Nome Popular: Capim-Limão

Outros nomes: capim-catinga, capim-cheiroso, capim-cidrão, capim-cidrilho, capim-cidreira, capim-cidró, capim-ciri, capim-de-cheiro, capim-marinho, capim-membeca, capim-santo, capim-sidró, chá-de-estrada, citronela-de-Java, erva-cidreira, falsa-erva-cidreira, grama-cidreira, patchuli, patchuli-falso, sidró, vervena, zitronengras (alemão), hierba limón (espanhol), citronnelle (francês), lemon grass (inglês), cymbopogonis (latim).

Nome científico: Cymbopogon citratus (DC) Stapf.

Nomes botânicos: Andropogon ceriferus Hack., Andropogon citratus DC. ex Nees, Andropogon citratus DC., Andropogon citriodorum hort. ex Desf., Andropogon nardus subsp. ceriferus (Hack.) Hack., Andropogon roxburghii Nees ex Steud., Andropogon schoenanthus L., Cymbopogon nardus subvar. citratus (DC.) Roberty.

Nome farmacêutico: Herba cymbopogonis.

Família: Poaceae.

Partes usadas: folhas, rizoma e raízes frescas ou secas.

Sabor: picante e amornante.

Constituintes químicos: Folhas: aldeídos, cetonas, ácidos, ésteres, sesquiterpenos e terpenos, citrol (mistura dos aldeídos neral e geraniol), saponinas álcoois (cimeropogonol e cimpogonol), alcalóides, óleos essenciais (com a-oxobisaboleno, borneol, b-cadineno, canfeno, car-3-eno, cineol, geranial, geraniol, citral), metileugenol, mirceno, cimbopogona, farnesol, fencona, cimbopogenol, cimbopogonol, isopulegol, acetato de geraniol, hexacosan-1-ol, humuleno, linalol, mentona, nerol, acetato de nerol, a e b-pineno, terpineol, terpinoleno, ocimeno, iso-orientina, a-canforeno, limoneno, dipenteno, citronelal, ácidos acético, p-cumárico, caféico, citronélico, gerânico, capróico, flavonóides (luteolina, luteolina-7-O-b-D-glicosídeo, b-sitosterol), aldeídos (isovaleraldeido, decilaldeido).

Propriedades medicinais: sudorífico; sedativo; carminativo; antiespasmódico; refrescante; emenagogo; antitérmico; relaxante muscular; analgésico suave (mirceno); ansiolítico; antiálgico; antibacteriano; anticonvulsivo; antidiarréico; antidissentérico; anti-histérico; antipirético; anti-reumático; aperiente; aromatizante; estomacal; bactericida; béquico; depurativo; digestivo; diurético; lactagogo; estomáquico; expectorante; febrífugo; fungicida; hepatoprotetor; miorrelaxante; repelente de insetos; vasodilatador; béquico; antiemético; antitússico;

Indicações (Uso interno): febres; tônico da mucosa gastrointestinal; vômitos; diarréias; insônia; nervosismo; histerismo; pressão alta; aumenta secreção láctea; tosses; ansiedade; gases; aumentar o sono; catarro (inclusive crônico); cefaléia; cólicas menstruais e intestinais; conjuntivite; contusões; diarréia; diminuir atividade motora; distúrbio renal; dor de cabeça; dor estomacal; espasmo; espasmo intestinal; estômago; febre; feridas; flatulência (gases); gastralgia; indigestão; infecções das vias respiratórias e digestiva; inflamação da bexiga; insônia; limpeza dos dentes e gengivas; lumbago; nervosismo; resfriado; reumatismo; neuralgia; problemas nos rins; estresse; tosse; úlceras; viroses de curta duração com febre; gripe; diminuição da atividade motora; dor de garganta;

Indicações (Uso externo): dor muscular; eczemas; entorse; poderoso fungicida; tensão muscular; poros dilatados (óleo); acne (óleo); manchas e sardas; celulite; limpeza de pele e cabelos e limpeza de peles oleosas; conjuntivite; lumbago;

Indicações pediátricas: digestivo infantil e demais indicações para adultos nas doses recomendadas a cada faixa etária.

