Boldo do Chile

Esta planta pode causar reação, se utilizada em conjunto com álcool (evitar tintura). Tem odor muito próximo ao da Erva de Santa Maria devido a presença de uma mesma substância. O Boldo-do-Chile é geralmente encontrado no Brasil em farmácias especializadas, na forma de elixir, tinturas e drágeas, ou no comércio de chás. As suas folhas foram estudadas pela primeira vez na Europa, em 1896, pelo médico francês Dujardin Baumez. No entanto, seu uso é muito antigo. Algumas de suas propriedades medicinais são conhecidas há séculos por grupos indígenas e povos da região andina. Mais informações abaixo.

Nome científico

Peumus boldus Molina.

Nome conhecido

Boldo-verdadeiro (Português), Boldo (Espanhol, Inglês e Italiano).

Nomes botânicos

Boldu boldus Lyons, Boldea fragrans Gay, Ruizia fragrans.

Nomes farmacêuticos

Boldo folium.

Família

Monimiaceae.

Partes usadas

Folhas e óleo essencial.

Sabor

Amargo, picante e refrescante.

Composição química

Alcaloides derivados da aporfina (boldina, reticulina, isocoridina, esparteína), mirtenal, 1,8-cineol, p-cimeno, eucaliptol, ascaridol, flavonoides (pneumosídeo e boldosídeo), 1-metil-4-isopropenil-benzeno, 2-decanona, 2-heptaona, 2-nonanona, 2-octanona, alfa-3-careno, alfa-fenchol, alfa-hexilcinamaldeído, alfa-methilionona, alfa-pineno, alfa-terpineol, benzaldeído, benzil-benzoato, beta-pineno, boldoglucina, bornil-acetato, canfeno, cânfora, colina, cumarina, cuminaldeído, eugenol, farnesol, fenchona, gama-terpineno, isoboldina, isocoridina, óxido-n-isocoridina, isorhamnetina-3-glucosídeo-7-rhamnosídeo, kaempferol-3-glucosídeo-7-rhamnosídeo, laurolitsina, laurotetanino, limoneno, linalol, metil-eugenol, norisocoridina, p-cimol, rhamnetina-3-arabinosídeo-3′-rhamnosídeo, sabineno, terpinen-4-ol, terpinolino, 2-tridecanono, 2-undecanono, eta-isometilionono, n-metillaurotetanino, paquicarpina, resina, reticulina, taninos, sitosterol, sais minerais, ácidos orgânicos, glicídeos e lipídeos.

Propriedades medicinais gerais

Colagogo, anestésico, anódino, anti-helmíntico, antisséptico, antibacteriano, antifúngico, anti-inflamatório, antimicrobiano, antioxidante, carminativo, colerético, demulcente, depurativo, desintoxicante, digestivo, diurético, estimulante biliar, estomáquico, hipnótico, hepatoprotetor, hepatônico, antiespasmódico, citoprotetor, laxante, sedativo, analgésico, antipirético, abortifaciente, antiagregante, anticolinérgico, antidiabético, anti-histamínico, antimutagênico, antiperoxidante, antiprostaglandino, antiradicular, antiulcerativo, aperitivo, bloqueador do canal de cálcio, canditicida, carcinogênico, cardiodepressor, coloprotetor, convulsante, decongestante, fungicida, gastro-estimulante, glutatiogênico, hepatotônico, hepatotóxico, hipouricêmico, miorrelaxante, narcótico, nervino, NO-inibidor, orexigênico, paralítico, parasiticida, tóxico, secretagogo, sialagogo, uterorelaxante, vasoconstritor, vasorelaxante, xantina-oxidase inibidor.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso interno

Sistema Gastrointestinal: digestão lenta, inapetência, diarreia por má absorção dos alimentos, cólicas, dispepsias, flatulência com odor fétido, prisão de ventre, meteorismo, transtornos digestivos, anorexia, colite, queimação, enterite, obesidade, dor de estômago, vermes, fermentações.

Sistema Urinário e Genital: cistite, demulcente urinário brando, auxilia na drenagem do organismo, candidíase, edema, oliguria, uterite, urogenitose, retenção de líquido,

Sistema Hepático: síndrome pós-hepatite, hepatite crônica, evita formação de cálculos biliares, afecções do fígado e da vesícula, icterícia, estimula secreções gástricas e biliares, colecistite com dores, esteatose hepática, disquenesia biliar, malária,

Sistema Respiratório: dispneia,

Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: gota, ­ácido úrico, aterosclerose,

Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: resfriados,

Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: reumatismo, artrose,

Sistema Renal: pedra nos rins, nefrose,

Outros distúrbios: intolerância à gordura, recuperação de doenças crônicas e prolongadas, febre, fraqueza, insônia, inibidor da síntese das prostaglandinas, cefaleia, envelhecimento, debilidade, diabete, dor de ouvido, enxaqueca, letargia, vertigens,

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: micoses.

Músculos, ossos e articulações: contusões.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Para crianças

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

Evitar o uso na gravidez e em casos de hepatites agudas. Em doses excessivas, pode ser tóxico e causar vertigens, náuseas, agitação, alucinações e convulsões. Seu uso prolongado, em doses elevadas, pode causar hemorragias internas além de hepatoxicidade, hiperemia da mucosa gastrointestinal, levando a inflamações, distúrbios de coordenação e alterações do sistema nervoso. Pode ser abortivo. Evitar em pessoas com pedras nos rins, obstrução das vias biliares e pessoas com febres intermitentes. Não fazer uso em pessoas com asma ou pneumonia. Deve-se evitar ingerir a planta in natura.

