A diabete é uma doença que assola um grande número de pessoas, no Brasil e no mundo.

Mas nem todo mundo sabe que existem mais de um tipo de diabete.

Alguns tipos podem surgir apenas a partir de um determinado momento ou pode ser um problema que acompanha a pessoa desde cedo, pela vida toda.

Os tipos mais comuns de diabete são:

Diabete tipo 1, onde o pâncreas não consegue mais dar conta de produzir insulina suficiente para as necessidades do corpo por conta de um desequilíbrio do sistema imunológico que passa atacar as células produtoras. Este tipo tende a aparecer mais durante a infância e adolescência.

Diabete tipo 2, onde a pessoa sofre a ação de duas causas: a diminuição da produção da insulina e a redução de seu efeito no organismo. Este é o tipo mais comum de diabete e costuma aparecer na idade adulta, em geral, a partir dos 40 anos. Mas também existem pessoas jovens que desenvolvem esta doença.

Existe ainda um passo anterior a instalação da doença, chamado de Pré-Diabete, onde a pessoa demonstra pré-disposição para desenvolver a condição em algum momento da vida. É uma tendência que pode, ou não, se manifestar e todo cuidado é pouco neste caso.

Para evitar que isso aconteça, é necessário evitar levar uma vida muito sedentária e ter atenção com o tipo de alimentação e ingestão de bebidas. Também existem estudos que relacionam o acúmulo de gorduras, principalmente do tipo visceral, como um dos fatores que podem ajudar a desencadear a Diabete.

Também pode se manifestar um tipo chamado de Diabete Gestacional que, como o nome já diz, surge durante o processo da gravidez, onde acontece um aumento da resistência da insulina no organismo. Sua causa exata ainda é desconhecida, mas sua existência é bem real.

Mas como saber se você já está apresentando sinais de diabete?

Alguns dos sintomas mais comuns são:

  • Aumento da sede
  • Aumento da frequência urinária
  • Aumento do volume da urina (principalmente se a urina for clara como água).

Estes três sintomas, somados, devem representar um sinal de que é necessário buscar ajuda profissional e avaliar se você já necessita de cuidados especiais para tratamento. Não são determinantes, mas são sinais que devem ser levados em conta.

Alguns outros sintomas que também podem estar associados a possibilidade de manifestar Diabetes são:

  • Emagrecimento sem causa aparente
  • Aumento do apetite
  • Fraqueza
  • Cansaço
  • Sonolência
  • Desânimo
  • Tontura

No entanto, pessoas que manifestam Diabete do tipo 2, podem passar muitos anos sem apresentar qualquer sintoma, mas a doença pode já estar entrando em seus estágios iniciais.

Bem, para quaisquer um dos casos acima, é importante saber que a diabete é uma doença que ainda não tem cura, mas tem tratamento, e algumas pessoas preferem contar com alguns recursos naturais para ajudar a lidar com esta condição.

Algumas das melhores ervas medicinais que ajudam a reduzir as taxas glicêmicas (açúcar no sangue) são:

(Clique nos nomes das ervas para saber mais sobre cada uma delas)

1º – PEDRA UME CAÁ – uma erva incrível que promove a homeostase (equilíbrio) da glucose e é indicada par todos os tipos de diabete. Porém cuidado se você já toma medicamentos par diabete, pois esta erva pode potencializar os seus efeitos. Não é por acaso que esta erva também é conhecida como “insulina vegetal”.

2º – PATA DE VACA – erva que ajuda o pâncreas a produzir mais insulina. Indicada na Diabete tipo 2. Tem função parecida com a PEDRA UME CAÁ, mas com menor potência. Pode ser indicada para pessoas que não se adaptam a esta erva.

3º – CARQUEJA – erva auxiliar ao tratamento por seu poder de diminuir a necessidade de consumo de açúcar, uma vez que a erva é rica em cromo e supre parte da necessidade do organismo.

4º – PICÃO PRETO – erva muito poderosa, que apresenta a capacidade de regenerar e reativar as funções do pâncreas.

De qualquer forma, o uso de ervas medicinais não deve nunca substituir seu tratamento médico. Utilize este conhecimento como uma forma de complementar seus cuidados e sempre estabeleça suas doses e forma de tratamento com um fitoterapeuta qualificado.

Se você conhece pessoas que podem se beneficiar destas informações, eu convido você a compartilhar este artigo nas suas redes, para que um maior número de indivíduos possa ter uma vida melhor.

Rodrigo Silveira

Rodrigo Silveira

Professor, escritor e criador do Ervanarium