Alho

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

O alho é uma planta medicinal que quando cozido, assado ou frito pode desregular a pressão, pois o calor destrói a alicina e aliina e pode causar transtornos estomacais que podem interferir na pressão. Recomenda-se o uso cru apenas em curtos períodos. Para eliminar o odor exalado após o consumo de alho, beber o suco diluído de limão, ou então mastigar por algum tempo folhas de alface, salsa, erva doce ou café em grão torrado. No tratamento de calos e verrugas recomenda-se proteger as zonas circundantes com vaselina. O seu odor ativo é devido à presença de componentes sulfurados que são os mesmos responsáveis pelas suas propriedades medicinais. Por esse motivo, os preparados que não tenham odor não são tão eficazes. Se a pessoa deseja alhos inodoros, é só plantá-los e colhê-los quando a lua não se acha sobre nosso horizonte. Por suas características rajásicas, o alho pode agitar a mente e seu consumo pode causar transtornos para pessoas que desejam se dedicar a práticas meditativas.

O alho é uma planta medicinal desintoxicante.

Nome científico

Allium sativum L.

Nome conhecido

Alho-comum, Alho-da-horta, Alho-hortense, Alho-manso (Português), Garlic, Cultivated Garlic (Inglês), Ajo (Espanhol), Ail (Francês), Aglio, Aglio Comune (Italiano), Hsiao-suan (Chinês), Lasan (Hindu).

Nomes botânicos

Allium pekinense Prokhanov.

Nomes farmacêuticos

Bulbus Alli Sativi.

Família

Liliaceae.

Partes usadas

Bulbos.

Sabor

Picante e quente.

Composição química

Ácido alfa-aminoacrílico, ácido fosfórico livre, ácidos sulfúrico, ajoeno (produzido por condensação da alicina), açúcares (fructose, glucose), alil, alil-propil, aliína (que se converte em alicina), aliinase, aminoácidos (ácido glutamínico, argenina, ácido aspártico, leucina, lisina, valina), citral, desoxialiina, dissulfeto de dialila, dissulfeto de dietila, felandreno, galantamina, geraniol, heterosídeos sulfurados, insulina, inulina, linalol, minerais (manganês, potássio, cálcio, fósforo, magnésio, selênio, sódio, ferro, zinco, cobre), nicotinamida, óleo essencial, muitos componentes sulfurosos, dentre eles: disolfuro de alil, trisolfuro de alil, tetrasolfuro de alil e também óxido dialildissulfeto, polissulfeto de dialila, prostaglandinas A, B e F, proteínas, quercetina, sulfetos de vinil, trissulfeto de alila, vitaminas A, B6, C, ácido fólico, pantotênico, niacina.

Propriedades medicinais gerais

Digestivo, carminativo, anti-helmíntico, emenagogo, tônico, endócrino, antibacteriano, parasiticida, hipoglicemiante, estimulante, imunizante, anti-inflamatório, antirreumático, expectorante, antimicrobiano, antisséptico, depurativo, antioxidante, desintoxicante, hipotensor, anticolesterolêmico, antiadesivo plaquetário, rejuvenescedor, bactericida, amebicida, febrífugo, vermífugo, anti-infeccioso, antiasmático, antibiótico, antifúngico, antitóxico intestinal, antitrombótico, emoliente, rubefasciente, sudorífico, vasodilatador, odontálgico, hipolipemiante, desinfetante, metabólico, hepatoprotetor, hipoviscosizante, anticancerígeno, antiulcerogênico, antivirótico e também, diurético.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso interno

Sistema Gastrointestinal: melhora a digestão, combate infecções por Helicobacter pylori, elimina vermes, alivia dores de hemorroidas, na paralisação do baço, previne disenterias amebianas, prisão de ventre, diarreia, envenenamento por alimentos, abscessos intestinais, intoxicação alimentar por ingestão de frutos do mar e também é um auxiliar no tratamento ao câncer de estômago.
Sistema Urinário e Genital: para cistite, hiperuricemia, edemas (inchaço), em enfermidades da bexiga, em cálculos da bexiga, afecções genito-urinárias, candidíase,
Sistema Hepático: estimula o funcionamento hepático, na paralisação do fígado, paludismo, enfermidades do fígado e no fígado preguiçoso.
Sistema Respiratório: para afecções das vias aéreas, bronquite, tosse, asma, enfisema, hidropsia, tuberculose, amigdalite, afecções respiratórias, gangrena pulmonar, sinusite, catarro, rouquidão, abscesso pulmonar e também na faringite.
Sistema Cardíaco, Sanguíneo e Circulatório: evita tromboses, preveni derrames e infartos, regulariza a circulação sanguínea, combate a aterosclerose, reduz a sobrecarga cardíaca, alivia palpitações, taquicardia, regula pressão arterial, doenças cardíacas, angina, arteriopatias, no endurecimento de artérias, tromboembolismo, gota, hemoptise, diminui o nível dos triglicerídeos, hiperlipidemias e em varizes.
Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: nos resfriados e gripes, infecções em geral, tifo, insônia, afecções nervosas, histeria, febre, infecções fúngicas, esgotamento, estimulante do sistema imunológico, herpes, hipocondria, infecções bacterianas e em casos onde existe sensação de medo.
Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: alivia dores articulares, artrites e ainda no reumatismo.
Sistema Renal: em enfermidades dos rins e na nefrite.
Outros distúrbios: em casos de intoxicação nicotínica, retinopatia, dores de ouvido, surdez, enxaqueca, dores de cabeça, coqueluche, auxiliar em tratamentos de diabete e também no cólera.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta

