Nada melhor do que uma mesa farta, com pessoas queridas reunidas, compartilhando uma refeição feita com cuidado, carinho e ótimos ingredientes, não é mesmo?

A combinação de boas pessoas, bons ingredientes e bons procedimentos só pode ficar melhor se incluirmos também, boas ervas, nesta combinação.

Existem muitas ervas que podem participar do processo de nutrição e assimilação dos alimentos.

Um primeiro grupo é o das ervas condimentares.

Estas são as que serão utilizadas desde o início do processo, seja para marinar, condimentar ou mesmo acrescentar ao final do processo de preparação dos alimentos.

Estas ervas conferem aroma, sabor e também contribuem, desde o início do processo da alimentação, para que a digestão seja adequada e que facilite o trabalho do estômago e demais órgãos.

O segundo grupo de ervas é o que ingerimos após as refeições.

A função destas ervas é de auxiliar o fígado, o estômago, o baço, o pâncreas e os intestinos na tarefa de digerir e assimilar os nutrientes dos alimentos consumidos.

Muitas destas ervas (dos dois grupos) também estão na categoria dos antídotos, ou seja, ervas que são capazes de anular toxinas presentes nos alimentos já no processo de cocção.

Mas neste artigo, vamos nos concentrar nas ervas do segundo grupo: as ervas que auxiliam o processo da digestão.

Existem muitas ervas maravilhosas que podemos (felizmente) escolher e destacar, mas neste texto vamos dar uma atenção especial a um grupo de ervas que atua junto aos principais atores do processo da digestão: Fígado, Estômago, Baço e Intestino Delgado.

Elegemos 9 ervas que tem a propriedade de tornar mais fácil o processo de digerir os alimentos e mover o bolo alimentar, mas que também protegem e regeneram estes importantes órgãos que trabalham duro para nos dar energia e saúde.

Os orientais dizem que toda a saúde começa pelo estômago.

Eles também entendem que este órgão, juntamente com os pulmões, são os responsáveis pela nossa primeira linha de defesa imunológica.

Assim, tratar bem do estômago é mais do que ter uma boa digestão. É cuidar de nossa saúde como um todo.

Selecionamos três ervas maravilhosas para favorecer a digestão e recuperar o estômago: Espinheira Santa, Gengibre e Canela.

1º – Espinheira Santa

A espinheira santa é uma das mais poderosas ervas para recuperar o estômago em qualquer tipo de questão de saúde, mas também tem propriedades que favorecem a digestão e auxiliam na proteção da parede gástrica.

Isso é especialmente importante para pessoas que já apresentam lesões no estômago e que sofrem com dores.

Ao tomar a erva antes das refeições, esta prepara o estômago para receber os sucos gástricos e previne dores ao se alimentar.

Um hábito comum nos estados do Sul e do Centro-Oeste, é o de tomar chimarrão.

A erva-mate é conhecida por sua grande quantidade de xantinas que agridem a parede do estômago, ao longo dos anos. Acrescentar a espinheira santa na mistura com a erva mate pode ajudar (e muito) a manter seu estômago a salvo.

2º – Gengibre

Os orientais dizem que o gengibre é uma das especiarias mais benéficas que existe.

Esta erva pode ser incluída já durante a preparação dos pratos, mas também tem uma função posterior a ingestão de alimentos e deve ser utilizado como um digestivo eficaz após consumir os alimentos.

Para isso, basta tomar 50 ml da decocção de gengibre após se alimentar, para favorecer a digestão e promover o esvaziamento do estômago.

Além disso, se após se alimentar você sentir náuseas, é esta erva que pode lhe ajudar.

Para intoxicações de todo tipo, também prefira a decocção de gengibre, principalmente se a causa forem frutos do mar.

3º – Canela

A canela, a exemplo do gengibre, também tem uma importante função condimentar e é com frequência utilizada na preparação de diversos pratos, principalmente os de sabor doce ou, como na cozinha turca, para preparar carnes vermelhas.

Mas sua função de promotor da atividade gástrica ajudará também no processo digestivo. Uma boa maneira de aproveitar as suas maravilhosas propriedades é através da ingestão de um vinho medicinal de canela. Para fazer este vinho é bem fácil.

VINHO MEDICINAL DE CANELA

Escolha uma garrafa de um vinho que você aprecie e adicione 30g de ramos de canela à bebida e deixe descansar no escuro por 30 dias.

