Funcho

Recomenda-se incluir esta erva na alimentação de pessoas que apresentam tumores. Suas propriedades medicinais são muito parecidas com o anis. Erva rica em cálcio, cobre, fósforo e vitamina B3. Confundida frequente e, equivocadamente, com a Erva-doce e o Anis.

 

Nome Científico:

Foeniculum vulgare Mill.

Nomes botânicos:

Anethum foeniculum L.; Anethum pannorium Roxburgh; Foeniculum foeniculum (L.) H. Karst.; Foeniculum officinale All.; Foeniculum pannorium (Roxburgh) DC.; Ligusticum foeniculum (L.) Crantz; Meum foeniculum (L.) Spreng.; Selinum foeniculum (L.) E.H.L. Krause; Seseli foeniculum (L.) Koso-Pol.

Nomes Farmacêuticos:

Fructus Foeniculi Vulgaris.

Partes usadas:

Frutos, raízes cilíndricas axiais, sementes, folhas verdes e a cepa carnuda.

Composição Química:

O fruto contém óleo essencial, anetol (60% do óleo), estragol, felandreno, funchona, açúcar, sais minerais, mucilagem, aleurona, fencone, fineno, anetoleno, landreno, pineno, dipenteno, fenono, andreno, ácidos málico, fosfórico, sucínico e tânico, foeniculina, metil-chavicol, d-limoneno, vitaminas A, B e C. A raiz contém ácido málico, óleo essencial, matérias resinosas e pécticas. O teor de óleo essencial do fruto varia de 2,0 a 6,0%, contendo cerca de 50 a 60% de anetol.

Indicações para uso interno:

Sistema Gastrointestinal: azia, cólica por gases, diarreia, dispepsia, problemas do estômago, elimina gases, vômito, má digestão, laxante suave, borborigmos, náusea, diarreia fétida, aerofagia, elimina parasitas intestinais.
Sistema Urinário e Genital: cólica menstrual, dismenorreia, distúrbio urinário, menstruação irregular, dores na bexiga, cistite, dificuldade em urinar, micção com urina amarela escura e com queimação, micção com urina turva, incontinência, amenorreia, harmoniza a micção, tônico uterino.
Sistema Hepático: problemas do fígado.
Sistema Respiratório: bronquite, tosse.
Sistema Imunológico, Nervoso e Linfático: gripe.
Sistema Musculoesquelético e Conjuntivo: cãibra, dor muscular e reumática, espasmo, hérnias inguinais, dores lombares, relaxa a musculatura do baixo ventre,
Sistema Renal: males dos rins, dissolução de cálculos renais.
Outros distúrbios: conjuntivite, inflamação, problemas oculares, indicada para aliviar efeitos colaterais da quimio ou radioterapia, antídoto para envenenamento por cogumelos e outras ervas tóxicas.

Indicações para uso interno de partes específicas da planta::

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações para uso externo:

Pele e unhas: impigem.
Cabeça e face: cansaço oftálmico, olhos inflamados.
Cavidade bucal: rouquidão.

Indicações para uso externo de partes específicas da planta:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia:

É um dos óleos indicados para difusão aérea como auxílio no tratamento da dependência do tabagismo.
O óleo essencial é usado na fabricação de licores, perfumes e cosméticos e solidifica-se entre 3 e 6 graus centígrados.
Quanto maior o ponto de solidificação, melhor é a qualidade do óleo.

Relacionado com as seguintes categorias das ervas medicinais:

Categoria 4 – Ervas para reduzir sintomas de frio dentro do corpo • Categoria 9 – Ervas que promovem a digestão.

Uso homeopático:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Pets e outros animais:

Em cães na amamentação – para aumentar a secreção láctea das cadelas preparar 20g de sementes de anis em pó, 20g de sementes de funcho em pó e 40g de açúcar. Misturar os ingredientes e administrar a mistura em ½ colher de chá por vez, 3X ao dia.

Informações em outros sistemas de saúde:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Indicações energéticas ou mágicas:

Utilizada em sabonetes e perfumes para manter afastada a negatividade e o Mal. Deve ser plantada próxima a casa com o mesmo propósito. Utilizada como estimulante mental.

Nome Conhecido:

Aneto-odorante, Anis, Aniz, Aniz-doce, Erva-doce, Falso-anis, Finóquio, Fiolho, Fiolho-de-florena, Fiolho-doce, Funcho-bastardo, Funcho-doce, Funcho-vulgar, Funcho-ordinário (português), Fennel, Finocchio Selvatico (ingles), Hinojo (espanhol), Xiao Hui Xiang (chinês), Satapushpa, Madhuriká (sânscrito).

Família:

Apiaceae.

Sabor:

Doce, picante e amornante.