Óleo essencial – efeito preventivo de formação de placas de ateroma.

Indicações para uso externo

Pele e unhas: para impurezas da pele, psoríase, dermatites seborreicas, em cortes produzidos por pregos, acnes, afecções da pele, verrugas, manchas da pele, picadas de inseto com coceira e dor, tinha, calos, dermatomicoses, impingem, sarna, sardas e ainda em ferimentos infectados.

Cabeça e face: para caspa e na escabiose.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta

Óleo essencial – efeito preventivo de formação de placas de ateroma.

Para crianças

O alho é uma planta medicinal que apresenta o mesmo tipo de indicação feita para adultos, porém em doses compatíveis com a faixa etária.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações)

Evitar uso de alho cru em casos de hiperacidez gástrica, gastrites agudas, úlceras ativas, em casos de hemorragia e na amamentação. Se houverem flutuações na pressão, seu uso deve ser interrompido. Sempre evitar em casos de hipotensão. Evitar também durante a gestação, em recém-nascidos, pessoas com dermatites, hipertireoidismo, em pré e pós-operatórios (nesse caso, evitar uso até 10 dias antes de qualquer operação) e na trombocitopenia. O óleo essencial puro por via oral é contraindicado para gestantes, lactantes, crianças, pacientes com hipersensibilidade e ainda pode provocar náuseas. Consulte sempre um profissional de saúde, antes de usá-lo, caso você esteja fazendo uso de algum medicamento. Deve ainda ser evitado em pessoas com ejaculação precoce e espermatorreia.

Interações medicamentosas

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Toxicidade

Não há relatos quando utilizado nas doses recomendadas.

Uso culinário e nutritivo

O alho é uma planta medicinal reconhecida como ótima fonte de vitaminas e oligoelementos, inclusive selênio. Cada 100 g de alho contêm aproximadamente: Água: 59 g, Calorias: 149 kcal, Lipídios: 0.5 g, Carboidratos: 33.07 g, Fibra: 2.1 g, Manganês: 1672 mg, Potássio: 401 mg, Enxofre: 70 mg, Cálcio: 181 mg, Fósforo: 153 mg, Magnésio: 25 mg, Sódio: 17 mg, Vitamina B-6: 1235 mg, Vitamina C: 31 mg, Ácido glutamínico: 0,805 g, Argenina: 0,634 g, Ácido aspártico: 0,489 g, Leucina: 0,308 g, Lisina: 0,273 g. Para fazer óleo de alho, coloque 200 gramas de dentes descascados em um vidro escuro com óleo de oliva, suficiente para cobrir os dentes. Agitar a mistura levemente, algumas vezes por dia e mantenha em um local morno por, pelo menos, três dias.

Aromaterapia

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Sistemas Florais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Medicina Chinesa (MTC)

Seu nome chinês é Da Suan. O alho é uma planta medicinal utilizada nos casos de deficiência do yang e em casos de plenitude-frio, pois elimina frio por sudorificação. Sua ação é antiparasitária e anti-helmíntica e também é utilizado para eliminar toxinas e tratar intoxicações por ingestão de frutos do mar. Especialmente indicada para infecções causadas para Trichuris trichiura e Enterobius vermicularis. Elimina também toxinas do calor dos intestinos. Fortalece o baço e trata crise de consumo por enfraquecimento geral do Qi essencial. Também utilizada para crise de enfraquecimento, emagrecimento e anorexia por deficiência do Qi dos órgãos Zang Fu. Seu uso local pode ser feito para Tina capsis, eliminando calor e umidade da pele. A erva atua nos canais do baço/pâncreas, estômago, pulmão e intestino grosso. Esta erva deve ser evitada em casos de deficiência do Yin, com sinais de calor. Seu uso tópico é desaconselhado, pois pode causar irritação.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais

