Calêndula

A calêndula é uma das 120 plantas medicinais citadas na Bíblia. Também é um ingrediente comum em vários cosméticos. Um ditado antigo diz: “Onde a calêndula é aplicada, nenhum pus se forma”. Calêndula em latim “calendae” significa: o primeiro dia de cada mês. Os romanos designaram-na assim por observar que todos os meses havia calêndulas. Nos tempos do herboristas inglês, Nicholas Culpeper, a Calêndula era tomada “para fortalecer o coração, combater a varíola e o sarampo”. Os gregos usavam essa planta para os problemas nos olhos, como catarata e visão borrada. Na atualidade, é muito usada na medicina homeopática. É muito indicada para terapeutas, advogados, médicos, agentes de cura, psicólogos, docentes que trabalham com comunicação, já que seu floral confere a voz um certo valor de cura ou de concentração, pelo modo de pronunciar as palavras. A erva promove também a empatia e compaixão. Ajuda a perceber os sentidos diferentes por trás das palavras. Mais informações abaixo.

A calêndula é uma das plantas medicinais mais recomendadas para problemas de pele.

Nome científico

Calendula officinalis L.

Nome conhecido

Bem-Me-Quer, Mal-Me-Quer, Bem-Me-Quer-De-Todos-Os-Meses, Calêndula-Das-Boticas, Maravilha, Maravilha-Dos-Pudins, Malmequer, Malmequer-Amarelo, Malmequer-Do-Campo, Mal-Me-Quer-Dos-Jardins, Malmequeres, Margarida-Dourada, Verrucária (Português), Garten-Ringelblume (Alemão), Caléndula (Espanhol), Calendule (Francês), Marigold (Inglês), Fiorrancio Coltivato (Italiano), Jin Tsan Jiu (Chinês).

Nomes botânicos

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Nomes farmacêuticos

Flos calendulae.

Família

Asteraceae.

Partes usadas

Folhas, flores, rizomas e talos.

Sabor

Picante, amargo e refrescante.

Composição química

Ácidos fenol-carboxílicos, ácidos láurico, palmítico, esteárico, ácido mirístico, ácido oleanóico, ácidos orgânicos, ácido salicílico (traços), arnidiol, calendina, calenduladiol, cariofileno, carvona, ésteres colesterínicos, cumarinas, ésteres glicosídicos, faradiol, flavonóides: quircentina, quircentino glicosideo e narcisina, hidrocarboneto, isomentona, matérias corantes, mentona, minerais: ca, Si, mucilagem. Seu óleo essencial contém carotenóides (caroteno, calendulina, licopina) flavocromo, mutocromo, aurocromo, flaroxantina, crisantimaxantina e xantofila, óleo volátil, poliacetilenos, polissacarídeos, princípios amargos (calendina), resina, saponinas, sesquiterpenos, taninos, taraxasterol, mono, di e triterpenos (arnidiol, faradiol), vitaminas: pró-vitamina B, xantofilas.

Propriedades medicinais gerais

Antiespasmódico, emenagogo, colagogo, adstringente, analgésico, antiabortivo, antialérgico, antiemético, antisséptico, antiviral, calmante, cicatrizante, emoliente, excitante, protetor dos raios U.V.a e U.V.b., refrescante, regulador da menstruação, resolutivo, suavizante, sudorífico, tonificante da pele, vasodilatador, vulnerário, antiparasitário, lenitivo, bactericida, antifúngico, diaforético, anti-hemorrágico, hipotensor, abortifaciente, angiogênico, anti-helmíntico, antiblastocístico, antiedêmico, anti-HIV, antipirético, antisarcômico, anti-supurativo, antitumoral, afrodisíaco, canditicida, cardiotônico, carminativo, CNS-depressivo, estrogênico, HIV-RT-inibidor, imuno-estimulante, laxativo, espermicida, uterogênico, antimutagênico, anticancerígeno e calicida.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Raízes – anti-ulcerativo.

Indicações para uso interno

Sistema Gastrointestinal: é utilizada em abscessos estomacais, gastrite, pólipos, úlcera duodenal e gastrointestinal, vômito, diarreia, dispepsia, hemorroidas, eczema anal, enterite, flatulência e nas fermentações.