Propriedades medicinais gerais:

Aromático, emenagogo, estimulante, expectorante, galactagogo, purificante, rubefasciente, tônico, digestivo, laxativo, antiespasmódico, antitússivo, resolutivo, antiemético, antidiarreico, antidispéptico, estomáquico, oftálmico, hepatoprotetor, hipotensor, vermicida, antídoto.

Propriedades medicinais de partes específicas da planta:

Raízes: aperiente, carminativo, diurético,
Folhas: vulnerário,

Para crianças:

Para cólicas nervosas. A planta é sedativa para crianças pequenas.

Quando não devemos usar esta erva (contraindicações:

Não devemos usar o funcho na gravidez e pessoas asmáticas com forte tendência alérgica.
O óleo essencial pode causar convulsões e não deve ser usado em menores de 5 anos. Evitar a erva também em situações de vazio de yang ou plenitude.

Interações medicamentosas:

Existe uma preocupação teórica de que a ciprofloxacin é eliminado do corpo, no dobro da quantidade habitual, quando é administrado o funcho. Em ratos, foi observada a diminuição das concentrações plasmáticas da quinolona.

Toxicidade:

Considerada planta segura nas doses recomendadas. No entanto, o uso de mais de 20g/litro pode ser convulsionante. O óleo essencial, em doses elevadas, pode causar alucinações, convulsões tremores.

Uso culinário e nutritivo:

As sementes são utilizadas como aromatizante de peixe, linguiça, sopas, picles, salames, azeitonas, bolos, maçãs assadas, balas, doces, frutas em calda biscoitos. As folhas são utilizadas em saladas e como tempero de feijão branco. As sementes inteiras ou em pó são utilizadas em panificação, pastelaria e confeitaria.

Sistemas Florais:

Florais das Gerais – Funcho – cansaço mental, dificuldades de digerir fatos novos, dificuldade de adaptação.
Florais de Minas – Foeniculum – cansaço mental, dificuldades de digerir e assimilar fatos novos.

Medicina Chinesa (MTC):

Seu nome chinês é Xiao Hui Xiang. Harmoniza o funcionamento do Estômago. Aquece os Rins e move o Qi do Fígado. Expele o frio e é indicado para vômitos por frio no Estômago. Expele frio do canal do Fígado. Remove fleuma-umidade-calor do Pulmão e tonifica o Yin do Pulmão. Elimina vento-calor externo. Remove umidade-fleuma-calor da Bexiga.
Erva presente na fórmula Hui Xiang San, um pó que trata apendicite com dor no baixo ventre e nos genitais. Também presente na fórmula San Ceng Hui Xiang Wan (Three Layers Fennel Pills) que trata hérnia por sintomas de frio, que inclui dor em volta do umbigo e abdômen, aumento dos testículos com inchaço, distensão e afundamento do escroto que afeta o caminhar ou os testículos ficam frios e duros como pedras e, gradualmente, vão aumentando de tamanho (uso local). Seu elemento predominante é a Terra. Atua nos canais do Estômago, Vaso Governador, Vaso Concepção, Bexiga, Baço/Pâncreas, Fígado, Rins e Pulmões.

Ayurveda:

Erva tridosha que equilibra Vata, Pitta e Kapha. Seu nome sânscrito é Satapushpa, que significa, uma centena de flores. Seu outro nome é Madhuriká que significa, o mais doce. Tem qualidade leve e seca. Atua nos tecidos plasmático, sanguíneo, muscular e nervoso. Tem ação sobre a digestão, respiração, sistema nervoso, urinário, reprodutivo e na lactação. Incrementa o fogo (agni) digestivo. Redireciona o fluxo de Vata para baixo. É antiemético e alivia tosses. Aumenta a clareza da consciência. Apesar de ser uma erva que aquece, o funcho beneficia a digestão sem agravar Pitta. De fato, o seu efeito pós-digestivo doce tem ação refrescante. Clareia Pitta de mutravahasrotas (ligado à excreção). Utilizado na tensão nervosa no mamsa dhatu (tecido muscular) e contrações musculares que restringem a circulação de Vata. Alivia espasmos, principalmente gastrointestinais, pulmonares e uterinos. Nutre o majja dhatu (medula óssea e tecido nervoso). Tonifica o cérebro e o sistema nervoso. Utilizado em obstruções das vias aéreas por fleuma, típica de Vata-Kapha. Reduz o agravamento de avalambaka kapha (sistema cardiorrespiratório) que congestiona os alvéolos e os brônquios. Tem ação específica sobre rasadhatu (plasma) e aumenta o leite durante a lactação. Utilizado em menstruações dolorosas causadas por desequilíbrio de Vata ou Kapha, com obstrução dolorosa do baixo ventre com cólicas. Tem excelente sinergia com o cominho e a hortelã-pimenta para tratamento de distúrbios gastrointestinais. Utilizado com gengibre, chitraka e canela para fortalecer o fogo digestivo. Utilizado com coentro e gokshura para problemas urinários. Para eliminar tosse e fleuma, é utilizado com pimenta preta (pippali) anthrapachaka e alcaçuz. Para alívio da tensão mental, é utilizado com Brahmi e Gotu Kola. Para aumentar a produção de leite materno, é associado a Shatavari e Ajmoda.