Categoria 1 – Ervas para induzir a transpiração • Categoria 9 – ervas para promover a digestão • Categoria 18 – ervas para expelir ou destruir parasitas •

Ayurveda

Seu nome ayurvédico é Lashuna/Rasonam. O alho é uma planta medicinal que reduz Vata e Kapha e agrava Pitta. É pesado, gorduroso e penetrante. Sua rasa é picante e sua virya é quente e sua vipaka é picante. Sua composição energética rajásica e tamásica causa perturbação da mente durante as práticas meditativas. Recomenda-se substituí-lo por Haritaki para evitar prejudicar o processo meditativo. Deve ser usado por suas funções terapêuticas e deve ser evitado como tempero. Atua em todos os tecidos, porém com mais intensidade no circulatório, digestivo, nervoso, reprodutivo e respiratório. Indicado para baixo agni (fogo) digestivo. É um rejuvenescedor para o tipo Vata. Remove Ama (toxinas) do sangue e das linfas. Os tipos Pitta devem usar com moderação. Se utilizado cozido, é menos agressivo aos tipos Vata. É utilizado para distúrbios de Kledaka Kapha e Apana Vayu, para os intestinos e para limpar mucosidades e aliviar distensões por gases. Auxilia a respiração livre, especialmente em distúrbios de Udana e Prana Vayu. Muito útil em gripes do tipo Kapha, com muita secreção e mucosidade e dor nos membros. Beneficia diretamente o coração reduzindo Kapha e Ama de rasa, rakta e medas dhatus (tecidos). Atua em afecções da pele provenientes de desordens de Kapha e Vata. Faz boa interação com gengibre, funcho, chitraka, hingu e pimenta preta, para desordens digestivas. Utilizado com Pippali (pimenta verde), alcaçuz e ajwain para tosses. Combinado a guggulu, pushkaramoola, arjuna e bibhitaki, para problemas cardíacos. Para tonificar Vata é melhor consumi-lo frito, com ghee. Desaconselhado o uso em pessoas com Pitta agravado. Evitar atividades físicas muito intensas, comportamento agressivo ou banhos de sol enquanto estiver fazendo tratamento com a erva, pois pode agravar excessivamente Pitta.

Uso homeopático

O alho é uma planta medicinal que tem ação sobre os órgãos das vias respiratórias quando acompanhado de dor e vermelhidão nos olhos, lacrimejamento, corrimento nasal claro e abundante, dores na raiz do nariz, espirros, tosse, rouquidão, perda do paladar e olfato, tosses crônicas com expectoração abundante, sensibilidade ao frio. Utilizado na dosagem 1X a 5ª.

Pets e outros animais

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Informações em outros sistemas de saúde

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

O que diz a ciência

Vários ensaios clínicos examinaram os efeitos do alho nas lipoproteínas e contra hipercolesterolemia, ainda que o mecanismo exato desta ação, seja desconhecido.

Astrologia

O alho é uma planta medicinal regida por Saturno.  Outra fonte indica que a planta é regida pelo planeta Marte (The Green Wiccan Herbal). Associada aos signos de Capricórnio e Libra.

Indicações energéticas ou mágicas

O alho é uma planta medicinal dedica a Hecate – deusa dos mundos inferiores. Utilizada para realizar banimentos, quebrar feitiços e promover proteção. Os antigos egípcios prestavam grandes honras a estes bulbos. Os gregos, contudo, proibiam a entrada no templo de quem tivesse comido alho. Paracelso, em sua Botânica Oculta, diz: – “Para preservar-se de todo malefício, colhem-se sete alhos na hora de saturno, enfiam-se num barbantezinho de cânhamo e carregam-se pendurados no pescoço durante sete sábados e ficar-se-á livre de feitiços por toda a vida. “ Para afastar os pássaros de uma árvore, basta untar os galhos com um alho. Planta utilizada em banhos para retirar o mau-olhado, juntamente com alecrim, arruda, folhas de guiné, flor de rosa-branca, folhas de espada de São Jorge e um punhado de sal grosso. Para proteção do lar, realiza-se defumação com casca de alho, raiz de lágrima-de-nossa-senhora, folhas secas de alecrim, resina de incenso de igreja e carvão vegetal.

Habitat

Originário da Ásia Ocidental e Europa.

Descrição da planta

Planta herbácea, podendo atingir até 60 cm de altura, folhas pontiagudas, longas e achatadas, bulbo dividido em bulbilhos compridos e reunidos em um invólucro comum de várias túnicas esbranquiçadas que são facilmente destacáveis. Cada dente, com coloração variando de branco a violeta, é envolvido por uma túnica própria, flores pequenas em cachos, de cor rosada ou branca.

Vamos plantar?