Utilizações na MTC: nome chinês – Ning Meng Sian Mao. Trata distúrbios do sangue e da urina. Amorna o Jiao médio. Aquece o pulmão. Elimina fleuma. Direciona o Qi para baixo. Utilizada para tratar frio no estômago com anorexia e aversão a comidas frias e regurgitação de líquido claro. Agrava sintomas de calor. Elimina expectoração branca. Utiliza em casos de febre baixa com calafrios com pouca ou nenhuma sudorese e cefaléia. Deve ser evitar em casos de expectoração amarela ou dor abdominal por calor no estômago.

Elemento predominante na MTC: Metal e Terra.

Classificação da Erva na MTC: Categoria 1 – Ervas para induzir transpiração • Categoria 9 – Ervas para promover a digestão • Categoria 10 – Ervas para suprimir tosse e catarro.

Atuação nos canais: P, E.

Ayurveda (Ação nos doshas): nome ayurvédico – Dhyamaka/bhustrina. Equilibra Vata, Pitta e Kapha, porém pode agravar Vata se em excesso. Tem atuação no sistema respiratório, reprodutivo feminino, urinário, digestivo, nervoso e circulatório. É uma erva leve, seca e penetrante. Atua nos tecidos plasmático, medular, muscular e sanguíneo. Incrementa o fogo digestivo (agni) sem agravar Pitta. Direciona Vata para baixo. Regula samana e apana vayu nos intestinos aliviando gases e cólicas. Seca o avalambaka kapha agravado ajudando a expectoração. O amargor ajuda a limpar o calor dos pulmões infeccionados e tem efeito bronco-relaxante que alivia asma. Limpa calor por seu efeito suavemente diaforético  movendo-o para o estômago para o rasa dhatu. Limpa Ama do trato digestivo. Auxilia as menstruações dolorosas causadas por processos inflamatórios ou espasmódicos devido ao excesso de Vata ou Pitta. Seu efeito de nutrir o rasadhatvagni aumenta a produção de leite. Combinado com funcho e coentro elimina gases. Combinado com pippali (pimenta preta) é utilizado em problemas respiratórios. Utilizado com ajwain, gengibre fresco e cúrcuma para dores menstruais. Combinado com tulsi e canela para tratamento de febres. Utilizam-se doses maiores para febres e doses menores para problemas digestivos.

Rasa: amargo e picante

Virya: fria.

Vipaka: picante.

Informações em outros sistemas de saúde: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Aromaterapia: o óleo essencial é um maravilhoso estimulante da circulação e alivia inflamação artrítica e dor das juntas. Tem ação fungistática  sobre alguns  fungos  dermatogênicos humanos (Trichophyton rubrum,  T.  mentagrophyres e Microsporium canis),  e que infectam sementes de cereais (Aspergillus  e Penicillium), é repelente de mosquitos e serve como desodorante natural. A essência é amarelada, aromática e ardente.

Floral: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Homeopatia: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Contra-indicações: uso freqüente causa debilidade; pode provocar perturbações cardíacas; evitar uso em pessoas com pressão baixa; em casos de dor abdominal de causa desconhecida, úlcera péptica e gastrite. Não deve ser utilizado durante a gravidez, pois a erva estimula o útero e o sangramento menstrual. Uso prolongado pode provocar dor nas articulações.

Interações medicamentosas: não há relatos nas fontes de pesquisa consultadas.

Uso Veterinário: o óleo tem ação irritante sobre a pele de animais. As folhas constituem-se ótima forragem para elefantes.

Doses: de 250 mg a 2g em pó de 2 a 3X/dia; de 3 a 6 gotas de óleo essencial misturado ao chá ou mel 2X/dia; 15 gotas de tintura 3X/dia; de 3 a 6g de folhas ou raízes em decocção ou infusão/dia.

Formulações: ver abaixo.