O que diz a ciência:

Não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Astrologia:

Segundo Paracelso, esta erva está associada aos signos de Peixes e Aquário. Outra fonte (Ervas do Sítio), declara que a erva está associada ao planeta Mercúrio e aos signos de Virgem e Gêmeos.

Habitat:

Oriundo dos países mediterrâneos, mas amplamente difundido por toda a América e Europa. Cresce em terrenos não cultivados e ribanceiras secas.

Descrição da planta:

Planta herbácea vivaz (em condições nativas) ou bienal (em cultivo), de caule ereto, ramoso, cilíndrico, verde com estrias azuis, brilhante e compacto, pronunciadamente aromática, que produz uma roseta de folhas, alternas, verde-azulado-escuras, brilhantes, divididas e subdivididas em segmentos capiliformes muito estreitos. Pecíolos longos com bainhas envolventes. Inflorescência tipo umbela composta de 7 a 20 subumbelas menores. Flores hermafroditas, pentâmeras, amarelas. Fruto oblongo, inicialmente verde-azulado, de formato oval a oblongo, glabro, achatado de um lado e convexo no outro, composto de dois aquênios (mericarpos) de 3 a 4 mm de comprimento por 1 a 2 mm de largura, com estrias longitudinais. Quando maduros, os diaquênios adquirem coloração pardo-amarelado. A planta cresce cerca de 1,3 a 2,0m de altura.

Vamos plantar?:

Plantio deve ocorrer de abril a maio.
A semeadura não deve ser feita em épocas muito frias, pois ocorre um atraso ou paralisação da germinação.
Pode ser cultivado em diversas regiões climáticas, mas as melhores condições são encontradas em regiões de clima ameno ou moderadamente quente. A planta pode sobreviver a uma geada leve.
Necessita de alta luminosidade e deve receber luz solar direta, ao menos por algumas horas diariamente.
O solo deve ser bem drenado, leve, fértil, rico em matéria orgânica. A planta é tolerante quanto ao pH do solo, mas não cresce bem em solos muito ácidos.
Irrigue com a frequência necessária para que o solo seja mantido sempre úmido, sem que permaneça encharcado. A falta de água pode induzir a planta a florescer precocemente.
As sementes podem ser semeadas diretamente no local definitivo da horta ou em sementeiras e transplantadas quando têm de 10 a 15 cm de altura.
Ao escolher o local de plantio, leve em conta que a planta é perene e pode sobreviver por vários anos neste local, podendo atingir até dois metros de altura, dependendo de onde cultivar.
Se semeada em sementeiras, faça o transplante com a planta bem jovem, quando as mudas têm no máximo 4 folhas. O espaçamento recomendado é de 25 a 30 cm entre as plantas.

Fontes de pesquisa utilizadas:

http://www.plantamed.com.br/ • https://hortas.info/como-plantar-funcho • 100 Plantas para viver até os 100 anos – Anônimo – PDF • A cura pela natureza – enciclopédia familiar dos remédios naturais – Jean Aikenbaum e Piotr Daszkiewicz – Editora Estampa • La vuelta a los vegetales – Carlos Hugo Burgstaller Chiriani – Hachette • Plantas Medicinais – Manipulação artesanal, uso e costume popular – Angelo L. Robertina – PDF • Botânica Oculta – Paracelso • The Big Herbal Encyclopedia – Anônimo – PDF • Ayurvedic medicine – the principles of tradicional practice – Sebastian Pole – Churchill Livingstone • CD Rom – Ervas Medicinais – Volume 1 – Anônimo • Chinese and related North American Herbs – phytopharmacology and therapeutics values – Thomas S. C. Li – CRC Press • Chinese Herbal Medicine – modern aplication of traditional formulas – Chongyun Liu and Angela Tseng with Sue Yang – CRC Press • Coleção de plantas medicinais aromáticas e condimentares – Mery Elizabeth Oliveira Couto – Embrapa • Vademecum de Fitoterapia – Pedro del Rio Pérez • Enciclopedia de plantas medicinales – Anônimo – PDF • Ervas do Sítio – Rosy L. Bornhausen – Bel Comunicação • A cura pelos remédios caseiros – Guia de ervas e medicina natural – Raunei Iamoni – Ediouro • Apostila de Fitoterapia Chinesa – Prof. Antonio de Bortolli – Delta Educação • Florais das Gerais – Catálogo • Florais de Minas – Catálogo • Plantas Medicinais – François Balmé – Ed. Hemus • Ayurveda – A ciência da longa vida – Dr. Edson D´Angelo e Janner Rangel Côrtes – Madras •