Nome Popular: Hera

Outros nomes: hera-inglesa, hera-verdadeira, gewöhnlicher efeu (alemão), hiedra (espanhol), lierre (francês), common ivy (inglês), edera (italiano), hedera (latim).

Nome científico: Hedera helix L.

Nomes botânicos: Hedera caucasigena Pojark., Hedera helix subsp. caucasigena (Pojark.) Takht. & Mulk., Hedera taurica (Paul) Carriere.

Nome farmacêutico: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Família: Haraliaceae.

Partes usadas: folhas e talos.

Sabor: amargo e frio.

Constituintes químicos: ácido clorogênico, ácido fórmico, ácido hederotônico, ácido shikímico, ácidos terpênicos, hederacósido, hederina, hederosaponina, hederósido, hedrina, quercetina, rutina, sais minerais (iodo), sapogeninas e taninos.

Propriedades medicinais: analgésica; antiespasmódica; calmante; cicatrizante; estimulante; hidratante; lipolítica; vasodilatadora; sudorífica; antitérmica; anti-reumática; antitussígena; expectorante; anticelulítica; lenitiva; depurativa; mucolítica; bactericida; anti-helmíntica; antiprotozoária; antifúngica; vasoconstritora;

Indicações (Uso interno): catarro; bronquite; artrite; gota; tosse; coqueluche; constipação com fezes ressecadas; cólicas biliares e intestinais; asma; laringite; hipertensão; nevralgias; escrofulose; neurites; antiviral; elimina mucosidade; problemas respiratórios; escrofulose; reumatismo; neurites;

Indicações (Uso externo): herpes; furúnculos; abscessos cutâneos; gordura localizada; eczemas; queimaduras; calos e feridas infectadas; varizes; escurecer os cabelos; celulite;

Indicações pediátricas: contra-indicado uso pediátrico.

Utilizações na MTC: elimina umidade-fleuma-calor do Pulmão; estimula atividade dos Intestinos; tonifica o Qi do Pulmão e do Baço.

Atuação nos canais: P e I.G.

Elemento predominante na MTC: Metal.

Classificação da Erva na MTC: Categoria 10 – Ervas para suprimir tosse e reduzir catarro.

Ayurveda (Ação nos doshas): reduz Kapha e Pitta e é neutra para Vata.

Rasa: amarga

Virya: fria.

Vipaka: picante.

Informações em outros sistemas de saúde: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Floral: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Homeopatia: CELULITE – tomar 15 gotas de Hedera helix D3 antes das refeições. Adicionar ao tratamento 3 glóbulos de Thuya C5 de oito em oito horas.

Contra-indicações: na gravidez; em doenças renais ou do fígado; em casos de gastrite; na lactação; em crianças; portadores de hipertireoidismo; pode causar diarréia e vômito; superdosagem pode causar hemólise, irritação gástrica, excitação e estado febril. O uso interno é, em geral, desaconselhado.

Interações medicamentosas: a hederina tem propriedades hemolíticas e pode interferir nos mecanismos de coagulação sangüínea e medicamentos associados.

Uso Veterinário: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Doses: USO INTERNO – de 2 a 5g em decocção ou infusão/dia; de 500 a 1.500mg de pó/dia; Tintura a 10% de 20 a 30 gotas/dia; de 3 a 5 gotas de extrato fluídico/dia. USO EXTERNO – decocto ou infuso de 10 a 20% para banhos ou compressas; o pó deve aplicado direto nas lesões.

Formulações: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Formulações populares: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Planeta regente: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações energéticas ou mágicas: a hera cresce na parte de fora das edificações como uma guardiã e protetora. Deve ser usada para adornar noivas para trazer felicidade no casamento.

Habitat: Europa, Ilhas Canárias, África e Ásia.

Informações clínicas e/ou científicas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Descrição botânica: planta de textura semi-lenhosa com ramos longos e reptantes, com raízes adventícias, que lhe doam a característica de trepadeira também. As folhas são simples, persistentes, verde-escuras, brilhantes, coriáceas, alternas, lobuladas ou cordadas e podem ser variegadas de branco, prata ou amarelo, de acordo com as diversas variedades. Ocorrem também heras de porte anão, para uso em vasos. As inflorescências são pequenas umbelas com flores hermafroditas, amarelo-esverdeadas de pouca importância ornamental, mas que atraem abelhas e borboletas na primavera e verão. Os frutos são globosos, pequenos, negros e servem de alimento a diversos pássaros embora sejam tóxicos ao homem.

Toxicidade: as bagas contêm substâncias tóxicas que provocam vômitos e podem afetar as mucosas e as células dos rins e do fígado. O restante da planta pode causar dermatite de contato em alguns casos.

Observações: planta utilizada na fabricação de produtos para expressão e rugas, celulite, calos, pele irritada pós-sol e verrugas.

Fontes de pesquisa:

http://www.plantamed.com.br/ • http://www.jardineiro.net/br/banco/hedera_helix.php • Fórmulas Mágicas – Dr. Alex Botsaris – Ed. Nova Era • ITF – Índice Terapêutico Fitoterápico – EPUB • Guia Prático para Auto-cura – Tonusterapia. A cura pelas plantas – Munir Sabá – Editora Traço • The Big Herbal Encyclopedia – Anônimo – PDF • Vademecum de Fitoterapia – Pedro del Rio Pérez • Ervas do Sítio –  Rosy L. Bornhausen – Bel Comunicação • Enciclopédia de Medicina Natural – Marcílio Franco da Costa Pereira – Madras •