Formulações populares: CLAREAR OS DENTES – enxágüe bucal com infusão do rizoma. NEVRALGIAS E REUMATISMOS – ungüento – esmagar 1 xícara das de chá de rizomas em 1 colher de sopa de óleo de coco. Coar e fazer massagens tópicas. LIMPEZA DOS DENTES E GENGIVAS – infusão – uma colher de sobremesa de rizoma fresco fatiado em uma xícara de água em fervura. Desligar o fogo, coar e deixar esfriar. Fazer bochechos, de 2 a 3 vezes ao dia. REUMATISMO (2) E DORES MUSCULARES – ralar um pedaço de rizoma e adicionar em uma colher de sopa de óleo de coco ou oliva. Coar e utilizar em massagens, nos locais doloridos. REFRESCO PARA DIAS QUENTES – folhas batidas com água no liquidificador, coar e beber. REPELENTE DE INSETOS – as folhas picadas e acondicionadas em saches servem para aromatizar roupas e repelir insetos. GASES INTESTINAIS – derramar 2 xícaras de chá de água fervente sobre 2 xícaras de capim-limão bem picado (com tesoura). Abafar por alguns minutos e beber sem adoçar depois das refeições.

Planeta regente: utilizada em distúrbios relacionados ao trânsito de Vênus em Escorpião, Marte em Leão, Marte em Libra, Júpiter em Touro,

Indicações energéticas ou mágicas: utilizada para estimular a clarividência.

Habitat: erva originária da Índia, hoje aclimatada a quase todos os estados brasileiros.

Informações clínicas e/ou científicas: as folhas demonstram atividade antimutagênica em Salmonella tryphimurium TA 98. O óleo essencial apresenta atividade antibacteriana e antimicótica.  Os extratos etanólicos apresentam atividade contra os áscaris. O extrato aquoso demonstra um efeito ansiolítico. O óleo essencial, na dose de 140mg/dia, administrado na forma de cápsulas, por três meses, diminuiu os níveis de colesterol de 22 voluntários.

Descrição botânica: planta herbácea, cespitosa, estolonífera, perene, que cresce cerca de 1,0m em altura e forma touceiras de perfilhos ao nível do solo.  Apresenta rizomas semi-subterrâneos, curtos, com nós bem demarcados.  As folhas, que medem cerca de 60 a 100 cm de comprimento por 1,5 a 2,0cm de largura, são amplexicaule, linear-lanceoladas, áspera nas duas faces, paralelinérveas, bordo liso, cortante, nervura central grossa e caniculada. As folhas são recobertas por uma fina camada de cera e exalam olor de limão.  Apresenta textura áspera ao tato e permanece mais ereta que a citronela. O florescimento é raro e as flores, eventualmente formadas, são estéreis. As folhas são muito aromáticas.

Toxicidade: erva segura nas dosagens terapêuticas. Doses concentradas podem provocar aborto, baixar a pressão e causar desmaios. O hidrolato das folhas (produto de destilação) provoca hipocinesia, ataxia, bradipnéia, perda de postura, sedação e defecação. Dois casos de alveíte tóxica foram relatos pela inalação do óleo essencial.

Observações: a utilização na gestação e lactação estimula produção de leite materno. A planta é indicada para proteção de encostas, barrancos e estradas, devido ao sistema radicular vigoroso e agregador, além de permitir uma ótima cobertura de solo. Servida fria, a infusão passa a ser bebida refrigerante. Utilizado como condimento na culinária tailandesa.

Fontes de pesquisa:

http://www.plantamed.com.br/ • Ayurveda – A ciência da longa vida – Dr. Edson D´Angelo e Janner Rangel Côrtes – Madras • A vida cura a vida – Pe. Paulo Wendling – Paulinas • As plantas e os planetas – Ana Bandeira de Carvalho – Ed. Nova Era • Ayurvedic medicine – the principles of tradicional practice – Sebastian Pole – Churchill Livingstone • CD Rom – Ervas Medicinais – Volume 1 – Anônimo • Chinese and related North American Herbs  – phytopharmacology and therapeutics values – Thomas S. C. Li – CRC Press • Ervas do Sítio – Rosy L. Bornhausen – Bel Comunicação • A cura pelos remédios caseiros – Guia de ervas e medicina natural – Raunei Iamoni – Ediouro • Taiwanese Native Medicinal Plants – Phytopharmacology and Therapeutics Values – Thomas S.C. Li, Ph.D. – CRC Press • ITF – Índice Terapêutico Fitoterápico – EPUB • Fitoterapia Chinesa e Plantas Brasileiras – Alex Botsaris – Editora Ícone • Plantas que curam – Enio Emmanuel Sanguinetti – Editora Rigel •