bacteria – Stephen Harrod Buhner – Storey Books • Herbal medicines in pregnancy & lactation – an evidence-based approach – Edward Mills, Jean-Jacques Dugoua; Dan Perri; Gideon Koren – Taylor and Francis • Herbal Magick – a witch´s guide to herbal folklore  anda enchantments – Gerina Dunwick – New Page Books • Herbs for Healthy Skin, Hair and Nails – Brigitte Mars – Keats Publishing Inc • Indian Medicinal Plants – C.P Khare – Springer • Los Remedios de la Abuela – Jean Michel Pedrazzani • Manual de plantas medicinales – botanica, propiedades, usos e recetas – Universidad Nacional Experimental Sur del Lago “Jesús Maria Semprum” • Practical Handbook of Plant Alchemy – Manfred M. Junius • Segredos e virtudes  das plantas medicinais – Seleções do Readers Digest • Tylers Herbs of Choice – the terapheutic use of phytomedicinals – Dennis V. C. Awang – CRC Press • Guia de Saúde Natural – alimentos, ervas, homeopatia – Margo Marrone – Publifolha • Higiene e Tratamento Homeopático das Doenças Domésticas – Dr. Alberto Seabra – Associação Brasileira de Homeopatia • Florais do Mundo – Nei Naiff – Nova Era • Enciclopédia de Medicina Natural – Marcílio Franco da Costa Pereira – Madras • A vida cura a vida – Pe. Paulo Wendling – Paulinas • 100 Plantas para viver até os 100 anos – Anônimo – PDF • Guia completo de Aromaterapia – Joanna Hoare – Pensamento •