Apesar de que seria ótimo existir uma planta que, sozinha, curasse doenças ou que fosse uma solução universal para todos os males, a ideia da super-erva está muito distante da realidade.

Acontece a toda hora, nas redes sociais e nos títulos sensacionalistas de alguns artigos, que apregoam que determinada erva pode curar tal doença ou que foi descoberta a mais nova erva que “garante” a cura disso ou daquilo.

Na verdade, existem muitas ervas medicinais poderosas e eficientes que podem contribuir de forma muito eficaz para que nossa saúde possa se restabelecer, mas não existe uma erva que, sozinha, possa curar nenhuma doença mais grave.

Se estivermos falando de pequenos desconfortos e indisposições pontuais como uma náusea, uma dor de cabeça ou uma indigestão momentânea, até é possível corrigir com apenas uma erva eficiente, de forma simples.

Porém quando estamos buscando tratar questões de saúde mais sérias, possivelmente cronicamente instaladas, não é recomendável contar apenas com o recurso de uma erva milagrosa para dar conta da situação.

Dessa forma, sempre busque compor suas formulações de fitoterápicos com um “mix” de ervas eficientes para maximizar os bons resultados de seus tratamentos.

Assim, as chances de sucesso aumentam muito e deixemos para lá a ideia de que uma erva sozinha possa dar conta de algo tão importante quanto a sua saúde.