Sistema Urinário e Genital: cólica menstrual e congestão do baixo ventre, dismenorreia, vulvovaginite (tricomoníase e candidíase), edemas, hematúria, amenorreia, leucorreia crônica, endometrite, condiloma, retenção de líquido e na sífilis.

Sistema Hepático: atua na intolerância a gorduras e em cólicas biliares, icterícia, males do fígado e da vesícula biliar e para hepatite.

Sistema Respiratório: na tosse, bronquite e também na pneumonia.

Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: vitaliza o sangue, reduz lipídios, epistaxe, veias varicosas e na aterosclerose.

Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: afecções nervosas, doença glandular, escorbuto, estimula a granolocitose e fagocitose, resfriado, inflamações em geral, linfadenoma, gripe, febre, adenopatia, herpes, esclerose, insônia e em casos de nervosismo.

Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: na artrose.

Sistema Renal: para nefrite.

Outros distúrbios: é um sudorífico para febres em doenças bacterianas, câncer da matriz e do estômago, câncer de cólon, câncer de mama, câncer do intestino, câncer de pele, câncer de útero, fissuras da mama, psoríase, reduz tumores, ajuda no trabalho de parto, cólera, mastite, alivia mucosidades, esteatoma, tifo, xeroderma e nas infecções da garganta por estreptococos e infecções por estafilococos.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Flores – todas as aplicações de uso interno.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: para acnes, eczema seborreico, alergias, assaduras, avermelhamento da pele, brotoejas, calos, clareia manchas, dermatite por monília e estreptococos, erupções cutâneas e escaras, frieiras, fungos, inflamação da pele, palidez, peles sensíveis, avermelhadas e delicadas, queimadura leve do sol, rachaduras, regeneração de tecidos danificados, varizes e verrugas, picada de abelha, bolhas, furúnculos, micoses, flebites, ação antibacteriana e antifúngica para infecções da pele e um cicatrizante tópico para queimaduras em geral.

Cabeça e face: irritações do couro cabeludo, blefarite, conjuntivite e no entupimento do canal lacrimal.

Cavidade bucal: para aftas, inflamações da mucosa da boca e garganta, sangramento de gengivas e na hipersensibilidade das mucosas.

Músculos, ossos e articulações: para artrite.

Outros distúrbios: para vulvovaginite (tricomoníase e candidíase), leucorreia crônica e em casos de herpes.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Flores – todas as aplicações de uso interno.

Para crianças

Recomendadas as mesmas indicações que para adultos.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

Deve ser evitado o uso na gravidez e lactação. Pode causar dermatite de contato em pessoas sensíveis.

Interações medicamentosas

A calêndula é uma plantas medicinais que devem ser evitadas no uso concomitante com barbitúricos e sedativos. Tem boa sinergia com Cavalinha (Equisetum arvensis), Dente de Leão (Taraxacum officinalis), Babosa (Aloe vera) e Hamamélis (Hamamelis virginiana) para tratamento de afecções cutâneas. Para tratamentos de afecções gástricas e digestivas tem excelente sinergia com ervas como Gengibre (Zingiber officinalis), Camomila (Matricaria chamomilla) e Hortelã-Pimenta (Mentha piperita).

Toxicidade

A calêndula é uma das plantas medicinais consideradas atóxicas (sem toxicidade) e segura para uso em doses terapêuticas.

Uso culinário e nutritivo

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia

A calêndula é uma das plantas medicinais que produz óleo essencial carreador  (para diluição de outros óleos), que apresenta cor clara e com boa textura que acalma e cicatriza a pele áspera e rachada. Indicado para varizes, inflamações e queimaduras e também em inflamações das gengivas, após extração dentária. O óleo essencial de calêndula é indicado para todo tipo de pele, inclusive para as que apresentam acne e nas peles sensíveis e avermelhadas. Recomendado especialmente pela ação do ácido oleico, que tem ação calmante e refrescante de absorção rápida. Extraído da maceração das flores em um óleo fixo, sendo assim, este óleo não é de fato um óleo fixo. Não existem contraindicações ou reações alérgicas conhecidas ao óleo de calêndula. Este óleo estabelece boa sinergia com o óleo de Hipérico (Erva de São João).