Interações medicamentosas

Esta planta pode intensificar os efeitos de depressores do SNC com risco de depressão respiratória. Potencializa o efeito de diuréticos. Pode causar mudança das taxas sanguíneas de alguns elementos. Não devem ser usados concomitantemente com álcool, pois pode causar reação dissulfiram-semelhante. Uma mulher com 67 anos, usando 2mg de varfarina, teve aumento nos parâmetros anticoagulantes ao usar boldo após as refeições e feno-grego antes. Uma semana após o término do uso do boldo e do feno-grego, os parâmetros voltaram à escala terapêutica. Como a paciente recuperou-se, parou de tomar os produtos e foi diminuída a dose da varfarina em 15% para manter os parâmetros dentro da escala terapêutica.

Toxicidade

A superdosagem é constatada acima de 100mg de extrato seco. É considerado abortivo e pode causar hemorragia interna. Suas folhas contêm 40% de ascaridole, um componente tóxico e por isso não é recomendado seu uso prolongado.

Uso culinário e nutritivo

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia

O óleo essencial tem ação sobre o SNC e tem potencial alucinógeno. Combate a diarreia e favorece o fígado. Não deve ser utilizado internamente. Externamente, deve ser utilizado diluído.

Sistemas Florais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Medicina Chinesa (MTC)

Para estagnação do Qi do Fígado e do Estômago e em casos de umidade-fleuma-calor. A erva elimina calor. Erva do elemento madeira que atua nos canais do Fígado, Baço/Pâncreas, Rins e Estômago.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais

Categoria 3 – ervas para agir contra o reumatismo • Categoria 9 – Ervas que promovem a digestão.

Ayurveda

A erva equilibra Pitta, Vata e Kapha. Sua rasa é amarga, sua virya é fria e sua vipaka é picante.

Uso homeopático

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Pets e outros animais

Com 15g de erva seca mostra-se fatal em cães.

Informações em outros sistemas de saúde

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

O que diz a ciência

O Conselho Europeu colocou o boldo como sendo um suplemento alimentar (o que ocorre com quase todas as plantas medicinais comercializadas na Europa).

Astrologia

Seu regente é Júpiter. Indicado para questões associadas ao trânsito de Vênus em sagitário, Júpiter em virgem, Júpiter em Capricórnio, Saturno em virgem; Saturno em Libra; Saturno em Sagitário, Urano em Escorpião, Urano em Capricórnio.

Indicações energéticas ou mágicas

Erva que acalma os nervos e traz claridade em situações que nos sentimos angustiados e estressados. Ajuda a digerir traumas.

Habitat

O Boldo-do-Chile é uma árvore arbustiva, de crescimento lento, pode atingir mais de 10 metros de altura, possui folhas grossas de sabor amargo que resistem a verões secos e invernos frios e chuvoso. Também pode ser encontrado como vegetação nativa no Marrocos e é atualmente cultivado em vários países como Itália, Brasil e norte da África. Produz pequenos frutos redondos e esverdeados, comestíveis e sabor agradável.

Descrição da planta

A planta é facilmente reproduzida por meio de estacas, feitas com os ramos ou folhas.

Vamos plantar?

http://www.plantamed.com.br/ • http://www.fitoterapicos.info/boldo-do-chile.php • http://www2.mtc.med.br/mtc/home/default.asp?titulo=Estudo%20das%20Plantas%20Medicinais528&staticpage=yes&sub=528 • http://oleosessenciais.org/category/aromaterapia/ • http://www.oficinadeervas.com.br/detalhe.php?id_produto=18&p=boldo-do-chile • http://alemdoaroma.com/Aroma.html • http://www.cultivando.com.br/plantas_medicinais_detalhes/boldo.html • Apostila de Fitoterapia Chinesa – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • IFT – Índice Terapêutico Fitoterápico – EPUB • Vademecum Soria Natural • Vademecum de Homeopatia – www.salutes.com.ar • El libro verde de botanica magica – fórmulas y secretos del Maestro Sri Deva Fenix • Pharmacodynamic basis of herbal medicine- Manuchair Ebadi -Taylor and Francis • Cultivo de plantas medicinais – conhecendo corretamente as plantas medicinais – Furlan • A cura pela natureza – enciclopédia familiar dos remédios naturais – Jean Aikenbaum e Piotr Daszkiewicz – Editora Estampa • As plantas e os planetas – Ana Bandeira de Carvalho – Ed. Nova Era • Vademecum de Fitoterapia – Pedro del Rio Pérez • Dukes Handbook of Medicinal Plants of Latin America – James A. Duke with Mary Jo Bogenschutz-Godwin, Andrea R. Ottesen – CRC Press • Handbook of Medicinal Herbs – James A. Duke with Mary Jo Bogenschutz-Godwin, Judi duCellier, Peggy-Ann K. Duke – CRC Press • Los Remedios de la Abuela – Jean Michel Pedrazzani • Plantas medicinais na Amazônia e Mata Atlântica – Luiz Claudio Di Stasi e Clélia Akiko Hiruma-Lima – Editora Unesp • Segredos e virtudes das plantas medicinais – Seleções do Readers Digest • Tylers Herbs of Choice – the terapheutic use of phytomedicinals – Dennis V. C. Awang – CRC Press • Yoga of Herbs – Dr. David Frawley and Dr. Vasant Lad – Lótus Press • Plantas que curam – Enio Emmmanuel Sanguinetti- Editora Rigel • Fórmulas Mágicas – Dr. Alex Botsaris – Ed. Nova Era • A vida cura a vida – Pe. Paulo Wendling – Paulinas • 100 Plantas para viver até os 100 anos – Anônimo – PDF •