O alho pode ser cultivado em diversas regiões climáticas, havendo diversos cultivares adequados a diferentes regiões. No entanto, regiões quentes e chuvosas não são adequadas para o plantio, pois é necessário que haja um período de frio no início ou na metade de ciclo de cultivo, com temperaturas entre 0°C e 15°C, para estimular a formação dos bulbos (a cabeça do alho). As plantas geralmente não formam os bulbos se a temperatura permanece acima de 25°C. O ideal são temperaturas amenas, enquanto as plantas crescem, com um período de baixas temperaturas no estágio em que os bulbos devem começar a se formar, seguido de meses mais quentes na época de maturação das cabeças. Um cuidado necessário é escolher cultivares adaptados ao foto período de sua região, ou seja, ao tempo de horas de luz, do nascer ao pôr do sol. O alho precisa receber luz solar direta pelo menos por algumas horas diariamente. O alho não é muito exigente quanto ao solo, podendo ser plantado em solos menos férteis, com menor disponibilidade de nitrogênio. O ideal é um solo leve, bem drenado e rico em matéria orgânica. O pH do solo pode ser de 5,5 a 8,3 (pH ideal de 6,2 a 7). O plantio em camalhões é recomendado se o cultivo for feito em solos argilosos pesados. O alho deve ser irrigado com frequência para que o solo seja mantido sempre úmido durante a fase inicial de crescimento da planta. Diminua a frequência das irrigações quando os bulbos estiverem crescendo. Cerca de 10 a 20 dias antes da colheita, suspenda a irrigação. O alho pode ser cultivado a partir de sementes, mas é muito mais comum plantar os dentes do alho. Em plantações comerciais, é recomendado separar os dentes por tamanho, pois o plantio de dentes de mesmo tamanho tende a produzir plantações mais uniformes. Contudo, em pequenas plantações domésticas, isso é menos importante. Dentes muito finos, danificados ou com sinais de apodrecimento devem ser descartados. Plante cada dente no local definitivo a uma profundidade de 3 a 5 cm (pode chegar a ser 8 cm ou mais em regiões de inverno rigoroso). Os dentes também podem ser plantados em bandejas ou sementeiras, sendo transplantados após brotarem. É muito importante plantar os dentes na posição correta, com a parte mais fina do dente voltada para cima. O espaçamento pode ser de 25 a 30 cm entre as linhas de plantio, e 10 cm entre as plantas. Em pequenas plantações, sem linhas de plantio, o espaçamento pode ser de 15 a 18 cm entre as plantas. Espaçamentos maiores que esses propiciam que as plantas gerem cabeças maiores, mas a produtividade por área diminui. O alho também pode ser cultivado facilmente em vasos e jardineiras. Geralmente o plantio é realizado no outono. Em regiões mais frias, pode ser plantado no fim do verão, no começo do outono ou no início da primavera. Em regiões com inverno ameno, o plantio pode ser feito no outono ou no inverno. Normalmente as melhores cabeças são colhidas de plantas que foram plantadas durante o outono. Para o cultivo em regiões mais quentes, os dentes podem ser armazenados sob refrigeração (0°C a 10°C) por um ou dois meses antes do plantio ser realizado (o período adequado de refrigeração varia com o cultivar).

Artigos relacionados

Fontes de pesquisas utilizadas

http://www.plantamed.com.br/ • https://hortas.info/como-plantar-alhohttp://www.campinas.snt.embrapa.br/plantasMedicinais/alho2.pdf • Ayurveda – A ciência da longa vida – Dr. Edson D´Angelo e Janner Rangel Côrtes – Madras • A vida cura a vida – Pe. Paulo Wendling – Paulinas • Botânica Oculta – Paracelso • Ayurvedic medicine – the principles of tradicional practice – Sebastian Pole – Churchill Livingstone • Ervas do Sítio – Rosy L. Bornhausen – Bel Comunicação • Apostila de Fitoterapia Chinesa – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • ITF – Índice Terapêutico Fitoterápico – EPUB • Higiene e Tratamento Homeopático das Doenças Domésticas – Dr. Alberto Seabra – Associação Brasileira de Homeopatia • Fitoterapia Chinesa e Plantas Brasileiras – Alex Botsaris – Editora Ícone • Manual de Fitoterapia Chinesa e Plantas Brasileiras – Mary Lannes Salles Leite – Icone Editora • O Guia Deepak Chopra de Ervas Medicinais – 40 receitas naturais para uma saúde perfeita – Deepak Chopra, M.D and David Simon, M.D – Editora Campus • The Yoga of Herbs – Dr. David Frawley and Dr. Vasant Lad – Lótus Press • The Way of Herbs – Michael Tierra C.A, N.D – Pocket Books • The Green Wiccan Herbal – Silja – Cico Books •
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email