Sistemas Florais

Florais do Sul: para aquele indivíduo cuja raiva explosiva provoca lesões no corpo físico, etérico, mental e emocional. Sua raiva age como um corrosivo. Indivíduo acometido por úlceras, erupções na pele, câncer, AIDS, etc. Todos os distúrbios que fazem lesão e destruição de algum órgão ou sistema. A flor resgata o amor da luz solar – arquétipo paterno – reencaminhando a energia destrutiva para retecer e recriar o que o indivíduo destrói. Para aqueles que remoem a raiva e vão de um extremo ao outro. É aquele tipo de pessoa que está sempre destruindo tudo ao seu redor. Sua fúria violenta destrói através da palavra e do pensamento (emitem pensamentos destrutivos em relação a outras pessoas e/ou costumam ter seus aparelhos elétricos estragados frequentemente. Oscila entre a extrema passividade e a extrema agressividade. Constantemente testa os demais para certificar-se se é bem quisto ou não. Quando se sente querido assume conduta passiva, quando não, explode agressivamente. Seu lema pode ser: “-Ou bem me querem ou me rejeitam”. Seu núcleo emocional é o sentimento de rejeição, frente ao qual o indivíduo reage com extrema violência. Não integra amor e rejeição. Quando se sente rejeitado abandona pessoas e situações repentinamente. Não reconsidera e não reconstrói laços. Reprime seu sentimento de amor para não se expor a novo risco de rejeição. Florais da França: para variação entre o bom humor e a cólera, insatisfação permanente, oscilação entre a razão e a emoção, alternância entre amor e ódio, agressividade verbal e física, opressão, injúria e briga, autodestruição, insucesso por culpa própria, superficialidade nas relações. Florais de Minas: para aquele indivíduo “oito ou oitenta”, “tudo ou nada”, “morte ou vida”, que está sempre nos limites extremos da razão e do sentimento, para as atitudes, posturas e situações em que há formas destrutivas de criatividade interiorizadas, para a agressividade verbal, emocional e física e a destrutibilidade e todas as suas formas de manifestação no indivíduo. No âmbito do corpo mental concreto, a pessoa pode apresentar bloqueios extremos da criatividade, dando margem a pensamentos negativos e persistentes de separação e desamor. No corpo emocional, a personalidade pode experimentar sentimentos extremos de ódio e amor e oscilações fulminantes de humor e cólera. No corpo etérico-físico, o bloqueio de criatividade pode fazer aflorar formações celulares estranhas em seu conjunto, como cânceres, tumores benignos, verrugas, putrefações e deformações ósseas. Florais de Raft: traz afabilidade, receptividade e firmeza na escolha. Florais de Aiuruoca: a Calêndula é utilizada em duas fórmulas florais do Kit dos Tatwas: F1: Excesso de fogo – diminui o excesso do elemento fogo no temperamento e o ritmo físico, promovendo a tranquilidade, calma, paciência, tolerância e humildade. F23: Criança interior – para crianças e adultos que tem dificuldade de adaptação no mundo ou que possuem forte carência afetiva, reagindo com medo ou agressividade diante dos limites e regras do mundo material. Possibilitam o retorno da pureza e do estado de felicidade, alegria e espontaneidade, próprios da criança. Para crianças índigo, hiperativas e com Distúrbio do Déficit de Atenção (DDA). Para adultos ajuda a resolver os problemas de sua criança interior, retornando ao estado de alegria e descontração. Florais da Califórnia: como floral californiano, ela nos oferece qualidades singulares e muito benvindas. Escutando as outras pessoas com atenção, apreciação e respeito, tendo cuidado, jeito e diplomacia ao se comunicar. Encontrando o caminho e desenvolvendo a arte de criar, através das palavras, entendimento e acordos que possam ser bons para ambas as partes. Evitando se colocar de formas que causem reações defensivas e acabem por prejudicar e aumentar a tensão nas situações. Assim, as qualidades da “língua ferina”, que analisa de forma dura e crítica, e podem tocar diretamente no âmago de onde mais dói, passam a ser usadas para escutar o que as pessoas querem dizer, e saber usar palavras para curar e sanar as situações. Usando as palavras de maneira que as pessoas possam sentirem-se reforçadas e valorizadas, e também de uma forma que a comunicação possa ser aberta e clara. Tendo o cuidado de não falar de maneira que pareça que você está fazendo críticas, que possam colocar a outra pessoa na defensiva, por se sentir julgada ou ofendida. Sabendo dizer o que você precisa ser dito sem constrangimento, e ao mesmo tempo conseguindo cuidar das relações, de forma que elas se desenvolvam e possam se aprofundar na forma de amizades duradouras e preenchedoras. Desenvolve a comunicação clara que é ao mesmo tempo cuidadosa e amorosa, falar focalizando de coração para coração. Fortalecer o dom de aconselhar e curar através do uso da palavra. Desenvolve a capacidade de escutar a outra pessoa, e também ajuda saber receber. É apenas questão de desenvolvermos a prática dessa sensibilidade no uso das palavras. Podemos ser precisos, amorosos e justos, e ao mesmo tempo nunca usar nosso poder com as palavras para machucar ou destruir. É tudo uma questão de exercitar essa oitava mais elevada na comunicação. E descobrir seu potencial curador. Florais das Gerais – para agressividade verbal, emocional e física, auto-destrutividade, sentimentos extremos de ódio e amor (oito ou oitenta), explosões de cólera e bloqueio da criatividade. Este floral aumenta a sensibilidade, a delicadeza, a tolerância, a paciência, a sinceridade. Ajuda os idosos a entender melhor o que lhes está sendo dito.