Ao final do prazo, retire a canela e utilize o vinho preparado antes das refeições. A dose indicada é de um cálice de licor, antes de consumir uma refeição. Principalmente se a esta contar com pratos à base de carnes.

As próximas três ervas foram selecionadas por suas propriedades de proteger e estimular as funções hepáticas, que são muito importantes no processo da digestão já que o fígado produz a bile, uma secreção fundamental para a assimilação dos alimentos.

As três ervas selecionadas são: Alcachofra, Carqueja e Boldo do Chile. São as ervas 4, 5 e 6 da nossa indicação.

4º – Alcachofra

A alcachofra é uma erva muito segura que faz o papel de um tônico amargo que estimula a produção abundante de bile.

A bile é a substância que torna possível a absorção das gorduras e de demais substâncias nutritivas no intestino delgado. Além disso, a bile tem propriedades lubrificantes que facilitam o trajeto do bolo alimentar dentro dos intestinos, favorecendo inclusive, a eliminação.

Se você comeu algo e se sentiu pesado, considere tomar uma cápsula de alcachofra de 250 mg.

5º – Carqueja

A carqueja, a exemplo da alcachofra, também é um tônico amargo que estimula a bile. A diferença entre estas duas ervas é que a carqueja tem uma função especial que pode ser desempenhada se for ingerida antes das refeições.

Neste caso, tomada em jejum, os princípios ativos da carqueja irão ser absorvidos nos mesmos receptores intestinais para a gordura. Assim, ao ingerir a carqueja ela irá “ocupar” o lugar onde antes seria absorvida a gordura, que como não consegue ser completamente assimilada, acaba por ser eliminada (em parte), na evacuação.

Isso pode ajudar pessoas que precisam emagrecer ou que tem necessidade de consumir uma dieta pobre em gorduras, por razões de saúde.

É um recurso formidável, mas que deve ser utilizado com muita sabedoria, pois ao contrário do que muitos acreditam, o corpo precisa de gorduras para viver.

6º – Boldo do Chile

Esta erva é muito eficiente em estimular as funções do fígado e da vesícula.

Se você a utilizar com muita moderação, poderá se beneficiar de seus princípios medicinais.

Só não deve exagerar. Tomado com frequência (mais de duas vezes por semana) a erva começa a acumular toxinas que prejudicam a função hepática.

Também se você já sofre com problemas de fígado e vesícula, deverá evitar esta planta. Neste caso, prefira as duas opções acima, que são muito seguras.

A terceira e última parte do nosso artigo fala das ervas que favorecem as funções digestivas do Baço e do Pâncreas.

Estes dois órgãos são responsáveis pelo controle do açúcar no organismo através da produção de insulina.

Algumas pessoas têm problemas em manter seus triglicerídeos e sua glicemia em níveis adequados. Se esse for o seu caso, experimente saber mais sobre as três ervas que selecionamos para você: Pedra Ume Caá, Pata de Vaca e Alcaçuz. Estas são as ervas 7, 8 e 9 da nossa seleção.

7º – Pedra Ume Caá

Esta é uma das mais impressionantes ervas para reduzir a taxa glicêmica do organismo. Após ingerir o chá, seu efeito pode ser percebido em menos de 30 minutos.

Esta erva também é conhecida como “insulina vegetal” e deve ser usada com muita atenção por pessoas que não precisem controlar suas taxas de açúcar.

Mesmo que esse seja o seu caso, use esta erva com atenção se estiver tomando medicamentos para diabete, pois o poder da erva é tão grande que pode potencializar efeitos de outros remédios.

8º – Pata de Vaca

A Pata de Vaca é uma alternativa mais suave ao uso da Pedra Ume Caá.

Suas funções são similares, mas a sua intensidade é menor e pode ser desejável para pessoas que estejam fazendo uso de medicamentos ou que tenham seus níveis glicêmicos apenas levemente fora do padrão ideal.

9º – Alcaçuz

Esta erva é uma das mais benéficas para todo o aparelho digestivo, mas tem a função de favorecer a digestão como um todo e dar energia para o Baço e o Pâncreas em todo o processo.

Além disso, é uma erva que previne envenenamentos e intoxicações alimentares, ajudando os ingredientes de uma refeição a se harmonizar, evitando com isso as indigestões.

Para esse efeito se processar, ingira o chá da erva imediatamente após a refeição.

Então aqui apresentamos 9 ervas medicinais que são amigas do sistema digestivo.

Com estas ervas ao seu alcance, você tem tudo para ter boas refeições e manter a saúde sempre em dia.