Medicina Chinesa (MTC)

Seu nome chinês é Jin Tsan Jiu. A calêndula é uma das plantas medicinais que eliminam calor tóxico, indicada para estagnação do sangue no Útero, para estagnação de sangue em geral, estagnação do Qi do Útero, estagnação do Qi do Fígado, para dispersar vento-calor externo e deficiência do Qi do Coração e na deficiência do sangue do Fígado. Atua nos canais de Fígado, Vesícula Biliar, Baço/Pâncreas e Bexiga. Erva com predominância do elemento terra.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais

Categoria 11 – Ervas para regular o Qi • Categoria 12 – Ervas que regulam o sangue • Categoria 19 – Ervas para úlceras e tumores • Categoria 20 – Ervas para aplicações externas.

Ayurveda

Esta erva reduz Pitta e Kapha, aumenta Vata. Sua rasa é picante e amarga, sua virya é fria e a vipaka é picante.

Uso homeopático

A calêndula, na homeopatia, é uma das plantas medicinais utilizadas para tratamento de contusões.  Na homeopatia é conhecida como calendula e é utilizada na potência 12C. Seu uso homeopático apresenta risco mínimo na gravidez. Usos diversos: ADENITE – aplicar 20 gotas de Calendula TM sobre o local em uma flanela úmida e aquecida 3X ao dia. AFTA – lavar o local afetado com um copo de água morna com 20 gotas de Calendula TM. CAXUMBA – bochechar com 20 gotas de Calendula TM em água morna. CIEIRO – pomada de Calendula TM. CORTES –  compressa com 20 gotas de Calendula T.M.  ESCARA – aplicar compressa de oito em oito horas de Calendula T.M na região afetada. FISSURA ANAL – aplicação local de Calendula T.M. FRIEIRAS – pomada de Calendula T.M localmente. LINFAGITE – aplicações locais de Calendula T.M 3X ao dia. MORDIDAS – de origem não-venenosa- aplicação local com pomada de Calendula. PÉ-DE-ATLETA – aplicação local com pomada de Calendula. PELE SECA – utilizar pomada de Calendula de 8 em 8 horas. PICADAS – compressa com 20 gotas de Calendula T.M localmente. SINÓVIA – aplicação local de uma colher de chá de Calendula T.M em compressa localizada. TUMORES NOS SEIOS –  aplicação local de Calendula T.M 3X ao dia.

Pets e outros animais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Informações em outros sistemas de saúde

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

O que diz a ciência

Os triterpenos (arnidiol, faradiol) presentes na Calêndula, algumas vezes, são melhores anti-inflamatórios do que o Indomethacin. (Duke´s). Em casos de resultado anormal do Papanicolau pode ser uma planta recomendada com substituta ou auxiliar ao uso da Equinácea. Utilizada para tratar otite média aguda em conjunto com Hipérico (Hypericum perforatum) e Alho (Allium sativum). Utilizada para tratar colite crônica em conjunto com Dente de Leão (Taraxacum officinalis), Melissa (Melissa officinalis) e Funcho (Foeniculum vulgare). A Comissão E da Alemanha declarou que a calêndula é efetiva para redução de inflamação e promover a granulação de contusões. Promove a cura em de contusões, em aplicações locais.

Astrologia

Utilizada em questões de saúde relacionadas ao trânsito de Vênus em Virgem, Marte em Áries, Marte em Gêmeos, Marte em Libra, Júpiter em Escorpião, Saturno em Escorpião, Netuno em Gêmeos. A calêndula é uma das plantas medicinais regidas pelo Sol.

Indicações energéticas ou mágicas

A calêndula é uma das plantas medicinais associadas ao elemento fogo. Considerada uma planta sagrada e reverenciada nas religiões orientais tais como o Budismo, Hinduísmo e Taoísmo. É utilizada em forma de guirlanda para adornar líderes religiosos e dignatários. A cor amarelo-açafrão das túnicas dos monges orientais tem a cor da calêndula. A Calêndula é levada ao tribunal para se obter um veredicto favorável. Também pode ser colocada no colchão para incentivar os sonhos proféticos. Para tanto, escolher a flor, à pleno sol.

Habitat

A calêndula é uma das plantas medicinais originárias do Egito, embora se cultive nos jardins da Europa e de toda a América. Também se pode encontrar em estado silvestre.

Descrição da planta

A calêndula é uma herbácea natural, da família das margaridas, que alcança de 40 a 60 cm de altura. Suas flores são muito duráveis e atraentes, encontradas em tons amarelos e alaranjados. Suas flores são também utilizadas como flor de corte.

Vamos plantar?

As mudas prontas podem ser adquiridas de viveiristas ou pode-se fazer a semeadura das sementes em bandejas de 72 ou 128 células. Quando as mudas estiverem com dois pares de folhas e com cerca de 10 centímetros de altura, estão prontas para o transplante no campo. As variedades disponíveis para plantio incluem calypso laranja, candyman laranja anã, bon bon e a erfurter orangefarbige, que não é indicada para a extração de óleo. A planta tem bom desenvolvimento em locais com alta luminosidade, principalmente onde há sol pleno. Indica-se, pelo menos, quatro horas de exposição direta aos raios solares. Adapta-se bem a diferentes climas e tolera o frio, porém, não resiste a temperaturas extremas. Sua semeadura deve ser realizada nos meses de julho a agosto. Para cultivo em larga escala no campo, recomenda-se o acompanhamento de um profissional da área. O solo deve ser fértil e bem drenado, com alto teor de matéria orgânica, profundos e permeáveis. O espaçamento deve ser de 0,50 metro entre as linhas e 0,30 metro entre as plantas no campo. Para cultivo em vaso ou jardineiras, misture parte de terra comum de jardim com uma parte de terra vegetal e duas partes de composto orgânico. Regue regularmente, pois é importante mantê-lo úmido. Pode ser dia sim, dia não, mas todos os dias durante os meses mais quentes. Contudo, não pode ser encharcado, condição que apodrece as hastes e também permite o ataque de doenças fúngicas. Sua adubação deve ser equilibrada, fundamental para a obtenção de plantas saudáveis e produtivas. É importante assegurar o desenvolvimento da calêndula incorporando adubação nitrogenada. A adição ao solo de nitrogênio e de fósforo, na forma de ureia e de superfosfato triplo, possibilita a obtenção de plantas mais altas e maior produção de flores. A calêndula é uma das plantas medicinais que exigem cuidados com pragas como pulgões, ácaros-da-aranha, tripés, folha-mineiros, gafanhoto e lesmas. A calêndula também é suscetível ao ataque de vários tipos de murchas, doenças que causam a destruição da planta contaminada. Podem ainda ocorrer outras enfermidades como podridão de raiz e mofo. A calêndula floresce quase todo o ano, exceto em períodos de estiagem. A floração mais intensa ocorre no final da primavera até no final do verão. As flores abrem ao nascer do sol e fecham ao entardecer e, dependendo do ambiente, suas estruturas florais podem ter variações de cor e tamanho. A colheita deve ser feita em plena floração. Exige um solo fértil e tolera o clima frio, mas prefere dias ensolarados.  A colheita deve acontecer quando as flores estiverem plenamente abertas.

Artigos relacionados

Fontes de pesquisas utilizadas

http://www.plantamed.com.br/https://www.agron.com.br/publicacoes/noticias/ecologia-agro-sustentavel/2014/11/17/041866/como-plantar-calndula.html  • http://www.cultivando.com.br/plantas_detalhes/calendula.htmlhttp://www.medicinageriatrica.com.br/category/fitoterapia/http://www.portaleducacao.com.br/farmacia/artigos/6490/florais-de-raff • http://www.floraisdeaiuruoca.com.br/artigo_calendula.htm • http://essential-oil.com/pt/botanicals_calendula_403.html • http://gustavocabelos.spaces.live.com/blog/cns!A2E71997BA12A4AC!707.entryhttp://www.floraisdosul.com.br/site/essencias_ver.php?cod_essencia=36 • Medicina ayurvédica para a mulher – Atreya – Ed. Pensamento • Fórmulas Mágicas – Dr. Alex Botsaris – Ed. Nova Era • ITF – Índice Terapêutico Fitoterápico – EPUB • Apostila de Fitoterapia Chinesa – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • O Livro Completo das Ervas – Editora Seleções Readers Digest • Perfeccionamiento en acupuntura, oligoelementos y fitoterapia – Yves Requena • 10 dicas para usar melhor as plantas medicinais – Dra. Henriqueta Tereza do Sacramento • Pharmacodynamic basis of herbal medicine- Manuchair Ebadi -Taylor and Francis • Chinese and related North American Herbs  – phytopharmacology and therapeutics values – Thomas S. C. Li – CRC Press • As plantas e os planetas – Ana Bandeira de Carvalho – Ed. Nova Era • Vademecum de Fitoterapia – Pedro del Rio Pérez • Handbook of Medicinal Herbs – James A. Duke with Mary Jo Bogenschutz-Godwin, Judi duCellier, Peggy-Ann K. Duke – CRC Press • Herbal Antibiotics – natural alternatives for treatings drug-resistants bacteria – Stephen Harrod Buhner – Storey Books • Herbal medicines in pregnancy & lactation – an evidence-based approach – Edward Mills, Jean-Jacques Dugoua, Dan Perri, Gideon Koren – Taylor and Francis • Herbal Magick – a witch´s guide to herbal folklore  anda enchantments – Gerina Dunwick – New Page Books • Herbs for Healthy Skin, Hair and Nails – Brigitte Mars – Keats Publishing Inc • Indian Medicinal Plants – C.P Khare – Springer • Los Remedios de la Abuela – Jean Michel Pedrazzani • Manual de plantas medicinales – botanica, propiedades, usos e recetas – Universidad Nacional Experimental Sur del Lago “Jesús Maria Semprum” • Practical Handbook of Plant Alchemy – Manfred M. Junius • Segredos e virtudes  das plantas medicinais – Seleções do Readers Digest • Tylers Herbs of Choice – the terapheutic use of phytomedicinals – Dennis V. C. Awang – CRC Press • Guia de Saúde Natural – alimentos, ervas, homeopatia – Margo Marrone – Publifolha • Higiene e Tratamento Homeopático das Doenças Domésticas – Dr. Alberto Seabra – Associação Brasileira de Homeopatia • Florais do Mundo – Nei Naiff – Nova Era • Enciclopédia de Medicina Natural – Marcílio Franco da Costa Pereira – Madras • A vida cura a vida – Pe. Paulo Wendling – Paulinas • 100 Plantas para viver até os 100 anos – Anônimo – PDF • Guia completo de Aromaterapia – Joanna Hoare – Pensamento •